Filmes ajudam na Venda de Livros?

Filmes ajudam na Venda de Livros?

Temos aqui no Cinem(ação) um artigo sobre a relação entre Filmes e Livros, e já que temos visto muitas películas com roteiros baseados em livros, neste texto vamos analisar se o Cinema tem ajudado na venda de obras literárias adaptadas para as telonas nos últimos três anos.

Em comparativo, a venda de livros no Brasil apresentou queda de -7,5% de 2014 para 2015. No ano seguinte, o volume de vendas caiu em -8,93%. Para o final de 2017, haverá aumento das vendas, pois a comparação mês a mês de 2016/17 mostra aquecimento no mercado e as vendas em volumes aumentaram 4,47% em comparação a 2016. Isso sem contar os dados da Black Friday, que ainda não estão na conta.

Vejamos a venda de alguns títulos…

O livro Como eu era antes de você terminou o ano de 2015 em 10° lugar entre os mais vendidos de ficção com 34.033 mil cópias. Com a adaptação para o Cinema em 2016, a obra foi para o primeiríssimo lugar batendo 352.330 mil cópias e ainda trouxe a continuação Depois de você em segunda colocação com 228.073 unidades vendidas. Esse é um caso clássico em que o Cinema impulsiona a corrida às livrarias para ter contato com a obra literária e, nesse caso, também a continuação do livro, fazendo a autora dominar os dois primeiros lugares de 2016.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Já o livro It: a coisa não teve o mesmo sucesso de venda. Antes do filme de 2017, a obra não aparecia entre as 20 mais vendidas. Mesmo com o filme, o livro de Stephen King teve 27.411 mil unidades vendidas, aparecendo em 10° lugar até o momento. Alguns pontos podem explicar a baixa venda: o título é o mais caro de todos aqui citados, é o maior em número de páginas e o mais antigo, lançado em 1986.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2017 não foi mesmo promissor para o mercado das adaptações literárias. Até este momento, as vendas das obras adaptadas estão bem abaixo em comparação a anos anteriores. Tanto que o mais vendido nesse critério é Depois de você (lançado lá em 2015). O livro Quatro vidas de um cachorro em 2016 apareceu em 15° lugar com 19.650 cópias e agora em 2017 tem 62.702, vendas que certamente aumentaram por causa do filme lançado neste ano de 2017. Apesar de o ano já está acabando, pode ser que o livro Extraordinário, 50.837 mil vendas até o momento, ultrapasse os dois citados.

 

 

Uma surpresa, para mim, foi o livro Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares. O título foi adaptado para o Cinema em 2016 e vendeu 133.776 mil volumes. Ficou atrás de Como eu era antes de você e a continuação dele. Eu acreditava que as crianças peculiares dominariam as vendas, pelo público maior que o enredo abraça e por causa das edições ilustradas que acabam atraindo mais fãs.

Um caso singular é A garota no trem. Apenas foi adaptado para as telonas em 2016, mas o livro aparece sempre entre os 15 mais vendidos desde 2015 e se mantém na lista em 2017. Na minha perspectiva, é a melhor adaptação, roteiro e atuação entre todos os aqui citados. A venda não é baixa, mas esperava posicionamento melhor.

O livro Cinquenta Tons de Cinza ganhou filme em 2015. Nesse ano, o livro ficou em 6° lugar entre os mais vendidos com 43.096 de cópias. Nos dois anos seguintes, o romance não entrou na lista dos 20 mais vendidos. A continuação Cinquenta tons mais escuros ganhou filme em 2017, mas o livro não figurou entre os 20 mais vendidos deste ano nem em 2016, havendo venda significativa apenas em 2015, na onda do primeiro livro, com 36.443 mil cópias.

 

 

Agora, chama à atenção o livro Grey , obra em que a autora da trilogia Cinquenta Tons reconta o primeiro livro pelos olhos do protagonista. Essa obra ficou em 1° lugar dos mais vendidos em 2015 com 174.796 de cópias, caiu para 4° lugar em 2016 com 99.008 de cópias e para 14° lugar em 2017, com 15.221 volumes vendidos. Curioso que os livros cujos nomes foram para o cinema venderam menos que Grey

(Aliás, se você gosta de livros mais “calientes” e quer ler mais, pode clicar aqui para conhecer 3 clássicos da literatura erótico-sexual bem mais “requintados” que o Cinquenta Tons.)

Em 2015 e 2016, os livros que foram adaptados para o Cinema lideraram as vendas do gênero ficção impulsionados pelos cinemas, algo que não aconteceu em 2017. A chegada do livro Origem, relacionado aos best sellers de Dan Brown, ajudou a tirar dos primeiros lugares os títulos adaptados. Mesmo sem o Origem, muitos outros títulos aparecem na frente dos romances que foram adaptados, fazendo de 2017 um ano atípico nesse perfil do mercado.

Para o próximo ano, o fenômeno das adaptações continuará e clicando aqui você pode se antecipar e conhecer mais 3 livros que vão ser adaptados para as telonas.

Os dados das vendas dos títulos foram retirados do site: http://www.publishnews.com.br/
Os comparativos de vendas dos anos estão disponíveis aqui: http://www.snel.org.br/levantamento-mensal/

Até a próxima!

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

  • Lucas Albuquerque

    Será que esse fenômeno de vendas também tem reflexo nos quadrinhos? Imagino que as HQs de deadpool e guardiões da galáxia tiveram um aumento de 1000% depois dos filmes. Ou mesmo arcos como Guerra Civil ou Ragnarok…Ou será que os fãs do cinema não migram para as páginas de heróis?

  • Bruno Luiz

    O Deadpool, antes do filme, era personagem que aparecia nas revistas de outros heróis, apenas como coadjuvante. Hoje, nas bancas, ele tem pelo menos uns 4 títulos solo. Guerra Civil sempre foi sucesso nas hqs, o filme só confirmou o forte mercado do título. Já o Ragnarok apareceu como arco por vários artistas e roteiristas, sempre muito bem quisto pelos fãs dos gibis, os quais, eu acho, não curtiram muito o filme.

  • Lucas Albuquerque

    Mas tanto no Guerra Civil quanto no Ragnarok, arcos famosos, imagino que possa ter um aumento na procura

  • Pingback: Livros mais vendidos 2017 – O Miguilim()