Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

#ConexãoSundance 2020: His House

Wunmi Mosaku and Sope Dirisu appear in His House by Remi Weekes, an official selection of the Midnight program at the 2020 Sundance Film Festival. Courtesy of Sundance Institute | photo by Aidan Monaghan.rrAll photos are copyrighted and may be used by press only for the purpose of news or editorial coverage of Sundance Institute programs. Photos must be accompanied by a credit to the photographer and/or 'Courtesy of Sundance Institute.' Unauthorized use, alteration, reproduction or sale of logos and/or photos is strictly prohibited.

#ConexãoSundance: Crítica e análise do filme de terror His House.

A cobertura do Festival de Sundance 2020 será postada filme a filme, com resumos e críticas dos longas acompanhados pelo crítico Maurício Costa.

VEJA A COBERTURA COMPLETA DO FESTIVAL DE SUNDANCE AQUI!

His House

O terceiro filme da sessão de meia-noite é uma produção da Regency e da BBC Filmes que foi comprado pela Netflix aqui no festival. Trata-se de algo muito diferente para um filme de terror. Ele pode ser considerado como o filme definitivo sobre o terror da vida contemporânea: ele trata dos problemas que vivemos no mundo hoje, como a crise de refugiados na Europa.

Os protagonistas são refugiados sudaneses em Londres, e acabam saindo sob fiança e recebendo um apoio do governo britânico, e para isso são levados a um conjunto habitacional, com uma vizinhança predominantemente branca e uma ajuda para alimentação.

Mas o filme não é sobre racismo ou xenofobia. Essa foi a grande surpresa. Ele poderia ser um terror de invasão domiciliar e violência: ele tem isso, mas apenas de maneira colateral. Na verdade a história e o terror se concentra na relação entre marido e mulher, com o marido tentando se adaptar o mais rápido possível à vida no local, e a esposa ainda presa ao passado por causa da perda da filha durante a travessia.

Quando eles vão à casa, eles começam a ver coisas apavorantes que não podem ser comentadas aqui. Nos primeiros 20 minutos, tem uma cena que deixou o público espantado demais: a reação foi tão forte que uma pessoa tentou sair da sessão. O filme mistura terror sobrenatural e psicológico com drama psicológico. Nesse mix de gêneros ele faz uma alegoria sobre o terror que é viver em 2020.

Como terror em si, ele não é totalmente assustador. Não chega a ser tão perturbador quanto “The Night House“, por exemplo. Mas o filme nos puxa mais para a realidade por ser concentrado nos dramas coletivos.

No final, o filme arrepia de emoção, o que melhora a impressão do fim do filme, por conta da condução do desfecho definitivo do terror.

Nota: 4,5 / 5

Sinopse e Ficha Técnica:

Muitas histórias de refugiados terminam no mesmo lugar: um novo lar seguro. E é aí que “His House” começa, com um casal sudanês chegando em uma tranquila cidade inglesa para seu “felizes para sempre”. Mas, à medida que tentam se adaptar ao novo lugar, percebemos que há mais para culpar do que mal-entendidos transculturais. As coisas começam a dar errado desastrosamente.

Competição: Meia-Noite
País: Reino Unido
Duração: 93 min
Idioma: Inglês e Dinka
Produção: Regency / BBC Filmes
Direção e roteiro: Remi Weekes

Participam da cobertura do Festival de Sundance 2020 os seguintes sites e canais: Razão:de:Aspecto, Cinem(ação), Getro.com.br e Wanna be Nerd.

Sair da versão mobile