Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Batman: 80 anos

Batman é sem dúvida um dos 5 maiores personagens de todos os tempos. Há 80 anos ele vem brilhando, encantando e desafiando o público do mundo inteiro. Surgido das páginas de uma HQ, poucos anos depois ele ganhou sua primeira série, e posteriormente filmes e animações. Muitos artistas das HQs desenvolveram as mais variadas tramas envolvendo o Homem-Morcego, mas foram os mestres Frank Miller e Alan Moore quem melhor souberam traçar o perfil sombrio do personagem como o conhecemos hoje. Em homenagem ao 80º aniversário do personagem, vamos relembrar um pouco sua trajetória nas HQs, TV e cinema.

HQs:

Em março de 1939, na revista Detective Comics número 27, surgia aquele que se tornaria um dos maiores personagens dos quadrinhos, TV e cinema. Em O caso da quadrilha dos químicos, o Batman investiga e tenta achar os culpados por crimes ocorridos em uma empresa química. Claro que o personagem naquela época era bem diferente de como o conhecemos hoje, com uma aparência mais simples e menos ameaçadora. A história escrita por Bill Finger e desenhada por Bob Kane faz parte da edição As Várias Faces de Batman, lançada pela editora Abril em 1989, como parte das comemorações dos 50 anos do personagem.

Esta edição – indispensável para os fãs do Homem-Morcego, e também para quem quer conhecer a evolução do personagem – traz ainda as histórias A Estreia de Robin (1940), O Coringa (1940), O Charada (1948), A Estreia da… Batmoça (1967), Três Balas e um Mistério (1969), A Outra Face do Mal (1971. De Denny O’Neil e Neal Adams, dupla que reformulou o personagem nos anos 70), Noite do Morcego (1973), A Morte Assombra o Céu (1974), Morte à Meia-noite e Três (1978), Enforquem o Batman (1978) e Procura-se: Papai Noel Vivo ou Morto!.

Nos quadrinhos não faltam histórias memoráveis do Batman, e as três mais importantes são:

Batman:  O Cavaleiro das Trevas – Publicada pela primeira vez em 1986, temos aqui uma das grandes obras-primas das HQs em todos os tempos. Trata-se da melhor história do Homem-morcego, onde ele, velho, em um futuro violento e controlado pela mídia, resolve voltar ao combate ao crime, quando o retorno de um antigo e perigoso vilão coloca em risco a vida de várias pessoas. Com total liberdade artística, o roteirista e desenhista Frank Miller nos entrega uma história simplesmente fantástica e marcante, Com certeza uma das 5 melhores HQs da história.

Batman – O Cavaleiro das Trevas

Batman:  Ano Um – Se em Batman: O cavaleiro das Trevas, Frank Miller mostra os ‘últimos’ passos do Batman, em Ano Um ele nos revela o início do personagem, quando este perdeu seus pais em um assalto, e anos depois se transforma em um justiceiro que sai às ruas caçando criminosos. A incrível arte de David Mazzucchelli (A Queda de Murdock) torna tudo ainda mais fenomenal.

Batman: A Piada Mortal – Temos aqui a origem do vilão Coringa, contada pelo excepcional roteirista Alan Moore e desenhada por Brian Bolland. Mostrando o passado e o presente do Palhaço do Crime, a história choca leitores do mundo todo com seus detalhes sinistros e situações impactantes e reveladoras.

Além de várias outras histórias, o Batman apareceu também em sagas como “Crise nas Infinitas Terras, “Reino do Amanhã”, “Milênio” e “Lendas”.

Seriados:

Em 1943, a Columbia Pictures produziu a série “O Morcego” (The Batman), que durou 15 episódios e tinha como atores principais Lewis Wilson (Batman) e Douglas Croft (Robin). Sem a presença de vilões famosos, a série abriu as portas para uma nova série em 1949, novamente produzida pela Columbia e estrelada por Robert Lowery (Batman) e Johnny Duncan (Robin), novamente sem a presença dos super vilões. Ambas as séries foram exibidas nos cinemas.

Batman, a série dos anos 60

Indo de 1966 a 1968, a série televisiva “Batman” contou com 120 episódios, e dessa vez era estrelada por Adam West (Batman) e Burt Ward (Robin). Para a alegria dos fãs, a novidade dessa vez era a presença dos grandes vilões dos quadrinhos, como o Coringa (Cesar Romero), Senhor Frio (o diretor Otto Preminger), Pinguim (Burgess Meredith), Mulher-Gato (Julie Newmar e Eartha Kitt) e Charada (Frank Gorshin). Era uma série cômica, que pouco lembra a reformulação dos personagens feita nos anos 70, 80 e 90.

Animações:

Batman – A Máscara do Fantasma” (1993) – dos mesmos produtores da série animada “Batman – The Animated Series” (1992 a 1995) – é considerada a melhor animação em longa-metragem do Homem-Morcego. Outras animações de destaque do personagem são: “Batman do Futuro – O Retorno do Coringa” (2001), “Batman: O Cavaleiro de Gotham” (2008), “Superman/Batman: Inimigos Públicos” (2009), “Batman Contra o Capuz Vermelho” (2010), “Superman & Batman: Apocalipse” (2010), “Batman: Ano Um” (2011), “Batman: O Cavaleiro das Trevas – Parte 1” (2012), “Batman: O Cavaleiro das Trevas – Parte 2” (2013). “Batman: Ataque ao Arkham” (2014), “O Filho do Batman” (2014), “Batman vs. Robin” (2015), “Batman: A Piada Mortal” (2016), “Batman: O Retorno da Dupla Dinâmica” (2016), “Batman: Sangue Ruim” (2016), “LEGO Batman: O Filme” (2017) e “Batman vs. Duas-Caras” (2017), 


Batman – A Máscara do Fantasma (1993)

Cinema:

A série do Batman, produzida em 1966, gerou o longa-metragem para o cinema “Batman, o Homem-Morcego”, estrelada pelos mesmos atores que faziam os heróis e vilões na série para a TV. Porém, o primeiro filme de grande destaque do personagem foi “Batman”, dirigido em 1989 por Tim Burton, e estrelado por Michael Keaton (Batman), Jack Nicholson (que rouba as cenas como o Coringa), Kim Basinger e Jack Palance. Vencedor do Oscar de direção de arte, a produção de Burton é propositalmente estilizada e carrega elementos da reformulação que o escritor e desenhista Frank Miller fez do personagem nos anos 80.

Em 1992, Burton volta à direção com “Batman – O Retorno”, que para muitos é melhor que o primeiro. Keaton retorna no papel principal, com a adição no elenco de Michelle Pfeiffer (Mulher-Gato), Danny Devito (Pinguim), e Christopher Walken. Em 1995, Burton sai da direção e apenas produz “Batman Eternamente”. O filme é dirigido por Joel Schumacher e traz Val Kilmer no papel principal. Chris O’Donnell faz o parceiro Robin, enquanto Jim Carrey (Charada) e Tommy Lee Jones (Duas-Caras) interpretam os vilões. Nicole Kidman faz o par romântico do herói. Mas o filme é muito colorido e cômico, fugindo da essência do personagem das HQs.

Batman (1989)

Pior ainda Schumacher fez com “Batman & Robin” (1997), onde George Clooney assume o papel do Homem-Morcego, em uma sucessão de cenas ruins e deslocadas; um pastelão. As presenças de Arnold Schwarzenegger (Senhor Frio) e Uma Thurman (Hera Venenosa) não ajudam. Uma verdadeira sucessão de equívocos que quase acabou com o futuro do personagem no cinema.

O diretor Christopher Nolan capturou a verdadeira essência dos quadrinhos de Frank Miller, com sua trilogia que se iniciou com “Batman Begins” (2005). Aqui é contada a origem do herói, seu exílio e retorno a Gotham City, quando ele precisa lutar contra inimigos como o Espantalho (Cillian Murphy) e Ra’s Al Ghul. O elenco de peso inclui nomes como Michael Caine (Alfred), Liam Neeson, Gary Odman (tenente Gordon) e Morgan Freeman.

A segunda parte “Batman – O Cavaleiro das trevas” (2008) é tido por muitos como o melhor filme de super-heróis de todos os tempos. Uma produção classe A, um vilão sensacional (feito de forma excepcional por Heath Ledger), personagens bem construídos e um herói disposto a tudo pelo combate ao crime, fazem deste -de longe – o melhor filme do personagem. Entre os vilões, temos ainda o Duas-Caras (Aaron Eckhart).

Batman Begins (2005)

Na terceira parte, entra em cena o vilão Bane (Tom Hardy), um criminoso que vence o Batman e toma o controle de Gotham City. Enquanto o herói tentar retornar e derrotar o mal que se abateu sobre sua cidade, Selina Kyle (Anne Hathaway) tenta ajudá-lo. Marion Cotillard e Joseph Gordon-Levitt são os novos nomes no elenco estelar.

Em 2016, o personagem retorna sob a direção de Zack Snyder em “Batman Vs Superman – A Origem da Justiça”. O ator dessa vez a vestir o uniforme do Homem-Morcego é Ben Affleck. Ele até que se sai bem no papel, mas a obra carece de um bom roteiro que explore melhor o conflito do herói com o Superman (Henry Cavill), e a luta de ambos contra o terrível Lex Luthor (Jesse Eisenberg). Ainda no elenco, as belas Amy Adams e Gal Gadot. Ainda em 2016, o Batman de Ben Affleck aparece (pouco) em “Esquadrão Suicida”, e em 2017, ele está no comando em “Liga da Justiça”, que não foi bem aceito pelos críticos, mas fez um relativo sucesso de público.

Sair da versão mobile