Crítica: Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro (2018)
Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro

Crítica: Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro (2018)

Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro é o segundo filme do trio de roteiristas Fabrício Bittar (diretor também), Andre Catarinacho e Danilo Gentili (que protagoniza o longa). Tal qual Como se Tornar o Pior Aluno da Escola, duas máximas se mantém: o tema escolar e o humor besteirol, ambos não são problemas ou méritos a priori. O como são tratados é que nos importa. Aqui, há outro elemento a mais: um terror trash, este por sinal muito bem realizado.

O longa bebe, de modo explicito (o que é ótimo), na fonte de Os Caça-Fantasmas. Ao invés de vários fantasmas o foco é o que vemos no título: a lenda da loira do banheiro. Pra quem não conhece é uma entidade que aterroriza o ambiente depois de ser invocada a partir de um ritual simples (dar descarga, bater na porta e chamar o nome dela).

A nossa trupe, encabeçada por todo o time principal do programa The Noite (Leo Lins, Murilo Couto e o Danilo, além da também humorista Dani Calabresa), é um bando de picaretas que tentam viralizar no Youtube com programas justamente de caçar entidades sobrenaturais, mas por “sobrenaturais”, leiam falcatruas forjadas pela própria equipe. Até que se deparam com a loira do banheiro, esta uma ameaça mais palpável…

Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro tem dois focos claros: o humor e como já adiantamos o terror. Por ter tantas figuras que fazem humor de excelência seria natural as piadas manterem o nível. Contudo, a exemplo da autora do Harry Potter que é uma escritora de livros ótima, mas como roteirista de filmes deixa a desejar, o viés cômico aqui soa bem bobo  – em parte era essa a ideia, mas isso enfraquece o longa.

Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro

Há muitas piadas internas que fazem sentido para quem conhece os atores, tal easter egg não atrapalha o andamento. Durante os créditos finais há boas referências para quem gosta do mundo televisivo e o momento é bem encaixado na trama e dá pra fazer esse tipo de gracinha. Há também uma cena pós-créditos, esta mais fraca, e que cai em um nível de exposição que duvida da inteligência do público. Parece que não confiam na própria piada e precisam explicá-la.

Quando apostam no gore a coisa muda de figura. Apesar de não ser assustador, e o humor atrapalha a criação desse ambiente de medo, os efeitos e a maquiagem funcionam muito bem. Desde as coisas e pessoas que a entidade incorpora, até a “bagunça” que os cenários ficam tudo convence, dentro da proposta mais trash. Foi uma gratíssima surpresa a qualidade nesse sentido e a equipe técnica merece todos os elogios.

Ainda no terror, como eu disse, Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro não tem o objetivo de te deixar sem dormir (talvez para os sensíveis ao gore), mas vale falar do mais banal dos recursos: o jumpscare. Como apontou o Leonardo Miotti do Portal Refil, a ferramenta é usada de modo previsível, porém consegue a proeza de nos pegar. Talvez por a gente subestimar a cena ela nos dá uma volta e funciona (eu cai em pelo menos 2).

O longa possui muitos personagens. Naturalmente há um desequilíbrio, por exemplo, o arco do Antônio Tabet tem o viés metalinguístico. O personagem junto com uma professora estão lá para uma gag e fica muito solta. Já os personagens principais têm características monotônicas, porém funcionais. Quem exigir uma profundidade dramática terá problemas.

Por falar nisso, pesa contra o nível de atuação. Nos palcos dos show e programas essa galera domina para encenar (mesmo que em certa medida já o façam no programa) deixam um pouco a desejar. Quando precisam ser “retardados” fazem bem e isso não é ofensa, a proposta era justamente esta. Quando é necessário um diálogo um pouco mais sério ou até expressões de medo, aí não atingem o básico. Ainda assim relevável dado o tom geral.

Vale o resgate de como terminei o texto do Como ser Tornar o Pior Aluno da Escola: “A ideia é melhor que a execução. (…) Piadas pontuais e boas referências não sustentam o todo, ainda assim, Como se Tornar o Melhor Aluno da Escola é melhor que muitas outras comédias nacionais de 2017.”. E é justamente esse o mérito de Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro ser melhor que muitas comédias nacionais deste ano (e aqui com o bom elemento terrir).

Ficha técnica: 

Direção: Fabrício Bittar
Roteiro: Fabrício Bittar, Andre Catarinacho, Danilo Gentili
Elenco: Danilo Gentili, Leo Lins, Murilo Couto, Dani Calabresa
Nacionalidade e lançamento: Brasil, 29 de novembro de 2018

  • Nota Geral
3

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon