R.I.P. - O Adeus a Fábio Barreto - Cinem(ação): Filmes, podcasts e críticas
Fábio Barreto

R.I.P. – O Adeus a Fábio Barreto

Cineasta brasileiro faleceu quarta-feira, depois de 10 anos em coma

O cinema brasileiro está em luto. Fábio Barreto um dos mais importantes cineastas brasileiro, faleceu na quarta-feira, dia 20/11 aos 62 anos, depois de 10 anos em coma.

Família Barreto:  Paula (irmã), Fábio, Lucy (mãe) e Luiz Carlos (pai)
Família Barreto: Paula (irmã), Fábio, Lucy (mãe) e Luiz Carlos (pai)

Nascido em 6 de junho de 1957, Fabio Villela Barreto Borges, é filho dos produtores Luiz Carlos Barreto e Lucy Barreto, e irmão do também cineasta Bruno Barreto. Sua estreia como diretor foi com o curta-metragem A história de José e Maria, de 1977. O primeiro longa do diretor foi Índia, a Filha do Sol, de 1982. O filme conta a história de amor entre o cabo do exército Silvério (Nuno Leal Maia) e a índia Put’Koi (Glória Pires), enquanto ele é encarregado de resolver determinadas irregularidades em um garimpo em Goiás.

Fábio chamou muita atenção 6 anos depois com o filme Luzia Homem. Baseado no romance homônimo de Domingos Olímpio, o filme conta a história de Luzia (Cláudia Ohana), que após presenciar o assassinato de seus pais,  é criada por um vaqueiro e adota os costumes masculinos do sertão. Quando se torna uma mulher procura o assassino de seus pais, para poder se vingar, mas acaba encontrando o amor.

O ápice da carreira de Fábio Barreto veio em 1995 com o filme O Quatrilho. O filme se passa no Rio Grande do Sul em 1910. Em uma comunidade rural composta por imigrantes italianos, dois casais muito amigos se unem para poder sobreviver e decidem morar na mesma casa. Mas o tempo faz com que a esposa (Patricia Pillar) de um (Alexandre Paternost) se interesse pelo marido (Bruno Campos) da outra (Glória Pires), sendo correspondida. Após algum tempo, os dois amantes decidem fugir e recomeçar outra vida, deixando para trás seus parceiros, que viverão uma experiência dramática e constrangedora, mas nem por isto desprovida de romance. O filme foi um grande sucesso e ao lado de Carlota Coaquina – A Princesa do Brasil, foi responsável pela retomada do cinema brasileiro. O filme conseguiu alguns prêmios internacionais e foi o primeiro indicado do Brasil ao Oscar 32 anos após a primeira indicação brasileira, O Pagador de Promessa.

Cena de  Lula - O Filho do Brasil  último filme de Fábio Barreto
Cena de Lula – O Filho do Brasil último filme de Fábio Barreto

O último filme de Fábio foi Lula – O Filho do Brasil, de 2009. O filme é a cinebiografia do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Desde seu nascimento no sertão pernambucano em 1945, até ele se tornar um líder sindical e ser preso pela ditadura militar aos 35 anos, na mesma ocasião da morte de sua mãe. O filme teve com grande destaque Glória Pires no papel de Dona Lindu, mãe de Lula.

Em 2009, quando voltava do aeroporto Tom Jobim, o carro do cineasta capotou e ele teve traumatismo craniano. Na época o diretor passou por uma cirurgia para diminuir a pressão do cérebro. Desde então o cineasta permanecia em coma. A causa da morte do diretor não foi confirmada. O cineasta deixou esposa e quatro filhos.

Fábio Barreto junto com Deborah Kalume e um dos filhos
Fábio Barreto junto com Deborah Kalume e um dos filhos

O velório do cineasta será realizado hoje no Memorial do Carmo, cemitério localizado no bairro do Caju, zona portuária do Rio de Janeiro. A cerimônia está prevista para começar às 10h e se estenderá até 13h. Em seguida, o corpo do cineasta será cremado. Toda nossa solidariedade e pêsames a família Barreto!

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon