Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Professor Polvo: Doc indicado ao Oscar encanta com amizade improvável

A temporada de premiações está de volta! E com ela a tão aguardada lista de indicados ao Oscar 2021. Aos amantes da premiação, apostadores de bolão, cinéfilos e curiosos chegou o momento de sair loucamente atrás dos filmes e documentários indicados e assistir tudo.

Até a publicação desse texto eu já tinha assistido metade dos indicados, tirando as categorias de curta-metragem. Mas hoje venho falar sobre o documentário Professor Polvo (My Octopus Teacher), dirigido pelo cineasta sul-africano Craig Foster, e disponível na Netflix.

Esse é o terceiro indicado da categoria de documentários que vejo. Fiquei surpreso em vejo na lista e decidi assisti-lo para ver se merecia a vaga no lugar de alguns documentários que vi ao longo do ano que eu e muitos críticos apontavam como grandes favoritos a uma vaga na premiação do carequinha pelado dourado, entre eles: Dick Johnson is dead, Welcome to Chechnya e Atleta A.

Professor Polvo é bom?

Vamos a premissa de Professor Polvo. O documentário se passa no Cabo da Boa Esperança, litoral da África do Sul, onde o diretor Craig Foster passou toda infância. Frustrado com a vida, ele começa a mergulhar no mar em busca de uma reconexão com ele mesmo. Ao longo desses mergulhos ele descobre uma floresta subaquática, lá ele acaba encontrando um jovem polvo. Intrigado e curioso ele decide voltar todos os dias para observar o polvo, aos poucos ele começa a criar uma estranha amizade.

O que posso dizer? Eu não tinha muitas expectativas, e não sabia sobre o que se tratava a história. Em suma o documentário me surpreendeu positivamente.

Inicialmente me incomodou o fato de um homem, pai de família, decidir se reconectar e buscar um sentido da vida indo nadar. Fiquei pensando muito no que a esposa e os filhos teriam a dizer sobre essa empreitada do marido. Outro fato que me gerou questionamentos era a dedicação de Craig em ir todos os dias ao longo de um ano até o fundo do mar para observar um polvo.

Porém, aos poucos o espectador vai sendo envolvido pela narrativa e pela improvável amizade que surge entre o homem e o polvo. Quando vemos já estamos completamente mergulhados na trama e criando laços com Craig e seu amigo polvo.

A trilha sonora e o trabalho de fotografia são elementos fundamentais para criar expectativa e imergir o espectador naquele belo ambiente marinho. O trabalho de pós-produção, edição e mixagem de som conseguiu levar aos ouvidos do público o som de uma baleia, o toque dos tentáculos de um polvo e outros sons que nem imaginamos.

Professor Polvo é agradável aos olhos, tem uma narrativa cativante e que nos faz torcer pela amizade dos dois. Todos aqueles que tem ou tiveram um animal de estimação vai se encantar e sentir com Craig.

Além disso, o cineasta apresenta reflexões sobre como a natureza tem muito a nos ensinar e que precisamos estar mais conectados com ela. Vale a pena assistir Professor Polvo, mesmo sabendo que temos indicados mais fortes na categoria, os quais discutem questões sociais e extremamente relevantes.

Observação:

Já tem crítica sobre outros dois indicados na categoria de melhor documentário: Time e Crip Camp.

  • Professor Polvo
4.5
Sair da versão mobile