CRÍTICA: LAS LEYS DE LA TERMODINÁMICA (ORIGINAL NETFLIX) - Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

CRÍTICA: LAS LEYS DE LA TERMODINÁMICA (ORIGINAL NETFLIX)

Las leys de la termodinámica é uma tragicomédia inteligente sobre relacionamentos.

Ficha Técnica
Direção: Mateo Gil
Roteiro: Mateo Gil
Elenco: Vito Sanz e Berta Vásquez.
Censura: 14 anos
Nacionalidade: Espanha, 2018.

 

Já imaginou descobrir sobre Leis da Física de forma simples e divertida aplicada a relacionamentos? Imagino que não. Mas é o que Las Leys de la termodinámica propõe. Isso mesmo! O protagonista Manel é um astrofísico que está escrevendo uma tese e aplica os conceitos de Termodinâmica aos relacionamentos amorosos dele. E acredite: funciona muito bem como recurso narrativo.

Com “Las leys de la termodinámica“, Mateo Gil ganhou como melhor diretor a premiação “Knight Competition Grand“.  Também dirigiu Mar a dentro” (2004), um dos filmes mais famosos sobre o dilema da eutanásia.

Aqui temos um enredo original, divertido, nada piegas, nada clichê. Os diálogos são verdadeiros e “pés no chão”, permitindo rápida e facilmente a nossa imersão naquele universo. A velocidade com quem passamos a nos importar com o protagonista é diretamente proporcional à preocupação quanto à sorte dele nos caso amoro em tela.

A cada episódio amoroso de Manel, temos uma explicação de um conceito da Física. A mistura de emoção e razão é equilibrada, divertida, sincera e nos faz caminhar por um quebra-cabeças cujas peças montam uma trama de uma perspectiva inovadora, peculiar.

 

 

O longa apresenta metáforas visuais muito precisas. A câmera mostra em objetos e gráficos o que a personagem sente, pensa ou deseja. Tudo encaixado e com tempo de tela em perfeita sincronia com a narrativa e a sensação ali apresentada.

O enredo avança no tempo, volta, para, adianta-se novamente, regride. E o espectador não perde nenhuma informação. Nada passa desapercebido. E ainda que nós já saibamos o resultado do produto, queremos ver como a conta foi feita.

 

 

A montagem do filme é perfeita. Utiliza-se de de cenas sobrepostas (ou lado a lado) para ironizar e brincar com as relações amorosas, em como elas podem ser repetitivas. O diretor brinca com o presente e o passado das personagens mesclando cenas de namoros do passado, do presente e ao mesmo tempo com o futuro.

Temos uma tragicomédia sutil, simples e bastante realista. A parte de conceitos da Física aplicada aos relacionamentos é ilustrativa e utilizada como recurso irônico, mas bastante pontual.

Las leys de la termodinámica tem 1h40m de humor e drama em doses certas. É inovador na forma de refletir sobre relacionamentos e mescla o gênero de Documentário com Ficção.

Se você tem interesse em filmes sobre relacionamentos, já coloque na sua lista estes dois:

Clique aqui para saber sobre Newness, um filme sobre poligamia.

E clique aqui para Kiki, um filme muito divertido sobre fetiches. 

Ah, temos uma material mais que especial sobre os principais livros eróticos da Literatura Clássica mundial. Clique aqui para ver quais são eles.

Até a próxima!

5

Resumo

Las leys de la termodinámica tem 1h40m de humor e drama em doses certas. É inovador na forma de refletir sobre relacionamentos e mescla o gênero de Documentário com Ficção.

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon