#ConexãoSundance: Violation - Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema
Violation - Festival de Sundance 2021

#ConexãoSundance: Violation

#ConexãoSundance: Crítica e análise do filme Violation.

Confira a cobertura do Festival de Sundance 2021 com resumos e críticas dos longas acompanhados pelo crítico Maurício Costa.

VEJA A COBERTURA COMPLETA DO FESTIVAL DE SUNDANCE AQUI!

Violation

O filme Violation não dá margem para fazer piadas. É um filme que pode disparar muitos gatilhos em quem sofreu algum tipo de abuso. Imagine uma mistura de “A Fonte da Donzela”, de Bergman, com “A Vingança de Jennifer”.

A grande marca do filme Violation é a construção do drama psicológico decorrente do abuso. O primeiro ato do filme constrói a relação entre as pessoas e suas personalidades. No segundo ato, o abuso acontece. O terceiro ato trabalha com as consequências do que aconteceu.

O diretor e a diretora, que também é a atriz principal, disseram que sofreram abuso, e isso marca muito porque tem uma cena muito forte no filme, altamente emocional, em que o espectador sente a realidade da protagonista se partindo: dá pra perceber a catarse da própria atriz naquele momento, não como personagem mas como ser humano exorcizando seus demônios.

Violation tem um trabalho de fotografia muito bonito. Ele é concentrado mais nos quatro atores principais e leva para o terceiro ato que é de um peso psicológico muito grande. Se você gosta de Lars Von Trier e Thomas Vinterberg pelos temas, você vai gostar do filme. Mas não há exploitation: o filme faz uma exploração apenas do peso psicológico do abuso e da vingança, e nos coloca para refletir muito sobre a nossa forma de ver as coisas e de agir em relação às vítimas. Como a gente se vê nas escolhas que fazemos nos relacionamentos. Principalmente, o filme nos deixa boquiabertos.

Nota: 5 / 5

Sinopse e Ficha Técnica:

O casal em crise Miriam e Caleb recebem a irmã um pouco distante de Miriam e seu marido Dylan em um chalé à beira do lago para descansarem e se reconciliarem. Ao se sentir rejeitada nas tentativas de se conectar com Greta e Caleb, Miriam procura abrigo no conforto da amizade com o agradável Dylan. Depois de um ato transgressivo de violência sexual, a narrativa do filme se transforma completamente, desorientando o público ao mesmo tempo em que o conecta com Miriam e sua busca por vingança.

Direção: Madeleine Sims-Fewer, Dusty Mancinelli
Roteiro: Madeleine Sims-Fewer, Dusty Mancinelli
País: Canadá
107 min

Participam da cobertura do Festival de Sundance 2021 os seguintes sites e canais: Razão:de:AspectoCinem(ação)Getro.com.br e Wanna be Nerd.

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon