#Conexão Sundance: Sonja: The White Swan - Cinem(ação)
Sonja - The White Swan - Still 1

#Conexão Sundance: Sonja: The White Swan

#ConexãoSundance: crítica e análise do filme norueguês Sonja: The White Swan.

A cobertura do Festival de Sundance 2009 será postada filme a filme, com resumos e críticas dos longas acompanhados pelo crítico Maurício Costa.

Sonja: The White Swan

O filme “Sonja: The White Swan” é a cinebiografia da Sonja Henie, que foi uma grande patinadora noruegues dos anos 1930, e que depois se tornou uma estrela de musicais com cenas de patinação, até o início dos anos 1950. O filme conta a vida dela desde a vitória nas Olimpíadas, quando ela é convidada a fazer apresentações privadas, até a decadência completa dela em uma apresentação no Rio de Janeiro em 1951. A cena no Rio de Janeiro deixa brasileiros indignados por causa da bola de futebol, que eles usaram um conceito que não existia na época.

Mesmo com o desabafo sobre a direção de arte, o crítico Maurício Costa aponta os três pontos fortes do filme. O primeiro é a interpretação da atriz, que personifica a Sonja Heine com todos os problemas de relacionamento, a maneira como ela se relacionava com o irmão, o problema com bebida, drogas. Tem uma cena maravilhosa do filme que representa muito bem o machismo da sociedade, em que o presidente da Fox reclama sobre uma foto dela fazendo sexo, dizendo que ela deve manter isso a portas fechadas.

Além da protagonista ser investida na personagem, a segunda coisa bonita é a direção de arte e as coreografias, que estão muito bonitas, assim como a forma como eles representam as cenas dos filmes que ela fez. A terceira coisa é a trilha sonora, que surpreende: o filme se passa entre 1936 e 1956, mas a trilha dele é de música contemporânea, como eletrônica e rock. Elas dão para nós uma noção mais realista de qual era o clima das festas que ela participava, das orgias, da vida dela de estrela.

Maurício aponta que o principal ponto fraco de “Sonja: The White Swan” é o roteiro, que é um pouco convencional e tenta usar recursos de “Rocky Balboa” que não colam muito bem, e principalmente porque deixa de tocar em uma questão importante que é a relação da Sonja com Hitler e Goebbels, embora a diretora tenha falado que não quis se aprofundar nisso.

De fato, como Sonja Heine é uma personagem interessante, o filme também é. Não é um filme perfeito, mas é um excelente entretenimento e uma boa cinebiografia.

Nota: 4

Sinopse e ficha:

Sonja – The White Swan / Norway (Director: Anne Sewitsky, Screenwriters: Mette Marit Bølstad, Andreas Markusson, Producers: Cornelia Boysen, Synnøve Hørsdal) — The true story of one of the world’s greatest athletes and the inventor of modern figure skating, who took Hollywood by storm in the 1930s, sacrificing everything to stay in the spotlight. Cast: Ine Marie Wilmann, Valene Kane, Eldar Skar, Anders Mordal, Pål Sverre Hagen, Aiden McArdle.

Sonja – The White Swan / Noruega (Diretora: Anne Sewitsky, Roteiristas: Mette Marit Bølstad, Andreas Markusson, Producers: Cornelia Boysen, Synnøve Hørsdal) — A verdadeira história de uma das maiores atletas do mundo e criadora da figura da patinação moderna, que invadiu Hollywood nos anos 1930, sacrificando tudo por um lugar nos holofotes. Elenco: Ine Marie Wilmann, Valene Kane, Eldar Skar, Anders Mordal, Pål Sverre Hagen, Aiden McArdle.

Participam da cobertura do Festival de Sundance 2019 os seguintes sites e canais: Razão:de:Aspecto, Cinem(ação), Getro.com.br, Wanna be Nerd e Correio Braziliense.

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon