Sete razões para não perder It – A Coisa

Sete razões para não perder It – A Coisa

It – A Coisa estreou nos cinemas nacionais dia 07 de setembro e se você está em dúvida se vale a pena ir encarar o palhaço mais macabros dos cinemas, segue aqui uma pequena lista de motivos porque esse filme é imperdível!

1 – O Clube dos Perdedores

A alma de It – A Coisa é o vínculo de amizade entre os sete membros do clube dos perdedores. Assim como vimos em Goonies, Conta Comigo (baseado em outra obra de Stephen King – As Quatro Estações) e mais recentemente Stranger Things, a essência do filme está nos membros do grupo, seus laços de amizade, desenvolvimento e o fato de crianças que se encontram em uma situação ameaçadora e resolvem por si só resolver o problema. Em pouco tempo você já estará torcendo por Bill, Richie, Eddie, Stanley, Bevvie, Bem e Mike.

2 – Anos 80 a década que não acabou…

It – A Coisa é baseado no livro homônimo que foi lançado em 1986, com isso o filme se passa nessa década, assim como as outras obras do item anterior. Então se preparem para ver diversas referências como pôsteres nos quartos com filmes como Gremilins, musica (New Kids on the Block, estou falando com você), e até os filmes em cartaz no cinema (Batman e A Hora do Pesadelo 5).

3 – Pennywise

Certamente você já viu ou ouviu falar dessa figura bizarra. O palhaço dançarino já tinha ganhado as telinhas através da interpretação de Tim Curry e para as pessoas que tem medo de palhaço a figura de Pennywise é assustadora. A nova versão de Bill Skarsgård é tão assustadora quanto, graças a interpretação, postura corporal e voz utilizada pelo ator e que torna um elemento infantil tão amedrontador que faz essa combinação se tornar bem perturbadora. E quando você tem um vilão que pode se transformar nos seus maiores medos, podemos esperar bons sustos e momentos de tensão.

4 – Stephen King

Diversas vezes o escritor Stephen King já foi chamado de “mestre do terror” e tal título não é sem merecimento. O escritor americano tem em It – A Coisa um dos seus melhores livros. O fato de ter quase mil páginas (até mais dependendo da edição) o escritor conseguiu dar uma riqueza de detalhes muito grande na história. Você consegue conhecer cada rua da cidade de Derry, no estado do Maine, local onde a grande maioria dos livros de King se passa.

5 – A direção

O diretor Andrés Muschietti trabalha muito bem o terror no filme, contando com sua experiência no também assustador Mama, dando tempo suficiente para desenvolver a maioria dos personagens do filme e conseguir no enquadramento da câmera mostrar quando Pennywise irá usar seus poderes para amedrontar suas vítimas.

6 – Muito mais que terror

Muita gente pode que tem medo de filme de terror pode querer deixar de ir ver esse filme, mas se mesmo lendo os tópicos anteriores você ainda não se convenceu, acredite, vale a pena o esforço. O filme poderia até mesmo ser classificado como “aventura de mistério”. O palhaço dançarino aparece mais ou menos uns 20 minutos do filme. Como disse a alma do filme é o clube dos perdedores, e toda aquela delícia que é a nostalgia dos filmes dos anos 80.

7 – To be continued…

Com um livro tão grande se fosse feito apenas um filme muita coisa seria cortada fora. Mas prevendo o merecido sucesso que o filme vem fazendo, o filme acertadamente abrange apenas uma parte da história, portanto é questão de tempo para ser anunciada a data da continuação do filme, que já foi confirmada.

 

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

  • Brandon Maia

    Só um detalhe: no livro a história se passa nos anos 50 e não nos anos 80 como está escrito na matéria