De Volta ao Jogo (John Wick)

De Volta ao Jogo (John Wick)

por Rodrigo Stucchi

Rock N’ Roll, belos carros, mulheres seminuas e, principalmente, matança! Para muitos, estes são os pré (às vezes únicos) requisitos para identificarmos um bom filme. Mas não é bem assim. Se você gosta de ação o tempo todo, recheado e mortes, explosões, luta, tiros e muito sangue, está no lugar certo! Mas se gosta de diálogos inteligentes, história envolvente e roteiro caprichado, nem perca seu tempo com este filme. “De Volta ao Jogo” (John Wick: 2014) é o típico filme para quem gosta de ir ao cinema para se entreter sem pensar muito. É ação do começo ao fim! Bem, nem tão do começo…

 

wick1Sinopse: John Wick (Keanu Reeves) já foi um dos assassinos mais temidos da cidade de Nova York, trabalhando em parceria com a máfia russa. Um dia, ele decide se aposentar, e neste período tem que lidar com a triste morte de sua esposa. Vítima de uma doença grave, ela já previa a sua própria morte, e deu de presente ao marido um cachorro para cuidar em seu período de luto. No entanto, poucos dias após o funeral, o cachorro é morto por ladrões que roubam o seu carro. John Wick parte em busca de vingança contra estes homens que ele já conhecia muito bem e que roubaram o último símbolo da mulher que ele amava.

 

wick2Como pode notar, o roteiro é tão falho que nem a sinopse oficial salva. Se o cara era um matador tão conhecido, como que justamente os caras de sua “ex-gangue” (dentre eles, o filho do chefe da organização criminosa), que arrumam briga com ele coincidentemente em um posto de gasolina, não o conhecem? Se John Wick era um assassino implacável, como não se cuidou quando sua casa foi invadida, tomou uma surra (onde poderia ter morrido), deixou que matassem seu cachorro e roubassem seu carro?

 

wick3Bom, colocando a péssima história de lado, vamos a parte boa: As cenas de ação são demais! Reeves em cena atirando e lutando com todo mundo que aparece, de frente, enfrentando qualquer parada, lembrou até o saudoso personagem que o imortalizou no cinema: Neo, em Matrix. Para quem gosta de carros antigos, bonitos e possantes, também não vai se arrepender de ver os “pegas” que essas super máquinas dão em várias sequências. Só dá pena da destruição dos mesmos.

 

wick4Outra parte boa do filme é justamente a atuação de Reeves. Sendo o assassino que é, dispensa os sorrisos e expressões de galãs que Nicolas Cage, Mel Gibson, Tom Cruise, Bruce Willis e companhia adoram! Assim que tem que ser. Ele, sim, é ameaçador, temível, o verdadeiro “Bicho Papão”! Ainda mais se considerarmos o realismo das cenas, repletas de sangue, sem dó. A censura é 18 anos. De novo, como deve ser. Se vale a pena assistir, bom, para mim valeu muito! Encaro filmes assim como boas horas de entretenimento. Mas não espere demais.

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon