CRÍTICA: KIKI - OS SEGREDOS DO DESEJO (2017)

CRÍTICA: KIKI – OS SEGREDOS DO DESEJO (2017)

Kiki – Os segredos do desejo é uma tragicomédia sensual da vida privada. Vale a pena conferir!

Ficha Técnica
Direção: Paco León
Roteiro: Josh Lawson
Elenco: Álex García, Natalia de Molina, Paco León
Censura: 16 anos
Nacionalidade: Espanha, 2016.

 

Tirem as crianças da sala! Em Kiki – Os segredos do desejo” acompanhamos a tragicomédia da vida sexual de quatro casais sem relação entre si. Temos como linha de tensão os fetiches das personagens e os segredos eróticos que elas guardam.

A frase “Não somos livres nas nossas atitudes porque não somos livres nos nossos desejos” da série Dark (embora em outro contexto) cabe perfeitamente para as vidas que acompanhamos em Kiki. Ao longo da narrativa, as personagens percorrem um caminho de (re)descoberta da própria natureza e dos(as) parceiros(as) com os(as) quais se relacionam.

Não vou descrever os fetiches das personagens porque conhecê-los durante o filme faz parte das situações cômicas às quais somos apresentados. Em Kiki, com perdão do trocadilho, o roteiro pula as preliminares e vai direto ao ponto, sem enrolação, mesmo assim proporciona muito prazer e boas risadas (algumas constrangedoras?).

 

Os diálogos sobre sexo e o vocabulário usado para criá-los são de extrema naturalidade. Isso proporciona carisma e imediata empatia com as personagens. Ainda que elas tenham pouco aprofundamento, é rápida a imersão do espectador na vida delas.

Destaque especial para a cena em que uma intérprete traduz as fantasias eróticas de um surdo-mudo. É memorável.

São protagonistas plausíveis, comuns e com dilemas peculiares. É quando temos a tragicomédia em tela, afinal, são risíveis e, ao mesmo tempo, dramáticas as indagações, acompanhadas de medos, traumas e desejos à flor da pele. Pode ser que você ache um tanto quanto exageradas algumas situações, mas combinam bem com a proposta do filme desde a primeira cena, a qual é excelente.

 

Alias, se você se interessa pela tema, sugiro que assista ao filme Newness, que trata de situações parecidas, mas num teor mais dramático, profundo e bem atual para os dias de hoje. É um belo filme! Ah, tanto Kiki como Newness estão disponíveis na Netflix.

Caso você goste do assunto, clicando aqui você pode ver uma seleção de livros clássico sobre literatura erótica.

Clique aqui para ver três obras literárias sobre relacionamentos.

Veja aqui mais sobre Newness.

Até a próxima!

  • Nota Geral
4

Resumo

Kiki é um filme que se diverte com temas sérios e que podem ser considerados tabu. Vale a pena conferir.

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon