Podcast Cinem(ação) #122: Cinquenta Tons de Cinza

Podcast Cinem(ação) #122: Cinquenta Tons de Cinza

Mamilos são muito polêmicos! E a nova febre dos cinemas é “ Cinquenta Tons de Cinza ”, que ganha em polêmicas e perde em outros quesitos. Rafael Arinelli, Daniel Cury e Henrique Rizatto recebem novamente Larissa Siriani para soltar os cachorros em cima desta querida produção cinematográfica. Mas lembre-se: o conteúdo deste podcast não é recomendado a menores de 16 anos!

Faça o download ou dê o play abaixo:

> 05m43: Repercussão

> 24m06: Pauta Principal

> 1h51m32: Encerramento & Erros de Gravação

Referências Citadas:

Parceria:

descola-org

Links do Podcast Cinem(ação):

Críticas, elogios, sugestões para contato@cinemacao.com ou no facebook.com/cinemacao ou ainda pelo twitter.com/cinemacao

Este Podcast foi editado por: !SSOaí Design Estratégico

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

  • Eduardo Silva

    Fala Galera!!!

    Apareci pra dizer que curti demais essa edição. A Larissa já está no meu coração porque faz comentários maravilhosos e tem uma super energia com vocês, isso é fato! Tragam ela mais vezes!
    Sobre vocês nem precisa falar nada, já que acho o podcast excelente e ficar repetindo isso é redundância! Parabéns pelo trabalho e já no aguardo da edição sobre o Oscar!

    PS: Me senti super representado na leitura de e-mails já que o ouvinte gostou muito de Garota Exemplar (que é um dos mais baixados, junto com a Culpa é das Estrelas) e eu estava nessa edição!

  • Camila Albuquerque

    Só aproveitando pra dizer que saí do armário!!!!!!!

  • Rafael Arinelli

    Boa Camila! rs

  • Alexandre de Paula

    Bom, eu achei um filme que se limita a ser bom. Eu falo bom, pois considero que é uma perspectiva diferente de se tratar relacionamento entre 2 pessoas com interesses tão diferentes.

    Mas concordo que muita coisa foi forçada, como a apresentação dos personagens e a rapidez como ela aceita tudo que ele está propondo sendo ela uma moça tão recatada. Tanto que não se toma um impacto quando ela começa a ser dominada, pois não houve tempo de vê-la como alguém recatada. Pra mim, era apenas uma mulher comum experimentando uma coisinha nova.
    Sem contar que o filme tenta passar o sadomasoquismo como uma coisa bonitinha e romântica, sendo que não é assim rsrs A única cena que se aproxima da realidade é a contagem até 6, onde ao finalmente dar umas batidas mais firmes, ela simplesmente miou.

    Acho que o filme não se fecha no seu término, jogando todo o peso para uma possível sequencia, e isso é ruim. Poderiam ao menos colocar uns pensamentos dela, dando algum tipo de conclusão. Do jeito que terminou, ficou parecendo uma discussãozinha, onde ele ligaria na semana seguinte com um belo pedido de desculpas e ai tá tudo certo.

    E eu preciso comentar uma coisa: chega a ser piada falar que esse é o filme mais esperado do ano, no mesmo ano que teremos Vingadores 2 (tendo em vista a bilheteria do primeiro), o final de Jogos Vorazes e Star Wars 7. Não vi sequer 1 homem ansioso pra ver esse filme. Ou seja, estava sendo esperado somente pelas mulheres que queriam se “realizar” nele (pronto, falei rsrs).

    Minha nota é 2 claquetes.

  • Alexandre… acho que o filme é “o mais esperado do ano” pra quem leu o livro, ou então o mais esperado neste início de ano. De fato, tem muita coisa boa vindo por aí. Ou então, citando os Titãs, é o filme “mais esperado de todos os tempos da última semana”, rsrsrsrs
    No mais, excelentes comentários! 🙂