Alien – Especial 3

Alien – Especial 3

Na maioria dos filmes de ficção científica e futuristas apresentam  corporações ou indústria que controla uma boa parte ou a totalidade do mundo do filme. Podemos citar como exemplos a Umbrella Corporation em Resident Evil, a Federação de Planetas Unidos de Jornada nas Estrelas, a Omni Consumer Products de Robocop, a Cyberdine Systems da saga O Exterminador do Futuro e a Tyrell de Blade Runner, este último também criado e dirigido por Ridley Scott.

Na série Alien desde o começo somos apresentados à megaorganização chamada Weyland-Yutani, referida também como “A Companhia”, é uma das corporações que controlam as colônias humanas fora da Terra. A empresa é demonstrada em todos os filmes como aquelas empresas corruptas e inescrupulosas que não pensam duas vezes antes de descartar vidas humanas. Seu maior objetivo é obter Aliens Xenomórficos vivos para usarem como armas biológicas.

No primeiro filme ela não é mencionada diretamente, mas seu símbolo está presente em alguns detalhes por parte da nave, até mesmo nas latas de cerveja que os personagens bebem ao acordar do crio-sono.

Em Alien – O Resgate, o diretor James Cameron aumentou significativamente a importância da empresa, no filme é a companhia que controla a colônia LV-426, que é o mesmo planeta que é tido o primeiro contato com os Aliens no primeiro filme. A companhia também é responsável pela tecnologia da Terraformação.

No universo de Alien, o planeta Terra após anos de exploração e abuso ficou praticamente inabitável, e a companhia desenvolveu um maquinário que pode transformar qualquer outro planeta ou lua em um lugar habitável, transformando sua atmosfera, mas esse é um processo que pode durar décadas.

Em Aliens3 o nome da empresa é mostrado em japonês, e no quarto filme a companhia já não existe mais, abrindo espaço para uma força militar chamada United Systems Military.

Mas a corporação não ficou restrita apenas a quadrilogia de filmes, nos crossovers com o filme O Predador, também são mencionadas.

Em Alien X Predador 1, o fundador da companhia Weylando é Charles Bishop Weyland, e é representado pelo ator Lance Henkissen, que é o mesmo ator que fez o papel do andróide Bishop em Aliens – O Resgate e Aliens 3, sugerindo que o andróide foi modelado a  sua imagem. Porém há uma contradição pois no filme Alien3 é deixado claro que o andróide foi construído por um funcionário da Weyland-Yutani chamado Michael Bishop. Mas é em Alien X Predador 2 que temos a referência mais interessante. No final do filme, um militar leva uma arma de ombro do Predador, adaptada para ser uma pistola a uma mulher que ele chama de Yutani, que comenta que o mundo não está preparado para essa tecnologia, a qual recebe como resposta a frase: “mas isso não é para nosso mundo não é srta. Yutani”, dando a entender que eles já tem planos para colonizar outros mundos.

São feitas diversas referências/homenagens a Corporação em séries e filmes, como a série de TV Firefly e seu filme Serenity, na série Angel, no último episódio de Mestres da Engenharia do Discovery Chanel podemos ver o logo da empresa na ponte de Gibraltar e também na série Red Dwarf onde podemos ver em um cemitério de naves, uma nave com o logo da empresa.

Vamos ver qual a importância da empresa no novo filme Prometheus que estréia oficialmente dia 15/06, mas que já está em exibição em muitas salas de cinema aqui no Brasil desde o dia 07.

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

  • Paulo Roberto Galliac

    Ótimo texto sempre “gostei” dessas corporações da ficção. Acho ótimas criticas ao corporativismo no próprio entretenimento.