Trash Freak #1: Ensaio sobre tubarões voadores ou a arte de se fazer um desastre engraçado - Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema
Trash Freak

Trash Freak #1: Ensaio sobre tubarões voadores ou a arte de se fazer um desastre engraçado

 

O que aconteceria se nós misturassemos o roteiro de Twister (1996) com algum filme bem ‘Lado B’ sobre tubarões… algumas cenas de conflito totalmente superficiais entre pais e filhos da “novelinha teen” Malhação, efeitos especiais do naipe dos Power Rangers e várias piadas de um pastelão genérico… Acredite alguém levou a sério essa proposta e criou o maior clássico trash da década…

Em 2013, o canal Syfy presenteou a humanidade com Sharknado, um telefilme que prova, entre outras coisas, que existem mais tubarões na costa do México que toda a população da China e que eles podem sair do mar, pegando carona num grande tornado, e te atacar enquanto você está tomando banho, cozinhando ou lendo essa coluna. 

Diria eu que o diretor Anthony Ferrante e o roteirista Thunder Levin criaram um gênero novo para histórias de cinema: o Apocalipse-Tubarão. Por mais bizarro que pareça, esse novo gênero cinematográfico tem tudo para prosperar. No que depender da programação do canal Syfy, o Apocalipse-Tubarão vai se tornar mais pop que o Apocalipse-Zumbi iniciado por George Romero, no clássico ‘‘A Noite dos Mortos-Vivos’’ (1968)

Sharknado tem tudo que um filme podrão precisa ter: efeitos especiais toscos, explosões à lá seriados japoneses dos anos oitenta, diálogos sem sentido algum e atuações que merecem menções honrosas na premiação do Framboesa de Ouro. Um destaque para as atuações de Cassie Scerbo e para Tara Reid, a eterna Vicky da série American Pie (1999), que continua muito linda, mas permanece sem aptidão artística para trabalhar seriamente atuando com atriz.

De tão ruim, Sharknado vai ficar guardado na sua memória afetiva e será sempre lembrado toda vez que você pensar em assistir uma película sobre tubarões. Seus básicos erros de continuidade te levarão a rir sozinho quando você estiver assistindo aquele documentário chato sobre vida marinha no Discovery.

O final sdownloadurreal onde o protagonista munido de uma motosserra sai de dentro da barriga de um tubarão, com a mocinha em seus braços, vai ficar impregnado na sua memória eternamente tal qual o suspense Tubarão de Steven Spielberg ou o desenho Tutubarão de William Hanna e Joseph Barbera.Aguardemos ansiosamente para que Holywood faça um reboot desse clássico para os cinemas com toda pompa que ele merece. Com Vin Diesel e Robert Pattinson como protagonistas, mas sem esquecer da musa Tara Reid que é a alma da produção e tão importante para série quanto o tornado de tubarões-tigre da Califórnia.

 

 

 

[contact-form-7 404 "Não encontrado"]

 

Deixe seu comentário