11 filmes sobre mães inesquecíveis

11 filmes sobre mães inesquecíveis

Em homenagem ao Dia das Mães, selecionei alguns filmes sobre mães que de um modo ou de outro marcaram a história da Sétima Arte. São inúmeros os filmes onde elas se destacam, mas como seria quase impossível selecionar todos, vamos relembrar 11 filmes sobre mães guerreiras.

 

Mães em destaque

 

O Pecado de Madelon Claudet (1931), direção: Edgar Selwyn

A elogiada atriz Helen Hayes venceu o Oscar de melhor atriz (também como coadjuvante por “Aeroporto”) por sua excelente interpretação nesse drama que conta a história de uma mulher que não consegue ser feliz na vida, restando apenas fazer com que seu filho realize o sonho de ser médico, ainda que ele pense que sua ela já falecera.

 

Stella Dallas, Mãe Redentora (1937), direção King Vidor

Barbara Stanwick era uma das grandes atrizes do cinema clássico, e neste drama memorável ela interpreta Stella, uma mulher que por capricho e vaidade não soube segurar seu casamento. O que lhe resta é fazer com que sua filha não siga seu exemplo de decadência, mas que seja feliz, nem que para isso Stella precise abrir mão de algumas coisas. Comovente do início ao fim.

 

Imitação da Vida (1959), direção: Douglas Sirk

Uma jovem despreza sua mãe (Juanita Moore) por essa ser negra e trabalhar como empregada para uma atriz (Lana Turner). Temos aqui dos mais famosos melodramas do cinema, que toca em assuntos como preconceito racial e rejeição. Juanita (falecida recentemente) tem uma atuação brilhante, sendo indicada ao Oscar de atriz coadjuvante.

 

Laços de Ternura (1983), direção: James L. Brooks

Shirley MacLaine (vencedora do Oscar) e Debra Winger são mãe e filha nessa triste história sobre relações, dúvidas e conflitos. Ambas precisam deixar suas diferenças de lado quando uma trágica descoberta atinge a vida de toda a família. Um filme sincero, repleto de grandes emoções. Difícil não ir às lágrimas.

 

Minha Mãe é uma Sereia (1990), direção: Richard Benjamin

Cher (vencedora do Oscar de melhor atriz por “Feitiço da Lua) interpreta Rachel Flax, uma mãe que nos anos 60 consegue ser mais liberal e positiva que Charlotte (Winona Ryder), sua filha mais velha. O filme lida com questões como anseio, busca e reflexão em uma década onde o liberalismo começava a florescer, e com isso, os conflitos eram inevitáveis.

 

Mães em Luta (1996), direção: Terry George

As ótimas Helen Mirren (Oscar por “A Rainha”) e Fionnula Flanagan (“Os Outros”) interpretam mães de jovens terroristas do IRA. Elas são diferentes em seus pensamentos sobre a atual situação dos filhos, mas como mães, ambas não os abandonam na prisão. Um eficiente e comovente filme político co-escrito por Jim Sheridan, diretor de “Meu Pé Esquerdo”.

 

Um Sonho Possível (2009), dir: John Lee Hancock

A história real de Leigh Anne Tuohy (Sandra Bullock), uma mulher da alta sociedade que um dia resolve adotar um adolescente negro jogador de futebol americano. Leigh, sempre firme e decidida, passa por cima de preconceitos e demais obstáculos para seguir em frente em sua nova decisão. Bullock venceu o Oscar de melhor atriz por esse papel.

 

Precisamos Falar Sobre Kevin (2011), direção: Lynne Ramsay

O que fazer quando seu filho arruinou para sempre a vida de várias famílias? Eva sofre as consequências dos atos de seu filho Kevin, e com ela, vamos relembrando fatos que poderiam ter gerado essa terrível situação. Tilda Swinton nos passa toda a dor e inconformismo de sua trágica personagem, em uma atuação forte e visceral.

 

O Impossível (2012), direção: Juan Antonio Bayona

Esse foi o filme que revelou o jovem ator Tom Holland (o novo Homem-Aranha do cinema). Aqui ele interpreta um dos sobreviventes perdidos na Tailândia depois que um tsunami destruiu o local em que eles estavam. Ele ajuda sua mãe (Naomi Watts, indicada a vários prêmios pelo papel). Ela, machucada e aflita, precisa descobrir se seu marido e o outro filho estão vivos.

 

Que Horas Ela Volta? (2015), direção: Anna Muylaert

A excelente interpretação de Regina Casé é um dos principais atrativos desse drama que mostra o choque entre ricos e pobres, patrões e empregados. A vida da empregada doméstica Val muda quando sua filha se hospeda na casa de seus patrões, transformando a vida de todos ali. Um dos melhores filmes brasileiros dos últimos anos.

 

O Quarto de Jack (2015), direção: Lenny Abrahamson

Brie Larson venceu o Oscar de melhor atriz por sua sensível e emocionante atuação no papel de uma mulher que foi raptada e colocada em um quarto fechado por vários anos. Ali, ela cuida de seu filho Jack de apenas 5 anos. Ambos precisam sair dali e reconstruir suas vidas. Mas a adaptação à nova vida pode não ser tão fácil quanto se imagina. Um filme tocante e delicado.

 

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

Os comentários estão fechados.