Velozes e Furiosos: Uma Aventura no Espaço - Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Velozes e Furiosos: Uma Aventura no Espaço

Para quem brincava que a próxima etapa do filme Velozes e Furiosos seria o espaço, acertou! Com personagens diferentes e ao invés de carros, espaçonaves, Han Solo: Uma Aventura Star Wars veste a carapuça e entra na competição dos holofotes contra Vin Diesel, The Rock e cia.

Venhamos e convenhamos, ninguém parece tão dono do mundo pilotando um carro quanto o careca fortão, e o ator Alden Ehrenreich provavelmente pegou algumas dicas com Vin de como parecer “badass” atrás dos volantes e tentou levar isso para o manche da Millenium Falcon. Afinal, é nisso que se resume o filme. Tiro, porrada, bomba e drift no espaço (literalmente).

Como a Disney comprou a Fox, imaginei que a franquia Velozes e Furiosos seria substituída ou revitalizada, mas não tão rápido.

Eu fiquei muito feliz quando saiu o anuncio de compra da LucasFilm – antiga detentora dos direitos da franquia Star Wars, criada por George Lucas – por parte da Disney por dois motivos, afinal, dezesseis anos de espera de uma trilogia para a outra é demais e a Disney – atual dona de estúdios como Marvel e Pixar – sabe fazer filmes e, principalmente, tem dinheiro para tal. No entanto, um filme por ano talvez esteja desgastando a franquia.

“Quando éramos crianças, estes filmes chegavam até nós vindos de uma galáxia distante. Eles eram como um presente.”

Colin Trevorrow

Essas foram as palavras do diretor demitido do Episódio IX, Colin Trevorrow e resumem exatamente meu sentimento acerca da franquia. Alguém ainda sente o friozinho na barriga, fica ansioso e se arrepia ao ver as letras amarelas voando na tela? Para mim essa sensação passou após o episódio VII. Curti o fato de o personagem principal ser uma mulher. Trouxe mais folego e força à estória e me deixou ansioso para o episódio VIII.

Um ano depois, de brinde, veio Rogue One, que costurou os eventos do episódio três e quatro e foi bem feito (apesar de que já indicava a vontade de inserir muito tiro, muita porrada e muita explosão, foi feito de maneira comedida). Em 2017 a Disney entrega o episódio VIII, já sem tanto folego, não teve a mesma graça. NÃO DEU TEMPO DE SENTIR SAUDADES!

Agora, Han Solo, é quase vergonhoso. Parece qualquer filme, de qualquer franquia cujo estúdio lança para fazer alguns milhões de dólares e nada a mais.

NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃO! STAR WARS NÃO PODE SER TRATADO DESSA MANEIRA! Eu não me considero grande fã da franquia, muito menos entendedor do universo citado, mas aprendi a ter respeito pelos filmes, ao observar o amor e o carinho que os fãs mais velhos têm por eles. Star Wars é sobre política, lutas por ideais, estratégia, exploração de massas, desigualdade social, tecnologia, humildade (ensinamento Jedi) e tantas outras coisas. Por favor, alguém cite UM ponto desses que estava presente no filme?

Talvez fosse melhor ter mantido os direitos com a LucasFilm e preservar essa obra que marcou gerações ao invés de desgastar a franquia e afunda-la como fizeram com Piratas do Caribe (o primeiro foi muito bom), Velozes e Furiosos (o primeiro foi muito bom), Onze Homens e Um Segredo (o primeiro e o segundo foram bons), entre outros.

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon