Cynthia Rothrock, a rainha dos filmes de artes marciais no Rio de Janeiro

Cynthia Rothrock, a rainha dos filmes de artes marciais no Rio de Janeiro

Na década de 90, quando o filme “Lady Repórter” chegou nas extintas videolocadoras, o respeitado crítico de cinema Rubens Ewald Filho que nos deixou recentemente, descreveu Cynthia Rothrock como a “Van Damme de saias”, onde afirmou que nesse gênero, ela era única, sem rival.

De férias pela primeira vez no Brasil, a estrela dos filmes de pancadaria desembarcou no Rio de Janeiro para curtir as atrações cariocas e aproveitou para conversar comigo em um quiosque na praia de Copacabana. Sorridente e esbanjando simpatia, nosso bate papo fluiu animadamente.

Faixa preta em 6 disciplinas marciais (Kung Fu, Taekwondo e outras), ela começou a praticar lutas aos 13 anos de idade, e aos 18 já competia profissionalmente. Naquela época, as artes marciais era um esporte praticado estritamente por homens, porém Cynthia Rothrock surgiu para quebrar essa barreira.

Na ocasião, não existia uma modalidade de luta só para as mulheres nos campeonatos, em virtude disso, Cynthia teve que competir com homens em competições regionais. Já nos torneios, suas habilidades envolvendo armas (espada e similares) a consagrou como campeã mundial cinco vezes, na categoria karatê com armas, onde é avaliado a fluidez dos movimentos utilizando armas ao invés da luta.

Mas a transição dos tatames para a frente das câmeras só veio em 1985, quando a companhia de cinema chinesa Golden Harvest foi para os Estados Unidos buscando um novo astro das artes marciais para protagonizar alguns filmes orientais. No teste, Cynthia era a única mulher e suas habilidades marciais surpreenderam os executivos de cinema que decidiram que ao invés de um astro, seria uma estrela.

Foram 4 anos vivendo em Hong Kong e protagonizando filmes de ação de sucesso, em um dos países mais difíceis para um estrangeiro ter êxito no cinema. Após isso, ela seguiu para a Indonésia, onde também atuou em alguns filmes e voltou para os Estados Unidos para consolidar uma bem sucedida carreira.

São mais de 50 filmes no currículo, incluindo participações na série Hércules, na animação Eek the Cat (fazendo ela mesma) e até mesmo em filmes de suspense como Olho por Olho estrelado pela atriz Sally Field, onde Cynthia faz uma participação como instrutora de defesa pessoal.

Nos anos 90, filmes como Código de Honra, Lady Dragon, Leis Marciais, Garras de Tigre vários outros, eram exibidos à exaustão na TV. A loira de cabelos curtos, hoje esta morena usando mechas lilás, onde até arriscou uns dreads nas pontas, talvez por isso ela tenha passado despercebida em terras cariocas.

Ao longo de sua extensa carreira, Cynthia Rothrock teve a chance de atuar com nomes conhecidos do cinema, tais como David Carradine, Sam Jones (Flash Gordon), Billy Drago (Os Intocáveis), Brigitte Nielsen, Corey Haim e astros das artes marciais como o chinês Bolo Yeong. Questionada como ela se sentia em ser a primeira mulher a protagonizar filmes de ação/luta, Cynthia afirma que tem orgulho da sua história e acrescenta que foi a primeira mulher também a ser capa da revista Black Belt especializada em artes marciais.

Demonstrando modéstia, ela diz que não pensa muito sobre ter sido a pioneira no gênero, e que se sente ainda começando, mas ela tem ciência que abriu portas para outras mulheres que vieram depois no cinema de ação. Cynthia afirma que mesmo nos dias de hoje, os filmes de luta são ainda dominados por atores homens, e por isso ainda é difícil abrir caminho.

Paralelo a carreira de atriz, nos últimos anos Cynthia Rothrock tem viajado o mundo inteiro fazendo esportes de aventura, que ela me confessou ser sua segunda paixão e também participando de seminários, eventos e conferências sobre artes marciais, principalmente na Europa.

Em se tratando de atividades radicais, ela gosta de canoagem, escalada, rapel, trekking, bike e várias outras e coleciona aventura nos 4 cantos do mundo, até uma escalada no monte Everest ela já encarou.

Dona de um sorriso cativante, ela diz que adora viajar, conhecer novas culturas, lugares, ver como as pessoas vivem no dia a dia, e confessa ter ficado surpresa ao notar como o Rio é grande e o fato de termos a praia e a montanha “colada” ao meio urbano. E por falar em paisagens cariocas, Cynthia visitou o Corcovado, Pão de Açúcar, fez uma trilha no Forte do Leme, visitou a zona boêmia da Lapa e o Porto Maravilha na região central da cidade.

Do Rio, ela seguiu para Foz do Iguaçu, empolgada com a ideia de pegar o barco que se aproxima das Cataratas, sem antes esquecer que provou caipirinha e adorou. E as viagens não param por aí, do Brasil ela parte para Argentina e Chile.

Cynthia Rothrock e André Araújo

Em relação a projetos, ela avisa que vai fazer um filme logo que retornar de viagem, onde fará 2 personagens, como se fosse ela e o seu alter ego. Também tem viagens a trabalho este ano para Itália e Suíça, após esses compromissos, ela pretende conhecer a Nova Zelândia, com o intuito de praticar atividades radicais no país.

Também planeja rodar um documentário a respeito de sua vida e carreira, argumenta que será um doc. diferente, onde ela também gostaria de mostrar fatos curiosos e interessantes ocorridos nas filmagens de alguns filmes, dentre outras coisas.

Mesmo com tantas conquistas e vitórias ao longo de sua trajetória, sendo considerada um ícone no gênero. Cynthia Rothrock mostra-se uma pessoa simples e afirma que mesmo com mais de 30 anos de carreira, ainda se sente recomeçando e se expressa com brilhos nos olhos “Hoje eu estou diferente, hoje eu atuou diferente, então para mim é sempre algo novo”…um recomeço”.

Algumas curiosidades que talvez você não saiba sobre Cynthia Rothrock

  • No início da década de 90, ela quase protagonizou um filme ao lado de Sylvester Stallone, infelizmente o projeto não foi adiante;
  • Em 1986, ela lançou um vídeo ensinando técnicas de defesa pessoal para mulheres, algo que veio a se repetir nos anos 2000;
  • Sofreu alguns ferimentos e acidentes nas filmagens de Lady Repórter em Hong Kong;
  • A personagem Sonya Blade no game Mortal Kombat, foi inspirado em Cynthia Rothrock;
  • Ela já esteve em mais de 40 países, mas se recorda carinho sua experiência no Quênia e Tanzânia, revelando ser uma das viagens mais incríveis que já fez até hoje;
  • Possui uma legião de fãs na Indonésia, China e Filipinas.

Texto escrito por: André Araújo ([email protected]).

Assinatura do autor da matéria André Araújo

Interessados em publicar alguma matéria no Cinem(ação) podem entrar em contato pelo e-mail [email protected]! Embora artigos e críticas entrem para a coluna “Eu Cinéfilo“, entrevistas e matérias especiais podem fazer parte de outras categorias.

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon