Especial: “Titanic” – 20 Anos (2ª Parte)

Especial: “Titanic” – 20 Anos (2ª Parte)

Na segunda parte do “Especial: ‘Titanic’ – 20 Anos”, vamos explorar um pouco mais do impacto do filme na história do Cinema

Seja bem vindo a segunda parte do especial de 20 anos do filme Titanic. Na primeira parte nós mergulhamos nos bastidores da produção do filme. Agora vamos explorar um pouco a música, a repercussão, o legado deixado pelo filme. E tentar entender um pouco mais porque Titanic é tão grandioso assim. Então, vamos lá?

A Música

Quando se fala em Titanic, uma das coisas que mais se lembra é a música. My Heart Will Go On se tornou uma das músicas mais marcantes do cinema. A música composta por James Horner foi tocada com exaustão em 1997 e 1998. Atingiu o primeiro lugar no mundo todo. Ela se tornou o maior sucesso da cantora Celine Dion. E tudo graças ao seu marido e empresário, René Angeli. Isso porque a princípio Celine se recusou a gravar a música. Mas depois de muita insistência, ela gravou uma demo, e daí em diante é história. A canção ganhou o Oscar, Grammy, Globo de Ouro, praticamente todos os prêmios que a canção concorreu, ela levou.

E o mais surpreendente é que Cameron não queria que a canção fosse incluída no filme. Para o diretor uma música, com letra e melodia, não combinava com o filme. Ele queria apenas uma trilha sonora orquestrada. No máximo ele aceitava vocais, como os ouvidos durante todo o filme. Mas a canção já estava gravada. Como James Horner conseguiu convencer Cameron a incluir a canção no filme?

Bem, James Horner esperou que Cameron ficasse de bom humor e apresentou a gravação da canção para o diretor. Depois de muito ouvir, finalmente ele aceitou colocar a canção na trilha sonora. E um dos motivos foi para acalmar os executivos da Fox. Uma vez que uma música cantada por uma cantora de sucesso, talvez desse um bom retorno para o estúdio.

Dito e feito. Além de todo sucesso nas paradas e premiações, a trilha sonora vendeu mais de 30 milhões de cópias pelo mundo. Se tornando a quinta trilha sonora mais vendida de todos os tempos. Muito em virtude do sucesso de My Heart Will Go On.

Uma curiosidade interessante, é que depois de fazer um sucesso estrondoso em 1997 e 1998, My Heart Will Go On, foi escolhida pela revista Rolling Stone e o site The Sun a música mais irritante da história.

Estreia, repercussão e crítica

Inicialmente a Fox queria lançar o filme em 2 de julho. A intenção do estúdio era que ele entrasse no embalo dos Summer Movies, e assim recuperar todo o dinheiro gasto na produção. Mas Cameron disse que os efeitos não estavam prontos. E a desconfiança pairava sobre o filme. Todos imaginavam um grande desastre comercial.

O filme teve sua primeira exibição em uma pré-estreia em 14 de julho em Minneapolis. Essa primeira exibição gerou críticas favoráveis e um bom boca a boca. O que fez a mídia ver com bons olhos, e fazer uma publicidade mais favorável.

A estreia oficial ocorreu em 1º de novembro de 1997 no Festival Internacional de Cinema de Tóquio. Mas as críticas não foram nada boas. O The New York Times descreveu o filme como morno. Mas com a premiere do filme em 14 de dezembro, com a presença das estrelas do filme, a coisa começou a mudar de figura. O entusiasmo da equipe do filme contagiou o público e as críticas positivas começaram a surgir.

E finalmente no dia 19 de dezembro de 1997 o filme chegou as salas de cinema dos Estados Unidos (no Brasil estreou em 16 de janeiro de 1998). Os executivos da Fox estavam temerosos, mas as primeiras críticas chegaram. E o que os críticos acharam?

É perfeitamente trabalhado, inteligentemente construído, fortemente agiu e fascinante … Filmes como este não são apenas difíceis de fazer, mas quase impossível de fazer bem. – Roger Ebert

Um espetáculo exuberante e aterrorizante de tragédia romântica. O roteirista e diretor James Cameron, tem reescrito a catástrofe definidora do início do século 20 em uma escala humana de tal anseio purificado e medo, que ele toca o mais profundo níveis de produção dos filmes populares – Owen Gleiberman, Entertainment Weekly

O magnífico Titanic de Cameron é o primeiro espetáculo em décadas que honestamente pode ser comparado com E o Vento Levou – Janet Maslin, The New York Time

Um triunfo quase sem ressalvas para Cameron, que oferece uma mistura estonteante de visuais espetaculares e um melodrama à moda antiga – Consenso geral no Rotten Tomatoes

Mas isso não impediu o filme de receber críticas negativas. Alguns críticos falaram da falta de elementos emocionais. Outros alegaram que a história e os diálogos eram fracos escondidos por um visual espetacular. Uma das críticas mais duras que o filme recebeu foi do crítico do Los Angeles Times, Kenneth Turan:

O que realmente traz as lágrimas é a insistência de Cameron em escrever que este tipo de filme está dentro das suas habilidades. Não apenas não está, como não chega perto.

Mas mesmo com críticas negativas o filme tem 87% de aprovação e nota 7,7/10 no Rotten isso baseado em 156 críticas. No Metacritic uma pontuação 74/100 baseado em 34 críticas. Isso mostra que apesar das críticas negativas, o filme teve na sua maioria críticas favoráveis. Ou seja o filme se tornou um sucesso de crítica.

Mas crítica não paga o filme, e o público? No primeiro dia de estreia o filme arrecadou US$ 8.658.814,00 e no primeiro fim de semana US$ 28.638.131,00. Os ingressos se esgotavam rapidamente. Em pouco tempo a Fox recuperou o dinheiro gasto e começou a ter lucros. Durante 15 semanas Titanic permaneceu no topo das bilheterias americanas. Filas contornavam quarteirões, cinemas ficavam lotados, ingressos se esgotavam até três dias antes da sessão. Houve casos de cinemas que foram salvos da falência graças ao sucesso de Titanic.

Só pra se ter uma idéia do sucesso do filme, no seu melhor dia nas bilheterias americanas o filme arrecadou US$ 13.048.711,00. E quando foi isso? Dia 14 de fevereiro de 1998, 6 semanas após a estreia nos cinemas. E o sucesso foi mundial.

No Brasil, por exemplo, quando eu fui assistir ao filme, ficamos 3 horas na fila para comprar o ingresso, isso num domingo. Enquanto estávamos na fila o ingresso do domingo se esgotou pra todas as sessões. Como era carnaval, iríamos comprar pra segunda, mas quando faltava umas 30 pessoas na nossa frente, todas as sessões de segunda estavam esgotadas. Só conseguimos ingresso para a primeira sessão na terça-feira de carnaval, às 10:30 da manhã. Chegamos ao cinema às 9:00, a fila saía do cinema, descia a escada rolante e chegava a porta de entrada. O cinema estava lotado. Um mês depois fui assistir novamente, em um cinema de rua, que estava a beira da falência. A fila rodeava o quarteirão, Titanic salvou o cinema da falência, pelo menos por mais 1 ano.

Em março de 1998 Titanic foi o primeiro filme a ultrapassar a barreira do bilhão mundialmente. O sucesso foi tão grande que nos Estados Unidos o filme ficou em cartaz por 10 meses. E por 12 anos ficou em primeiro lugar no topo da bilheteria mundial de todos os tempos.

Sucesso de público, sucesso de crítica, e sucesso também nas premiações. O filme ganhou 121 prêmios mundo a fora e foi indicado a outros 75 prêmios. Entre esses prêmios Titanic foi indicado a 8 Globos de Ouro tendo ganhado 4, melhor filme, diretor, canção e trilha sonora. O filme também foi indicado a 14 Oscars, se igualando a A Malvada em número de indicações. O filme ganhou 11 Oscars, se igualando a Ben Hur. Um fato curioso é que Titanic não foi indicado ao Oscar de melhor roteiro, que inclusive foi o ponto mais criticado pela crítica especializada. Outro fato interessante é que o filme foi indicado a 10 Baftas, considerado o Oscar Britânico, mas não levou nenhum prêmio.

O Legado

Como todo grande sucesso, Titanic deixou um grande legado. A começar por seus astros principais. Após o filme a carreira de Leonardo DiCaprio e Kate Winslet foi catapultada rumo ao estrelato. Da noite para o dia Leonardo DiCaprio se tornou o queridinho das adolescentes. Todas as garotas suspiravam pelo ator. Colecionavam revistas Capricho que vinha com pôsteres do ator. Seus filmes se tornaram sinônimos de sucesso de bilheteria. Só pra se ter uma ideia, O Homem da Máscara de Ferro que trazia o ator no papel principal, foi o filme que tirou Titanic do topo das bilheterias americanas. Esse sucesso nas bilheterias credenciou o ator a fazer parcerias com Steven Spielberg e Martin Scorsese, solidificando sua carreira e seu prestígio junto ao público e crítica.

Sua colega de elenco Kate Winslet, não ficou para trás. Após Titanic a atriz se tornou uma atriz disputada por vários diretores e estúdios. Isso deu a atriz a possibilidade de escolher os filmes que ela quisesse fazer. Fazendo filmes menores, aos poucos a atriz foi cada vez mais ganhando o prestígio da crítica e admiração do público. E se tornou uma das atrizes mais amadas e respeitadas da atualidade.

James Cameron também usufruiu do legado deixado pelo filme. Após o sucesso o diretor pode tirar longas férias. Além disso o sucesso do filme o habilitou a fazer experimentações como dirigir e produzir o documentário Aliens of The Deep, feito em IMAX 3D. Além da Fox ter dado ao diretor carta branca para fazer Avatar, que foi mais um megassucesso do diretor pelo estúdio.

Mas nem tudo são flores no legado deixado por Titanic. Em 2003, Titanic apareceu no topo da lista dos piores filmes feitos na história. Revistas e críticos respeitados reduziram a classificação feitas anteriormente. O filme aos poucos foi se tornando mais odiado do que amado. Em 2003 ainda, o filme foi escolhido como o melhor final da história do cinema, mas hoje há quem ache o final brega e ruim.

Outra que foi beneficiada por Titanic, foi Celine Dion. Após gravar My Heart Will Go On, a cantora ganhou fama mundial e se consolidou como uma das maiores cantoras em atividade. Mas ela mesmo já admitiu, que não aguenta mais My Heart Will Go On. Em uma entrevista para TV em 2013, a cantora admitiu que não aguentava mais cantar a música. Mas isso não significa que ela não cantaria novamente. Tanto que no Billboard Music Award desse ano, a cantora emocionou a todos interpretando a My Heart Will Go On, em comemoração aos 20 anos de Titanic.

Mas esse ódio pelo filme, parece que só ajuda-lo. Em 2012 quando foi relançado em 3D, o filme arrecadou US$ 343.571.034,00 em todo o mundo. A reunião dos atores Leonardo DiCaprio, Kate Winslet e Billy Zane 20 anos depois se tornou a sensação da internet. Matérias especiais são preparadas. Blu-Ray especiais são lançados.  O filme ainda continua no imaginário popular.

Ou seja, você goste ou não Titanic, é um marco no cinema mundial. Até hoje a Fox colhe os frutos do filme. Como disse no início desse especial, Titanic não foi apenas um filme, mas foi um evento cinematográfico. Quem assistiu ao filme nos cinemas nunca se esqueceu dessa experiência única. E em tempos de Torrent, em que o filme nem bem entraram em cartaz todo mundo já assistiu na tela do computador ou celular, será difícil conseguirmos ver uma comoção tão grande como foi a de Titanic.

Não por nada que 20 anos depois, estamos aqui relembrando a história desse Jovem Clássico. Titanic foi um marco nunca antes visto, e dificilmente será repetido.

Leia a 1ª Parte do “Especial: ‘Titanic’ – 20 anos

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário: