Crítica: Jovens Adultos

Crítica: Jovens Adultos

Diablo Cody é roteirista e uma daquelas talentosas. Para se ter uma ideia, o seu primeiro roteiro já foi vencedor do Óscar de Melhor Roteiro Original, e o filme foi nada mais, nada menos que “Juno”, um dos filmes mais autênticos já feito nos últimos anos.

“Juno”, se destacou na imprensa justamente por ser um filme forte e muito bem escrito, tinha muitas virtudes em termos de narrativa e isto levou Diablo a um patamar alto logo de cara. Foi em “Juno” que ela conheceu o diretor Jason Reitman, um jovem diretor americano que tinha acabado de fazer um filme também muito autêntico, “Thank You for Smoking”, uma comédia satírica que ganhou muitos elogios da crítica.

A parceria deu certo, e “Juno” foi uma das grandes revelações de 2007. Porém, como é que Diablo Cody e Jason Reitman iriam se reinventar após tanto sucesso? Engraçado é que ambos resolveram dar um tempo. Foram fazer TV, esfriar a cabeça. Diablo fez e escreveu uma série chamada “United States of Tara” que durou 2 anos, e teve uma audiência bem legal. Jason se aventurou em dirigir alguns episódios do “Saturday Night Live” e também do “The Office”, nada muito longo, mas uma experiência que aguçou sua vontade de voltar ao cinema…

Logo Jason chamou Diablo e os dois resolveram fazer mais um filme! Já era tempo, afinal, fazia 4 anos que ambos estavam passeando pelas TVs. Foi então que surgiu em 2011 chamado “Jovens Adultos”, que veio para colocar em cheque  se a parceria entre Jason e Diablo continuava afiada.

“Jovens Adultos” conta a história de uma mulher chamada Mavis, uma escritora de ficção que retorna para sua casa em uma pequena cidade de Minnesota, com um objetivo, reacender um romance com seu ex-namorado, Buddy, que agora está casado e tem uma filha recém-nascida.

Para dar vida aos personagens, Charlize Theron, Patton Oswalt, Patrick Wilson e Elizabeth Reaser foram os escolhidos. E simplesmente arrasaram!

Charlize ficou com Mavis, a escritora ranzinza e mal-amada que tem a missão traiçoeira de roubar um homem casado e feliz. Alias, este á o “mote” do filme, você assiste a um filme onde você acompanhará os passos daquela que em qualquer outra história seria a vilã! É isto mesmo, pois com uma personalidade forte, depressiva, nojenta e falsa, Mavis é a vilã, e o filme busca justificar o porque de tanta falta de humildade e grande tristeza da personagem, e é brilhante em suas respostas. A atuação de Charlize é tão fiel e convincente que a atriz chegou a ser indicada ao Globo de Ouro como Melhor Atriz – Comédia/Musical.

Patton Oswalt é outro ator que chama muita atenção. Ele faz o papel de Matt Freehauf, um homem que sofreu bulling agressivo na escola e vive com um problema físico graças a esta ignorância. Ele tenta se reinventar e levar a vida de uma maneira leve, e tem o papel de tentar levar Mavis para um caminho diferente do qual ela insiste em percorrer, porém, Matt também tem que aprender a lidar com suas inseguranças, medos e traumas do passado, o que acaba ajudando Mavis a se “humanizar” também.

“Jovens Adultos” é uma comédia-dramática, se é que podemos classifica-la assim, mas é um filme que tem como principal característica essa brincadeira com o cotidiano de uma forma mais sarcástica. Um filme que te faz acompanhar a vilã de uma maneira que você entende suas atitudes, e apesar de não concordar, ao menos consegue entender. Trata-se de um filme muito sincero e simples, de uma maneira que esta se tornando raro de se ver. Não é um filme brilhante, mas é um filme direto. Acho que o maior problema é a fotografia, pois acaba fazendo mais do mesmo, porém o roteiro é rico e tem várias camadas, que se quiser, poderá ser estudado, filosofado e analisado de várias maneiras, e isto deixa a narrativa muito mais rica e harmoniosa.

Sem dúvida o filme mostrou que a parceria entre Jason e Diablo continua afiada, e mais que isto, Jason ganhou experiência com The Office, pois essa ideia de tentar entender a motivação do “anti-herói” é algo muito bem construído no seriado americano, e Jason certamente tirou muito de lá. Já Diaglo, continua com sua caneta em perfeito estado, acredito que o fato de ter ficado 2 anos em série trouxe a ela uma ideia mais clara de continuidade. Enfim,  “Jovens Adultos” é um excelente filme, e se você gosta de “Tudo Acontece em Elizabethtown” vai adorar este filme!

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon