Crítica: The Fundamentals of Caring (Amizades Improváveis) - Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema
The Fundamentals of Caring - Amizades Improváveis - Netflix

Crítica: The Fundamentals of Caring (Amizades Improváveis)

The Fundamentals of Caring - Amizades Improváveis - NetflixThe Fundamentals of Caring” (Amizades Improváveis), com Paul Rudd e Selena Gomez, é a nova produção da Netflix.

 

Ficha técnica:
Direção:  Rob Burnett
Roteiro:  Rob Burnett (baseado no romance de Jonathan Evison)
Elenco:   Selena Gomez, Paul Rudd, Craig Roberts, Jennifer Ehle, Bobby Cannavale, Megan Ferguson
Nacionalidade e lançamento: EUA, 24 de Junho de 2016 (streaming)

Sinopse: Um homem que se encontra em um momento triste de sua vida, torna-se o cuidador de um jovem com uma doença degenerativa, a acaba seguindo em uma viagem que vai ajudar os dois em suas dificuldades.

Fundamentals-Caring-3

A minha primeira reação ao conhecer o filme “The Fundamentals of Caring”, que já conta com o (genérico) título nacional de “Amizades Improváveis” foi querer assistir. Fã confesso de road movies, fiquei interessado e decidi assisti-lo assim que pude.

Ainda que não tenha ficado decepcionado, tampouco me surpreendi com o longa estrelado por Paul Rudd e o jovem ator britânico Craig Roberts. De tom irônico e com cenas bem humoradas, o filme começa mostrando o quão miserável se sente Ben, um homem que, aparentemente, vivencia um divórcio e não sabe qual rumo tomar na vida. Após fazer um curso de cuidador, acaba contratado por Elsa, britânica que se mudou recentemente para os Estados Unidos, cujo filho tem Distrofia Muscular de Duchenne, doença degenerativa que o condena a viver em uma cadeira de rodas.

Tragicômico, o longa não hesita em aproveitar o tato para a comédia, tanto em Rudd quanto Roberts, que trocam piadas e trotes, ao mesmo tempo em que aprendem um com o outro. Os lugares-comuns de road movies estão lá: um interesse amoroso do jovem inexperiente (vivido pela estrela teen Selena Gomez), encontros com personagens que só servem para “dar uma luz” ao trio principal (se você viu o filme, sabe do que estou falando!), e diferentes momentos dramáticos de descobertas como elementos-chave para o roteiro.

The Fundamentals of Caring

Com bons momentos aqui e ali, o filme não passa de um “indie” bem intencionado. Em certos momentos, o roteiro é pouco natural ou demasiado explicativo, como quando Ben questiona: “você acha que eu estou cuidando de você para me redimir?”. Além disso, o tom dramático do personagem de Paul Rudd não é tão desenvolvido quanto o tom de comédia, e isso torna o drama pouco impactante. Podemos ver isso especialmente no fato de um flashback ser totalmente revelado quando a história já deixou claro o que aconteceu, e em um momento pouco relacionado. Também podemos analisar a fraca relação entre o que aconteceu com Ben e seu posicionamento de “aproveitar a vida”.

Por fim, podemos citar a fraca resolução para os problemas dos personagens. Se os problemas já não eram tão grandiosos assim, a forma como eles solucionam torna a história ainda menos memorável.

De qualquer forma, a boa interação dos atores, os locais curiosos do interior dos Estados Unidos, e alguns momentos divertidos fazem com que o longa não seja descartável.

Pelo menos ninguém precisou pagar ingresso para assistir.

 

3/5

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon