Mês dos Beatles - The Beatles no Cinema - Cinem(ação)
Beatles

Mês dos Beatles: The Beatles no Cinema

Pra começar esse mês especial vamos visitar a carreira da banda no cinema!

The Beatles é a banda mais importante e influente do mundo musical. Os quatro garotos de Liverpool influenciaram a música como nunca antes havia se visto. E a verdade é que essa influência não se restringiu a música, os Beatles influenciaram inclusive o cinema! Sim, os Beatles influenciaram a sétima arte! Foram apenas 5 filmes, mas o suficiente para poder colocar sua marca na história cinematográfica.

Quer saber mais? Então vamos lá nessa viagem musicalmente cinematográfica!

A Hard Day’s Night (1964)

O primeiro filme dos garotos de Liverpool já chegou entrando pra história. Dirigido por Richard Lester A Hard Day’s Nigth, que no Brasil ganhou o nome de Os Reis do Iê Iê Iê, foi lançado em 1964 no auge da Beatlemania. No filme acompanhamos um dia na vida dos Beatles.  Buscando descansar das atribulações do estrelato, John, Paul, George e Ringo decidem quebrar as regras durante 24 horas, driblar as fãs, deixar seus compromissos, ignorar suas obrigações e saborear a liberdade.

O filme, como era de se esperar, foi um grande sucesso de público e acabou sendo indicado a 2 Oscars, Melhor Roteiro Original e Best Music, Scoring of Music, Adaptation or Treatment (algo como Melhor Trilha Sonora Adaptadada). Mas não foi só por esse motivo que o filme entrou para história. A Hard Day’s Night se tornou um dos precursores do mockumentary, o chamado falso documentário. Afinal o filme foi realizado no formato de documentário, mas o que vemos em cena em grande parte é ficção.

Outro fato histórico que faz do filme uma produção marcante é a criação do videoclipe para divulgação de músicas. Isso porque, o filme se tornou peça fundamental para a divulgação das músicas apresentadas na produção. Após o filme, inclusive foi lançado um álbum de mesmo nome que vendeu no mundo todo 6,2 milhões de cópias e trás as clássicas If I Fell, Cant’t Buy Me Love, And I Love Her, A Hard Day’s Night e vários outros sucessos dos Beatles.

Além de toda a importância para o cinema, sendo um dos precursores dos mockumentary, e da importância musical, sendo o precursor dos videoclipes, o filme tem outra importância histórica. Ele retrata como ninguém o que foi a beatlemania, fazendo um registo histórico do que foi a passagem dos Beatles no mundo da música. Além disso, o filme faz um excelente registro histórico do que foi o rock’n roll e da música pop nos anos 60. Ou seja, A Hard Day’s Nigth é obrigatório para os fãs de cinema, música e é claro dos Beatles.

Help! (1965)

1 ano após o sucesso de A Hard Day’s Night, os Beatles se juntaram novamente com Richard Lester em mais um filme para divulgar suas músicas. Em Help! Ringo Starr possui um anel desejado por membros de um culto indiano e estes iniciam uma perseguição atrás do objeto. Após diversas falhas no roubo do anel, o grupo confronta Ringo em um restaurante indiano. O cantor decide devolver o anel para evitar que sua vida esteja em perigo, mas descobre que a jóia está presa em seu dedo. Com a ajuda de seus colegas da banda The Beatles, John, Paul e George, o artista inicia uma corrida contra o tempo.

Sim, essa é uma história surreal. Mas não é a mais surreal dos Beatles. Esse é um filme de perseguição surreal, muito devido a algo que os Beatles falaram anos depois. Segundo os eles, o grupo estava experimentando a maconha ao mesmo tempo em que o filme foi gravado. Essa é uma das explicações para a falta de sentido de algumas falas e da surrealidade do filme.

O filme foi um sucesso de publico, afinal na década de 60 tudo o que os Beatles colocavam a mão virava ouro. Mas diferente do seu antecessor, Help! não é um grande filme assim. Embora tenha conseguido duas indicações ao BAFTA de Melhor Fotografia Colorida e Melhor Figurino Colorido na categoria Inglesa, o filme não é das melhores produções já realizadas, ainda mais pelos Beatles, mas também não é a pior.

Help! é bem divertido, mas vale mais pelo saudosismo e pelas músicas do que pelo filme em si. Assim como em seu antecessor, a produção ganhou uma trilha sonora que vendeu 3,5 milhões de cópias mundo a fora. No filme aparecem os clássicos Help!, Ticket To Ride e You’ve Got To Hide Your Love Away, que estão no lado A do álbum. No lado B têm os clássicos Yesterday e I’ve Just Seen a Face, mas não aparecem no filme. Mesmo não sendo uma grande obra de arte, vale muito a pena ver os garotos de Liverpool em alta forma musical!

Magical Mystery Tour (1967)
beatles

2 anos se passaram e os Beatles voltaram a protagonizar um filme. Mas dessa vez, eles não passaram pelas telonas. Magical Mystery Tour foi um filme feito para a TV. Dirigido pelo quarteto juntamente com o diretor inglês Bernard Knowles. O filme foi feito para ser exibido no canal da BBC na Inglaterra e foi lançado no dia 26 de dezembro de 1967.

Gravado no auge da psicodelia dos Beatles, a história gira em torno de Ringo Starr e sua tia Jessie, que adquirem bilhetes para um passeio (tour) em um ônibus, sem um roteiro conhecido pelos passageiros, mas considerado mágico e misterioso pelos seus organizadores Magical Mystery Tour. Neste passeio estão todos os Beatles e figuras pitorescas, inclusive uma criança, a jovem Nichola. Durante o roteiro turístico, mágicos (protagonizados por John, Paul, Ringo e George, além de Mal Evans) intervêm no passeio, criando situações inusitadas e algumas vezes pitorescas.

Diferente dos filmes anteriores, que teve críticas boas no caso de A Hard Day’s Night e críticas mistas no caso de Help!, filmes que inclusive foram indicado a prêmios importantes, Magical Mystery Tour foi uma grande decepção. O próprio Paul McCartney se desculpou pela produção. De acordo com os críticos da época os maiores problemas do filme foram: o excesso de piadas internas que só os quatro entendiam e a falta de um roteiro melhor. E embora tenha sido extremamente criticado e tido a sua segunda exibição cancelada, o filme foi um dos precursores do humor non-sense, que tem como principal nome, o também inglês, Monty Python que só foi surgir 1969 quase dois anos após o lançamento do filme.

Assim como seus antecessores, Magical Mystery Tour teve uma trilha sonora que foi um grande sucesso. O álbum vendeu 7,3 milhões de cópias no mundo todo. Das tocadas no filme e inéditas a que ganhou maior destaque foi I Am the Walrus e Hello Goodbye, que aparece nos créditos. Mas o filme ainda teve as já conhecidas She Loves You e All My Loving em uma versão orquestrada. Já o álbum em seu lado B têm as clássicas Strawberry Field Forever, Penny Lane e All Need Is Love, essas estão apenas no álbum Magical Mystery Tour mas não estão no filme.

Magical Mystery Tour é com certeza o ponto mais baixo da carreira dos Beatles em sua carreira cinematográfica. É de longe o filme mais estranho do quarteto e vale mais pela música do que qualquer outra coisa. Mas mesmo assim, com um filme bem aquém de seus antecessores, a banda conseguiu o feito de se tornar os precursores do humor non-sense. Ou seja mesmo sendo “ruins” os Beatles mudam a história! Só eles mesmos!

Yellow Submarine (1968)
beatles

No ano seguinte ao fracasso de Magical Mystery Tour, os Beatles voltaram aos cinemas. Mas diferente de seu antecessor, o filme foi um grande sucesso de público e crítica mundial. Yellow Submarine, dirigido por George Dunning, foi um marco no cinema e na carreira dos Beatles. E olha que o filme quase nem teve total apoio da banda, e hoje é um dos mais icônicos e lembrados trabalhos da banda.

Os bastidores do filme são tão interessantes quanto o filme. Em 1964 os Beatles fizeram um contrato para 3 filmes no cinema. Veio então A Hard Day’s Night e Help!, e faltava o 3º filme. A produtora queria fazer uma animação, para isso contrataram os mesmos criadores da série animada dos Beatles de 1965. Mas em 1968 a banda estava em outro momento! Eles já tinham lançados os icônicos Revolver, Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band e o The Beatles (o famoso álbum Branco) e estavam se preparando para gravar Abbey Road. Eles não estavam a fim de fazer uma animação porque imaginavam que seria algo infantil, como a série animada de 1965. Então falaram para o produtores: ‘Vocês podem fazer o que quiserem, não vamos nos envolver, podem usar as músicas e faremos algumas originais para o filme, vamos nos envolver o mínimo possível’. E assim foi feito, tanto que os dubladores dos personagens não são os Beatles. Os produtores, roteiristas e o diretor usaram as músicas dos Beatles de diversas épocas e as novas músicas. Quando o filme ficou pronto e foi apresentado para a banda, eles adoraram, viram que era completamente diferente do que imaginavam e quiseram se envolver de alguma forma. A ideia inicial seria fazer um final psicodélico, cheio de luzes e cores transformando os personagens do desenho nos Beatles. Mas o orçamento havia estourado, e a cena final teve de ser reescrita para uma cena simples da banda num fundo preto vestidos de preto fazendo algumas piadas.

O filme conta a história de Pepperland, um paraíso quase terrestre que fica a 80 mil léguas no fundo do mar – uma terra quase sem inverno, onde a brisa leva a toda parte o som da música e das risadas e onde ninguém sente-se só, pois a Banda do Sargento Pepper está sempre tocando a sua música. Até que um dia o Líder dos Maldosos Azuis, que detestava todo tipo de música, decide varrer Pepperland do mapa, deixando-o sem cor e sem som. Um dos habitantes de Pepperland, consegue escapar e entra em um submarino amarelo e chega em Liverpool, onde encontra os Beatles e pede ajuda a eles. Os 5 entram no submarino amarelo e começam uma verdadeira odisseia passando por todos os mares, ao som das músicas dos Beatles rumo a Pepperland para salvar a terra dos Maldosos Azuis.

Cheio de músicas de sucesso dos Beatles, e com algumas musicas feitas para o filme, Yellow Submarine se tornou um marco da psicodelia no cinema. O filme foi inovador para animação e ainda é mesmo hoje. Inclusive Jhon Lassester, o ex-todo poderoso da Disney/Pixar, disse que “abrir caminho para um mundo fantasticamente diverso da animação do qual desfrutamos hoje”. Já Josh Weinstein, escritor de Os Simpsons, disse que o filme “deu à luz a animação moderna”; sem ele – e seu humor subversivo – não teríamos os famosos desenhos de South Park, Toy Story ou Shrek.

Ou seja, o surreal mundo psicodélico de humor subversivo de Yellow Submarine mudou a história do cinema e das animações! Mais uma prova que Beatles conseguiram fazer história na música e no cinema!

Ainda em tempo a Darkside lançou uma versão em quadrinhos de Yellow Submarino que está a venda no site da editora.

Após Yellow Submarine, o 5º filme foi Let It Be, que completa 50 anos nesse mês de maio e ganhará um texto pra chamar de seu!

Mas não poderia deixar de falar da série animada dos Beatles. De 1965 a 1969 a série foi exibida pelo canal inglês ABC. Nos episódios vemos o quarteto vivendo várias aventuras, em episódios que tem suas músicas como tema. Embora tenha os Beatles como personagens principais, tenha suas músicas e os personagens representem bem as suas características, a banda não se envolveu na produção da animação. No Youtube existem alguns episódios da animação (a maioria se encontra bloqueada no Brasil), mas estão sem legendas em português, embora existam alguns episódios legendados em espanhol. Dá para se ver que são bem infantis e faquinhos, mas são bem divertidos. Como você pode conferir abaixo.

Então é isso amigos! Essa é participação dos Beatles no Cinema! Mas essa viagem não para por aqui, logo mais falaremos do 5º e “último” dos Beatles. Até lá!

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon