10 Melhores Filmes de Terror - Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

10 Melhores Filmes de Terror

Quem nunca sentiu medo ao assistir a um filme de terror? Gênero que se tornou bastante explorado no início do século 20, o terror mexe com a imaginação e os temores de cada um de nós. A fascinação pelo gênero é tanta, que hoje alguns filmes se confundem: É mesmo terror ou é um suspense ou policial? A definição para o que é realmente um filme de terror não é a questão aqui, mas como o gênero pode se estender a outros gêneros.

Minha amiga Ana Perroud define o gênero da seguinte forma: Terror (ou Horror, como algumas pessoas chamam) é um cinema relacionado a sensações negativas causadas nos espectadores, e que normalmente é acompanhado de suspense e muitas vezes ligado à questões religiosas, como por exemplo: “O exorcismo de Emily Rose”, um filme muito impactante, tanto pela história quanto pelo fato dele ter sido baseado em fatos reais. ”Annabelle” (2014); “O Exorcista” (1973) – que é um dos filmes que eu mais gosto. Inclusive, foi o primeiro filme de terror que eu tive o privilégio de assistir, e desde então me apaixonei pelo gênero. Confesso que o filme me trouxe muito impacto, tensão e medo; mas isso acabou se tornando curiosidade para assistir mais filmes como esse -. E também “Halloween” (2018), entre outras centenas de filmes muito bem direcionados e envolventes. É um cinema interessante e ao mesmo tempo assustador. Sou suspeita em falar, mas todos eles, na minha opinião, são bons.

Em uma pesquisa feita nas redes sociais, perguntei quais eram os 3 filmes preferidos de quem porventura estivesse disposto ou disposta a responder à pergunta, e as respostas foram as mais variadas. Somando os votos, coloco aqui os 10 filmes mais citados, e aproveito para agradecer a cada um que participou, colaborando com a proposta em escolher os filmes para essa matéria. Meus agradecimentos especiais vão para João Gustavo Rosa e Sara Regina pela contribuição.

Vamos aos 10 filmes mais votados:

O Exorcista (1973). Direção: William Friedkin. Com: Ellen Burstyn, Max von Sydow, Jason Miller, Linda Blair e Lee J. Coob. Baseado na obra de William Peter Blatty.

O diretor Friedkin já era famoso por seu premiado “Operação França” (1971), quando resolveu dirigir “O Exorcista”, um dos mais assustadores filmes já feitos. Repleto de cenas impactantes, o que mais assusta nessa obra é o conflito dos padres lutando contra uma força além de seus limites, e o drama de uma mãe ao ver sua filha ser possuída por uma impiedosa criatura maligna. O filme de Friedkin não tem pressa em mostrar o embate das forças do bem contra o mal. Antes disso, ele vai desenvolvendo seus personagens, nos apresentando seus problemas sociais e morais. Como seres marginalizados, os padres não são mostrados como imbatíveis, mas como pessoas frágeis, tendo que lidar com seus medos e ansiedades. Vencedor dos Oscars de roteiro adaptado (do mesmo autor do livro) e som.

O Exorcista (1973)

O Iluminado (1980). Direção: Stanley Kubrick. Com: Jack Nicholson, Shelley Duvall, Danny Lloyd e Scatman Crothers. Baseado na obra de Stephen King.

Stephen King é o mais prestigiado escritor de histórias de terror das últimas décadas, tendo começado sua carreira literária nos anos 70. “O Iluminado” não é seu livro preferido na opinião de alguns fãs, mas a adaptação dirigida por Stanley Kubrick é considerada por boa parte dos críticos o melhor trabalho transposto para as telas do cinema de uma obra de King. A história de um homem que vai juntamente com sua família tomar conta de um grande hotel desabitado durante o inverno rigoroso, rende algumas das cenas mais tensas e assustadoras da história. Com um perfeccionismo espantoso, Kubrick filma grande parte das cenas de forma centralizada, causando assim a impressão de que estamos no meio de todo aquele horror.

O Iluminado (1980)

O Bebê de Rosemary (1968). Direção: Roman Polanski. Com: Mia Farrow, John Cassavetes, Ruth Gordon, Ralph Bellamy e Charles Grodin. Baseado na obra de Ira Levin.

Esta é a segunda parte da Trilogia do Apartamento do diretor Roman Polanski (“Repulsa ao Sexo” veio antes e “O Inquilino” depois), e é também um dos filmes mais assustadores já feitos. Não se trata de uma obra repleta de cenas de terror onde alguém ou alguma criatura sai perseguindo as pessoas; o terror aqui é construído de forma sutil, onde tudo é mais sugerido do que visto. Sabemos que há algo de errado com aqueles amigos e vizinhos que cercam um casal prestes a ter um filho. Enquanto o marido parece fingir que nada de estranho está acontecendo, sua esposa aos poucos vai ficando perturbada com toda aquela situação sinistra. Oscar de melhor atriz coadjuvante para a veterana Ruth Gordon.

O bebê de Rosemary (1968)

4° – A Profecia (1976). Direção: Richard Donner. Com: Gregory Peck, Lee Remick, David Warner e Harvey Spencer Stephens. Baseado na obra de David Seltzer.

Antes de “Superman – O Filme” (1979), “Os Goonies” (1985), “O Feitiço de Áquila” (1985) e “Máquina Mortífera” (1987), o diretor Donner dirigiu para a Fox o terror “A Profecia”, que se tornou um dos maiores sucessos de bilheteria de seu ano, e rendeu algumas continuações (menos marcantes). Com um elenco ilustre, o diretor vai tecendo uma trama inquietante, onde previsões terminam em assassinatos (repare como estas cenas são muito bem realizadas), culminando em um final impactante e inesperado. Poucas vezes o cinema mostrou uma criança de forma tão enigmática e assustadora. A trilha sonora de Jerry Goldsmith venceu o Oscar na categoria. 

A Profecia (1976)

Invocação do Mal (2013), Direção: James Wan. Com: Patrick Wilson, Vera Farmiga, Ron Livingston, Lili Taylor e Joey King.

Este é o mais recente filme da lista e um dos mais assustadores dos últimos tempos. De uma linha de filmes dirigidos e/ou produzidos pelo malaio James Wan – que inclui obras como “Jogos Mortais”, “Sobrenatural”, “Annabelle” e “A Freira” -, “Invocação do Mal” fez muita gente pular de susto nas poltronas dos cinemas. Wan é muito talentoso e sabe conduzir tudo com muita eficiência. O clássico tema da Casa Assombrada ganha contornos impactantes e surpreendentes quando Ed Warren e Lorraine Warren assumem o controle da situação de risco envolvendo um casal e seus filhos. Quem diz que o cinema não consegue mais produzir filmes assustadores ainda não assistiu aos filmes de Wan.

Os Inocentes (1961). Direção: Jack Clayton. Com: Deborah Kerr, Michael Redgrave, Peter Wyngarde, Megs Jenkins e Pamela Franklin. Baseado na obra de Henry James.

A Volta do Parafuso” (ou “A Outra Volta do Parafuso”, como é conhecido em algumas editoras) é uma obra literária de terror que se consagrou por suas sutilezas. Foi das primeiras obras a questionar se o que está acontecendo é mesmo real ou apenas imaginação dos personagens. A história da governanta que, em uma mansão isolada, irá cuidar de duas crianças perturbadas por aparições de fantasmas, rendeu uma bela adaptação cinematográfica. Com a excelente Kerr à frente do elenco, o filme é bastante fiel à obra de James. O filme “Os Que Chegam Com a Noite” (1973), estrelado por Marlon Brando, mostra o que aconteceu antes de “Os Inocentes”.

Os Inocentes (1961)

7º – O Exorcismo de Emily Rose (2005). Direção: Scott Derrickson. Com: Laura Linney, Tom Wilkinson, Jennifer Carpenter, Campbell Scott e Colm Feore.

Uma história de terror diferente, que mistura elementos sobrenaturais com drama de tribunal. Uma variação de “O Exorcista” e “O Veredito”. A história real da alemã Anneliese Michel é alterada aqui, quando os fatos não se passam na Alemanha, mas nos Estados Unidos. Agora temos Emily Rose, uma jovem possuída por forças malignas. Um padre tenta ajudá-la, sugerindo que ela pare de tomar os remédios, porque, segundo ele, a moça na verdade está possuída. Mas o novo procedimento dá errado e o caso vai a julgamento. A advogada de defesa vai colhendo informações que a ajude a entender toda aquela situação.

O Exorcismo de Emily Rose (2005)

Psicose (1960). Direção: Alfred Hitchcock. Com: Anthony Perkins, Janet Leigh, Vera Miles, John Gavin e Martin Balsam. Baseado na obra de Robert Bloch.

O filme mais antigo entre os 10 escolhidos é também aquele que divide opiniões: Há os que acham que é terror e há os que acham que é suspense. Mas entrando na lista, “Psicose” é sem dúvida um dos maiores trabalhos da longa carreira do diretor Hitchcock. Uma jovem, um roubo e um estranho dono de um motel de beira de estrada são elementos que se cruzam em uma história envolvendo dupla personalidade e crimes estarrecedores. A cena do chuveiro se tornou a mais famosa em um filme de terror/suspense. Com um orçamento barato, o diretor filmou tudo em preto e branco. O resultado final agradou críticos e público mundo afora.

Psicose (1960)

Os Outros (2001). Direção: Alejandro Amenábar. Com Nicole Kidman, Fionnula Flanagan, Christopher Eccleston, Alakina Mann e Alexander Vince.

Com uma temática parecida com a obra “A Volta do Parafuso”, “Os Outros” é daquele tipo de filme que te prende na cadeira do início ao fim. Em uma isolada mansão nos anos 40, uma mãe e seus dois filhos recebem a ajuda de novos empregados, quando, pouco depois, acontecimentos sinistros começam a perturbar aquele imenso lugar cheio de portas e janelas. Fantasmas estariam assustando aquelas crianças. Quando achamos que fomos surpreendidos com um grande final surpresa, vem outro final ainda mais surpreendente. Tudo é extremamente bem feito. Um trabalho genial do diretor Amenábar (vencedor do Oscar por “Mar Adentro”).

Os Outros (2001)

10ºDrácula de Bram Stoker (1992). Direção: Francis Ford Coppola. Com: Gary Oldman, Winona Ryder, Keanu Reeves, Anthony Hopkins e Richard E. Grant. Baseado na obra de Bram Stoker.

Este é o melhor filme dos anos 90 do prestigiado diretor Coppola “O Poderoso Chefão”, “Apocalypse Now”). Um excelente exercício de estilo, onde ele utiliza efeitos práticos para contar a terrível história do amaldiçoado Conde Drácula e sua obsessão por uma jovem que ele acredita ser a reencarnação de um grande amor do passado. Ao contrário do que muitos acreditam, o filme não é uma adaptação tão fiel da obra do escritor irlandês Bram Stoker. Quem leu o livro irá reparar uma grande mudança no comportamento da personagem Mina ao decorrer do filme que se diferencia consideravelmente da obra literária. É uma produção luxuosa e sempre interessante, vencedora dos Oscars de melhor maquiagem, figurino e edição de som.

Ficaram logo atrás:

O Massacre da Serra Elétrica (1974), dir: Tobe Hooper

A Hora do Pesadelo (1984), dir: Wes Craven

Carrie, a Estranha (1976), dir: Brian De palma

Poltergeist – O Fenômeno (1982), dir: Tobe Hooper

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon