Crítica: Merlí (2ª temporada)

Crítica: Merlí (2ª temporada)

Ficha técnica: Merlí (2ª temporada)

Direção: Héctor Lozano

Roteiro: Eduard Cortés

Nacionalidade e Lançamento: Espanha, 2016

Sinopse: Merlí, o professor de filosofia, e seus alunos do segundo ano do Ensino Médio se deparam com novos problemas e dramas cotidianos, incluindo uma nova professora pouco suportável.

*Atenção! Esse texto pode conter spoilers da 1ª temporada e alguns comentários sugestivos da 2ª temporada!

Leia aqui a crítica da 1ª temporada de Merlí!

Leia aqui um artigo com pontos positivos e negativos desse seriado!

 

Há pouco tempo, a Netflix adicionou a 2ª temporada de Merlí no catálogo, e eu corri para assistir. Antes de falar sobre a 2ª temporada, vamos nos situar sobre o que se trata o seriado. Merlí (Francesc Orella) é um professor de filosofia do Ensino Médio de uma escola na Catalunha. O seu método de ensino é completamente diferente do ensino tradicional, sendo aprovado por todos os estudantes. Entretanto, por ter uma personalidade forte e falar o que pensa, Merlí acaba se envolvendo em vários problemas com o corpo docente do instituto. A série aborda diversos temas sociais discutidos na atualidade, como a homossexualidade e o conservadorismo, por exemplo. Cada episódio é acompanhado de um ensinamento filosófico, tornando o seriado didático para quem se interessa pelo assunto.

A 2ª temporada de Merlí se passa no segundo ano do Ensino Médio. Todos os personagens da 1ª temporada estão presentes, incluindo Ivan (Pau Poch), que, com a ajuda de Merlí, conseguiu vencer a síndrome do pânico e seguir com os estudos. Também surgem novos personagens, como a nova aluna Oksana (Laia Manzanares) e a docente Coralina (Pepa López). Oksana se mostra bastante ousada e segura de si, e ao longo dos episódios revela um segredo. Coralina é a nova “vilã”: os alunos e professores a odeiam. A série não trabalha muito bem sobre os motivos para que ela tenha tal personalidade pouco suportável, mas é de se pensar que a vida pessoal de Coralina não seja fácil. Enquanto na 1ª temporada o principal causador dos problemas era Merlí, na 2ª temporada Coralina assume esse papel, porém, de forma nada cativante.

Da mesma forma que na temporada anterior, a 2ª temporada de Merlí aborda diversos temas de cunho social. Já não se fala tanto sobre a homossexualidade, que foi um dos assuntos principais da 1ª temporada, mas ao longo dos episódios são abordados temas como a transexualidade, a ausência dos pais na infância, a gravidez na adolescência, etc. Também são muito discutidos os típicos dramas adolescentes, mas sempre atrelado a um pensamento filosófico. Para mim, essa é uma das melhores qualidades do seriado, que consegue tratar de vários temas importantes de maneira tranquila e com poder de fazer o espectador pensar sobre suas atitudes.

A reflexão que o seriado nos proporciona é única. Essa temporada de Merlí nos traz momentos brilhantes e tocantes. Talvez uma das melhores reflexões seja a história da vaca. Não vou estragar a surpresa e contar essa história, mas fiquem curiosos, pois vale à pena. Os personagens se envolvem com a história e a levam para suas vidas, tomando decisões importantes. Mas o mais legal de tudo é que o espectador também pode se basear na história da vaca para refletir sobre sua vida.

Sobre as atuações, não tenho reclamação alguma. Os atores são sensacionais, com destaque para Francesc Orella, interpretando incrivelmente o próprio Merlí. O enredo se desenvolve de forma íntegra, trabalhando todos os personagens e seus dramas pessoais. Ao mostrar que a vida dos personagens não é perfeita, os espectadores podem se identificar com um ou com outro, criando certa ligação com a trama. Mais um ponto positivo! No geral, é um seriado excepcional, que merece muita atenção! No entanto, o último episódio deixou um pouco a desejar. Somente por isso, vou dar 4,5 de nota final. Mas não se enganem, pois isso não estraga e nem prejudica o seriado como um todo. Recomendo muito! E aguardo pela 3ª temporada no Netflix…

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

  • Gabriel Medeiros

    Linda e inteligente. Melhor autora!! Escreve nimim s2 =**