Parasite ganhou o Oscar 2020. E o que muda agora? - Cinem(ação)
Parasite

Parasite ganhou o Oscar 2020. E o que muda agora?

Há 2 semanas Parasite foi o grande ganhador do Oscar. O buzz diminuiu e é hora de refletir: “O que vai acontecer agora?”
Elenco de Parasite

Parasite entrou para história no último dia 09/02/2020. O filme de Bong Joon-ho se tornou o primeiro filme de língua não inglesa a ganhar o Oscar de Melhor Filme. E de quebra o Oscar fez algo raro de se acontecer, o Melhor Filme ganhou o Oscar de Melhor Filme, mas isso é assunto pra outra hora.

Voltemos a Parasite! O filme coreano foi o 11º filme de língua não inglesa a ser indicado ao Oscar de Melhor filme, o primeiro foi A Grande Ilusão, de Jean Renoir, mas é o único, em 92 anos, a ganhar o Oscar de Melhor Filme. Apenas lembrando, que embora O Artista seja uma produção francesa, dirigido por um francês e protagonizado por um Francês, o filme tem apenas umas 5 falas e elas são faladas em inglês. E as falas que aparecem no filme escritas na tela também são em inglês. Então Parasite, fez história, é o primeiro filme 100% internacional a ganhar o prêmio maior do cinema. E olha que não faltaram opções! Entre esses 11 estrangeiros na lista dos indicados a melhor filme, temos os clássicos Z de Costa-Gravas, Gritos e Sussurros de Ingmar Bergman, além dos sucessos de público e crítica O Carteiro e o Poeta de Michael Radford, A Vida é Bela de Roberto Benigni, O Tigre e o Dragão de Ang Lee e Amor de Michael Haneke. O mais próximo que um filme de língua não inglesa chegou de ganhar o prêmio, foi em 2019 com Roma, de Alfonso Cuarón. Mas eis que esse ano veio finalmente, um prêmio para celebrar o cinema mundial, e não apenas o americano. Mas o que muda agora?

Bem podemos ter duas posições, uma otimista e uma pessimista. Vamos aos dados, e aí caro amigo, como dizia um velho programa de TV, “Você Decide!”

Nada vai mudar! Parasite ganhar não quer dizer nada!
Parasite ganha Melhor Filme

Vamos começar sendo bem pessimistas: “Nada vai mudar!” Isso é que os mais pessimistas estão dizendo. Será que realmente é assim? Vamos analisar a história do Oscar, não os 92 anos de história, mas os últimos 20 anos. Vamos voltar a 2002!

O Oscar de 2002, durante muito tempo foi chamado de ” O Oscar do Mea Culpa”. Isso porque em 2002 a Academia fez algo inédito até aquele momento. Para começar em 2002 tivemos três atores negros indicados nas categorias principais Denzel Washington e Will Smith foram indicados ao Oscar de Melhor Ator e Halle Berry como Melhor Atriz. E desses três, dois saíram vencedores, Denzel Washington se tornou o único ator negro a ter dois Oscars e o segundo ator negro a ganhar o Oscar de Melhor Ator. Já Halle Berry se tornou a primeira, e até o momento a única mulher negra a ganhar o Oscar de Melhor Atriz. Além disso Sidney Poitier se tornou o primeiro ator negro a ganhar um Oscar Honorário pelo conjunto da obra. Além de termos uma atriz negra apresentando o prêmio, Whoopi Goldberg. Muitos pensaram naquele ano: “Agora tudo vai mudar!” Ledo Engano!

É verdade que mais dois atores negros, Jamie Fox e Forest Withaker, ganharam o Oscar de Melhor Ator e outros foram indicados. Entre os coadjuvantes também tivemos em vários indicados, incluindo três vitórias duas de Mahershala Ali e uma de Morgan Freeman. Entre as mulheres tivemos só 5 indicadas a Melhor Atriz, nenhuma vencedora. Já entre as coadjuvantes tivemos várias indicações e 6 vitórias. Poucas se levarmos em conta 20 anos. Quando entramos nas outras categorias as coisas ficam piores. Tanto que em 2016 tivemos o movimento Oscar So White. Deu um pequeno resultado nos dois anos seguintes, mas esse ano… Apenas 3 negros indicados, sendo que dois foram pelo mesmo filme.

E isso 1 ano após Pantera Negra fazer história. O filme saiu com vários prêmios, incluindo dois deles prêmios inéditos para profissionais negras. Spike Lee levou seu Oscar, assim como Regina King, e Mahershala Ali levar seu segundo prêmio. Cinco negros premiados em uma noite do Oscar, mudança a vista, imaginamos, mas…. Novamente ledo engano, esse ano apenas 3 indicados, ou seja, nada mudou.

Que dizer das mulheres na direção? Parece que a Academia fez um pacto de indicar apenas uma mulher por década. Em 1977 Lina Wertmüller foi indicada pelo filme Pasqualino Sete Belezas, será que mudou algo? Apenas 17 anos depois que tivemos outra indicada em Jane Campion, pelo filme O Piano. Veio mundança? Não! Demorou 11 anos para que mais uma mulher fosse indicada Sofia Coppola, pelo filme Encontros e Desencontros. Apenas 6 anos depois tivemos uma mulher indicada, ou seja, nada mudou. Mas dessa vez algo parece que mudou, porque Kathryn Bigelow foi a vencedora pelo filme Guerra ao Terror. Mas nada mudou. Só tivemos uma indicada em 2017, Greta Gerwig pelo filme Lady Bird. E olha que, pelo menos nessa década, tivemos um inúmero trabalhos dirigidos por mulheres que poderiam ter sido indicadas ao Oscar, e até ganhar. Inclusive nesse ano tínhamos pelo menos 6 diretoras que poderiam facilmente ter sido indicadas.

Ou seja, tanto na questão racial como na questão de gênero, houve uma “tentativa” de mudanças, ou imaginamos que isso aconteceria. Mas, a verdade é que NADA MUDOU. O Oscar continua machista e racista. Ou seja, se formos pessimistas, a vitória de Parasite não significará NADA. Afinal o que aconteceu foi apenas um acaso, um respiro, uma tentativa de mudança, mas que não significará nada. Como dizem: “foi um ponto fora da curva!”

A vitória de Parasite coroa uma nova era no Oscar
Cinema Sul-coreano fazendo história

Para os mais otimistas, a vitória de Parasite significa mudança, uma nova era se aproxima. Para esses, a vitória de Bong Joon-ho e cia., é algo que vai se refletir pelos anos a frente. Afinal o Oscar é o prêmio do cinema americano, e os americanos são nacionalistas, ultra-patriotas e muito xenófobos. Então isso mostra um avanço na academia.

Afinal, a Academia tem se mostrado aberta para mudanças. Nos últimos anos tivemos avanços no que diz respeito aos estrangeiros entre os indicados ao Oscar de Melhor Filme. Na década de 2010 tivemos 4 filmes internacionais indicados ao Oscar. Entre os diretores as coisas foram ainda melhores.

Na década de 2010 foram 11 indicações para diretores estrangeiros. Mas quando falo estrangeiros não me refiro aos ingleses, irlandeses e australianos, se não o numero seria maior. Dessas 11 indicações, 8 vezes estrangeiros foram os vencedores. E entre esses tivemos 3 latinos, mais especificamente mexicanos, e desses três, dois ganharam duas vezes. Também duas vezes vimos orientais ganhando, e uma vez um francês. E entre esses vencedores, três vezes eles ganharam por filmes não americanos.

Nas categorias de atuação termos atores e atrizes estrangeiras é algo recorrente. Já tivemos italianos, mexicanos, espanhóis, franceses, sul-africanos, colombianos, e até uma brasileira entre os indicados ao Oscar. Mas não apenas entre indicados tivemos estrangeiros, mas também vencedores.

Além disso, vários filmes internacionais já foram indicados ao Oscar de Roteiro, seja original sejam eles adaptados, e alguns até já ganharam. Animações estrangeiras sempre aparecem entre os finalistas. Ou seja, os estrangeiros estão bem presentes entre os indicados, e até entre os vencedores. E não apenas na categoria de Melhor Filme Internacional, mas em praticamente todas.

Ou seja Hollywood está cada vez mais inclusiva com os estrangeiros. Roma não ganhou o Oscar ano passado, unicamente por ser da Netflix. A vitória de um filme de língua não inglesa ao Oscar de Melhor Filme era questão de tempo. A vitória de Parasite abriu um precedente que pode sim se repetir nos próximos anos! Hollywood e a Academia está aberta a mudança, aberta para entrada de estrangeiros no cinema americano. A barreira da legenda nos Estados Unidos está caindo!

E aí? De que lado você está?
Bong Jon-ho o grande vencedor da noite

Pois é queridos leitores, os dois lados têm ótimos argumentos. Afinal, toda vez que vemos coisas históricas Academia falamos: “Agora veremos mudanças!” Mas chega o ano seguinte, e tudo volta ao “normal”. Isso sempre deixa um gosto amargo e nos faz ficar com um pé atrás com a Academia.

Mas ao mesmo tempo, a história recente da Academia, principalmente nas categorias de Direção, Documentários, Animação e nas Categorias Técnicas, vemos uma abertura para a diversidade. A Academia está sendo cada vez mais inclusiva. Lógico que temos um caminho imenso até chegarmos ao ideal. Mas a porta foi aberta.

A verdade é que a vitória de Parasite pode não significar nada, mas abriu um precedente. Assim como o filme sul-coreano ganhou Melhor Filme esse ano, nos próximos anos podemos ver outros vencedores internacionais. Eu sou otimista, mas sem deixar de ser realista. Espero a mudança, mas sei que ela será lenta. Mas como dizem a esperança é a última que morre. Pode não mudar nada daqui pra frente, mas o caminho foi aberto, e depois de aberto é difícil de se fechar!

E outra coisa, mesmo que não mude nada, é bom demais ver o Melhor Filme do Ano, na minha opinião o melhor da década, ser coroado com o Oscar de Melhor Filme para variar um pouquinho!

Observação: Se você ainda não assistiu a Parasite, assista agora! Você não vai se arrepender.
Noite histórica para o cinema mundial!

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon