51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro: encerramento e premiações
Festival de Brasília

51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro: encerramento e premiações

O 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro chega ao décimo e último dia. Foi uma noite de festa para coroar os melhores filmes das mais diversas mostras, em especial a Mostra Brasília e a Mostra Competitiva – ambas com cobertura integral do Cinem(ação). Eu pude conferir um total de 44 filmes nesses 10 dias de festival e o comentário de todos você encontra aqui:

Confira aqui a cobertura do primeiro dia do Festival. Recheado de homenagens e com a exibição especial de “Imaginário” de Cristiano Burlan e  “Domingo”, longa de Clara Linhart e Fellipe Barbosa.

Segundo dia (Mostra Competitiva): Boca de Loba, Kairo, Torre das Donzelas e Los Silencios

Terceiro dia (Mostra Competitiva): Liberdade, Sempre Verei Cores no seu Cinza e New Life S.A.

Quarto dia. Mostra Brasília: Para a Minha Gata Mieze, O Homem Banco e Marés. Mostra Competitiva: Mesmo com Tanta Agonia e Luna

Quinto dia: Bloqueio + 7 curtas 

Sexto dia: Cabeças, O Outro Lado da Memória, Aulas que Amei e a Ilha

Sétimo Dia: Casa na Praia, Terras Brasileiras, In Memoriam, Riscados Pela Memória, Presos que Menstruam, À Tona, Plano Controle, Guaxima e A Sombra do Pai

Oitavo dia: O Mistério da Carne, Sinucada, Noroeste, New Life S.A., Eu, Minha Mãe e Wallace e Temporada

Nono dia: Reforma e BR3 (curtas) e Bixa Travesty (longa) 

Antes de falar da premiação vou indicar um vídeo que fiz ao lado do Daniel Guilarducci, do site Razão de Aspecto, onde fazemos um balanço, com os pontos positivo e negativos desta edição:

Sobre os vencedores, vou colocar os meus preferidos e já dizer o que eles ganharam, no final vocês terão a lista completa de todos os prêmios da noite.

MOSTRA BRASÍLIA :

CURTAS E LONGAS: 

Na Mostra Brasília competiam 3 longas e 18 curtas. Salvo o prêmio de melhor filme pelo júri e pelo público, todos as 21 produções competiam nas categorias. Dos longas, o meu favorito (e pra mim melhor filme do Festival) foi o documentário O Outro Lado da Memória, que levou 4 prêmios: Direção (André Luiz Oliveira), Direção de Arte, Trilha e Júri Popular. E nos curtas, o que mais elogiei foi o Terras Brasileiras que também levou o prêmio do Júri Popular. Ou seja, meu voto está mais em consonância com o público do que com a comissão oficial.

Além deles, o curta Entre Parentes levou fotografia e o prêmio principal de Melhor Curta Metragem. Cito, além do Terras Brasileiras, outros que considero que poderia ter ganho: À Tona, Para Minha Gata Miezi, Presos que Menstruam e Monstros.

No longa, o New Life S/A estava também concorrendo na Mostra Competitiva então era bem provável que levasse na Brasília e foi o que aconteceu. O filme é apenas regular, tem ótimas ideias, mas acaba as saturando. Todavia, mais por mérito do Outro Lado da Memória do que demérito do New Life S/A é que considero o prêmio injusto.

MOSTRA COMPETITIVA: 

CURTAS: 

Disparado o meu preferido foi o Guaxuma. Animação impecável, que não deve em nada aos curtas da categoria no Oscar. O filme ganhou: trilha, direção de arte e Direção (Nara Normande). O trabalho visual e sonoro é realmente incrível.

Outros dois curtas eu gostei bastante: Eu, Minha Mãe e Wallace, que levou Júri popular e Atriz Coadjuvan (Noemia Oliveira), e o divertidíssimo Plano Controle, que ficou com Montagem e Ator Coadjuvante (Uirá dos Reis).

Mas foi nesta categoria duas grandes injustiças: Reforma levar roteiro, sendo que critiquei pesado justamente este fator, já que o arco do protagonista é contraditório, vazio e passivo. E Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados levar melhor Filme em Curta metragem é esquecer cinema e pensar só em questões sociais, o filme passa boa parte com os personagens tentando amarrar uma bandeira do movimento em uma grade. Uma pena mesmo, lamentável. Ambos os filmes eu dei nota mínima.

LONGAS:

Comentário inicial: TODOS os longas tiveram algum mérito e nenhum foi horrível, dos anos que acompanho foi sem dúvidas a melhor seleção. Parabéns à comissão de seleção. E eram tantos em um nível tão alto que a minha torcida e preferência estava dividida.

A Sombra do Pai, pela desenvoltura no gênero (um drama familiar misturado com sugestão de Terror), ganhou Atriz Coadjuvante (Luciana Paes), Som e Montagem. Todos os três trabalhos realmente excelentes. O criativo Ilha levou roteiro e Ator (Aldri Anunciação). Bixa Travesty subiu ao palco para erguer as estatuetas de trilha e júri popular, ambos bem compreensíveis.

Mas quem foi o bicho papão da noite foi o longa mineiro Temporada, tricampeonato para Minas Gerais, que em 2016 ganhou com Cidade Onde Envelheço e ano passado com o Arábia. Temporada ganhou nada menos que 5 prêmios!

Fotografia, Direção de Arte, Atriz (Grace Passô), Ator Coadjuvante (Russão), além de Melhor Filme. Fotografia e direção de arte acho que poderiam ter outros melhores como Los Silencios e New Life poderiam ganhar, respectivamente. Atriz a jovem Eduarda Fernandes do Luna merecia ganhar, mas o prêmio ter ficado com a Grace Passô não é de todo ruim, seria meu segundo voto. Já o Russão merece ganhar todos os prêmios, que carisma e naturalidade.


Foi isso, pessoal. A cobertura este ano do Festival de Brasília teve um monte de coisas legais (principalmente os filmes, e que bom que o carro chefe de um festival merece elogios) e algumas não tão boas ligadas à organização. Mas é sempre uma ótima experiência e esperamos estar novamente ano que vem. Prestigiem o cinema brasileiro que tem muita coisa boa.

Segue abaixo a lista completa de todos os prêmios da noite no Festival de Brasília:

Mostra Competitiva

Longa-metragem

Melhor filme (Prêmio Técnico Dot Cine): Temporada

Melhor direção: Beatriz Seigner (Los Silencios)

Melhor ator: Aldri Anunciação (Ilha)

Melhor atriz: Grace Passô (Temporada)

Melhor ator coadjuvante: Russão (Temporada)

Melhor atriz coadjuvante: Luciana Paes (A Sombra do Pai)

Melhor roteiro: Ilha, Ary Rosa e Glenda Nicácio

Melhor fotografia: Temporada, Wilsa Esser

Melhor direção de arte: Temporada, Diogo Hayashi

Melhor trilha sonora: Bixa Travesty

Melhor som: A Sombra do Pai, Gabriela Cunha

Melhor montagem: A Sombra do Pai, Karen Akerman

Júri Popular

Melhor longa-metragem (Prêmio Petrobras de Cinema e Prêmio Técnico Canal Curta!): Bixa Travesty

Prêmio Especial do Júri

Longa-metragem: Torre das Donzelas

Menção honrosa do Júri

Bixa Travesty, pelo posicionamento e impactante apresentação da dupla Linn da Quebrada e Jup do Bairro

Curta-metragem

Melhor filme (Prêmio Técnico Dot Cine): Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados

Melhor direção: Nara Normande (Guaxuma)

Melhor ator: Fábio Leal (Reforma)

Melhor atriz: Maria Leite (Mesmo com tanta agonia)

Melhor ator coadjuvante: Uirá dos Reis (Plano Controle)

Melhor atriz coadjuvante: Noemia Oliveira (Eu, minha mãe e Wallace)

Melhor roteiro: Reforma, Fábio Leal

Melhor fotografia: Mesmo com tanta agonia, Anna Santos

Melhor direção de arte: Guaxuma, Nara Normande

Melhor trilha sonora: Guaxuma, Normand Roger

Melhor som: Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados, Nicolau Domingues

Melhor montagem: Plano Controle, Gabriel Martins e Luisa Lana

Menção honrosa de atriz coadjuvante: Mesmo com tanta agonia, Rillary Rihanna Guedes

Júri Popular

Melhor curta-metragem (Prêmio Técnico CiaRio/Naymar): Eu, minha mãe e Wallace

Prêmio Especial do Júri

Curta-metragem: Liberdade

Prêmio Abraccine

Melhor Filme Curta Metragem: Mesmo com tanta agonia

Melhor Filme Longa Metragem: Los Silencios

Prêmio Conterrâneos

O outro lado da memória, de André Luiz Oliveira

Prêmio Técnico DOT Cine – Longa-Metragem

Temporada

Prêmio Marco Antônio Guimarães

O outro lado da memória, de André Luiz Oliveira

Prêmio Saruê

Linn da Quebrada e Jup do Bairro, por Bixa Travesty

Prêmio Técnico Canal Curta!

Bixa Travesty

Prêmio Aquisição Canal Brasil – Melhor Filme Curta Metragem

Mesmo com tanta agonia

Prêmio Técnico CiaRio/Neymar

Eu, minha mãe e Wallace

Prêmio Técnico DOT Cine – Curta-Metragem

Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados

Prêmio Zózimo Bulbul

Prêmio Zózimo Bulbul – Fest Filme Fest Uni

Impermeável Pavio Curto

Prêmio Zózimo Bulbul – Melhor Filme Curta Metragem

Eu, Minha Mãe E Wallace

Prêmio Zózimo Bulbul – Melhor Filme Longa Metragem

Ilha

Mostra Brasília

Prêmios do Júri Oficial

Melhor longa-metragem (Prêmio CiaRio/Naymar): New Life S/A

Melhor curta-metragem (Prêmio Aquisição Prime Box Brasil): Entre Parentes

Melhor direção: André Luiz Oliveira (O outro lado da memória)

Melhor ator: Murilo Grossi (New Life S/A)

Melhor atriz: As presidiárias do filme Presos que Menstruam, representadas por Naiara Lira

Melhor roteiro: Para minha gata Mieze, Wesley Gondim

Melhor fotografia: Entre Parentes, Alan Schvarsberg

Melhor montagem: A Praga do Cinema Brasileiro, Zefel Coff

Melhor direção de arte: O Outro Lado da Memória, Moacyr Gramacho

Melhor edição de som: Riscados pela Memória, Olívia Hernandez

Melhor trilha sonora: O Outro Lado da Memória, Vinícius Jibhajan

Júri Popular

Melhor longa-metragem (Prêmio Petrobras de Cinema e Prêmio Estúdio Plug In): O outro lado da memória

Melhor curta-metragem (Prêmio Técnico CiaRio/Naymar): Terras Brasileiras

Prêmio Petrobras de Cinema

O outro lado da memória

Prêmio Técnico Estúdio Plug.in

O outro lado da memória

Prêmio Técnico CiaRio/Naymar

Curta-metragem: Terras Brasileiras

Longa-metragem: New Life S/A

Prêmio Aquisição Prime Box Brazil

Entre Parentes

Mostra Caleidoscópio

Prêmios Caleidoscópio, Técnico VOD Tamanduá e Aquisição Prime Box Brazil

Os Sonâmbulos

Fest Uni

Melhor Direção Fest Uni

Flores, de Vado Vergara e Henrique Bruch (PUC/RS)

Melhor Filme Juri Popular Fest Uni

A casa de Ana, de Clara Ferrer e Marcella C. De Finis, da Universidade Federal Fluminense

Melhor Filme Fest Uni

Capitais, de Kamilla Medeiros e Arthur Gadelha, da escola Porto Iracema das Artes, do Ceará

Menção Honrosa Fest Uni

Um lugar ao sul, de Gianluca Cozza (Universidade Federal de Pelotas) e De vez em quando, quando eu morro, eu choro, de R.B. Lima (Universidade Federal da Paraíba)

Futuro Brasil

Prêmio Técnico Mistika, Prêmio Técnico Cinemática Audiovisual e Prêmio Técnico Cinecolor

Ontem havia coisas estranhas no céu, de Bruno Risas

Prêmios Ambiente de Mercado

Prêmio CineBrasil TV [pré-licenciamento]

Selvagem – Diego da Costa – Pietà Filmes

Prêmio Rio2C [2 credenciais]

Carolina, Conceição e nós todas – Gabriele Pereira – Space4

Nosso Amor de Hoje – Daniel Calil – Pira Filmes

Prêmio MIPTV [2 credenciais]

O Criador de Tudo  – Tiago Tambelli – Lente Viva Filmes

Prêmio Rotterdam LAB [1 credencial]

Passagem Esperança – Fernando Segtowick – Marahu Filmes

Prêmio Imersão Criativa na Chapada dos Veadeiros/GO

Ecos do silêncio – André Luiz Oliveira – ASACINE Filmes

 

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon