Eu Cinéfilo - Crítica: "Rush"

Eu Cinéfilo #09 – Crítica: “Rush”

rush_05Eu ainda me lembro de, quando criança, acordar aos finais de semana e ver meu pai e meu irmão, sentados em frente à TV assistindo Fórmula 1. Talvez, desta época (década de 90) até os dias atuais, o que vemos a cada dia – principalmente no Brasil -, é este esporte contando a cada ano, com menos espectadores. Eu realmente não sei o que é ver ao vivo Ayrton Senna, em suas grandes disputas pela vitória, representando o Brasil. Eu ainda brinco com minha mãe, dizendo que eu deveria ter nascido alguns anos antes, devido à minha grande admiração por personalidades das décadas de 70, 80 e 90.

O filme RUSH, conta um pouco sobre isso, sobre a “época de ouro” da Fórmula 1. A época em que esta corrida gerava suspiros, torcedores fiéis como meu pai e meu irmão, em que ganhar ou perder dependia muito mais do piloto, de sua competitividade e capacidade de assumir riscos. Quando eu fui assistir ao filme, não estava com grandes expectativas, não sabia direito do que se tratava e menos ainda quem era o playboy provocador James Hunt (Chris Hemsworth) e o persistente e metódico Niki Lauda (Daniel Brühl).

Para a minha surpresa, o filme é incrível. O foco na relação competitiva de ambos os pilotos da década de 70, torna o longa-metragem extremamente interessante. Hora o filme se dedica a caracterizar James Hunt, um piloto que faz grande sucesso entre as mulheres, contudo seu problema com as drogas e álcool o torna um alvo suspeito por parte dos investidores da fórmula 1; em outros momentos, o personagem central é Niki Lauda, um corredor competitivo, extremamente dedicado, disciplinado e com grande conhecimento em mecânica de automóveis.

Enquanto assistia ao filme, completamente envolvido pela trama,  eu me dei conta do quanto estes pilotos eram caricatos, cada qual à sua maneira, com manias e persistências, fica difícil não se identificar com os modos de agir de cada um. Além disso, devo destacar a semelhança dos atores com os pilotos reais, não só em aspectos físicos, mas também em personalidade, é um detalhe que torna o filme ainda mais fidedigno à história real.

rush_06O filme foi dirigido por Ron Howard, o mesmo do filme “Uma mente brilhante”. E ainda, por curiosidade vale a pena trazer alguns dados sobre RUSH: estima-se que o orçamento para realizar o longa tenha sido de aproximadamente U$38.000.000,00, o que atinge por volta de R$85.000.000,00; além disso, na semana de estreia do filme nos Estados Unidos, o caixa somou uma quantia de U$187.289,00 ou R$421.400,00.

Portanto, digo que o filme RUSH é um must-see movie. Com uma história intrigante e uma bela produção, o filme cresce nas indicações ao Oscar. Como toque final,  sugiro assistir ao filme no cinema, sem dúvida traz uma experiência diferenciada pelo barulho dos motores da Ferrari de N. Lauda e da McLaren de J. Hunt.

—-

Esta crítica foi escrita por:

Guilherme Arinelli
E-mail: [email protected]
Facebook: facebook.com/guilherme.s.arinelli

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Material close icon