Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Precisamos falar sobre Ela

Um homem solitário e recém divorciado encontra refúgio e carinho em uma assistente pessoal com uma voz calorosa. Theodore não sabia que poderia se apaixonar por uma máquina, mas será que ela poderia sentir o mesmo?

Ela foi o ganhador do Oscar de melhor roteiro adaptado em 2013 e esse filme contou com uma das maiores atuações da carreira de Joaquin Phoenix. O elenco do filme ainda conta com Rooney Mara, Amy Adams, Olivia Wilde, Chris Pratt e a voz inconfundível de Scarlett Johansson.

Uma das melhores coisas dessa obra é a sua trilha sonora, composta pela banda Arcade Fire. A canção original “The Moon Song” é uma ótima companheira para os dias frios e para embalar a sua playlist. Ela conta com duas versões, uma cantada por Karen O e outra com a voz de Samantha

Por que precisamos falar sobre Ela?

Ela é um filme sensível, delicado e cheio de reflexões, completamente diferente dos conteúdos audiovisuais que integram o portfólio do diretor. Acredite ou não, Spike Jonze foi co-criador e produtor da série de gosto duvidoso chamada Jackass

Desde o seu lançamento, rondam pequenas teorias que conectam a obra de Jonze com um dos grandes sucessos escrito e dirigido por Sofia Coppola, Encontros e Desencontros. Mas, por que essas comparações? Caso você não tenha assistido o filme de Sofia, se prepare para alguns spoilers.

Lost in Translation é um drama de 2003 que acompanha duas pessoas infelizes com suas vidas amorosas e profissionais. Uma se sente sozinha mesmo dormindo com o marido todos os dias e o acompanhando nas viagens de trabalho, o outro se considera um fracassado por ter perdido o sucesso depois de uma grande carreira como ator e não sabe se continuará casado por muito tempo.

Spike e Sofia foram casados e, o motivo da teoria é que alguns meses após o lançamento de Lost in Translation o relacionamento do casal chegou ao fim. Ao que os fãs entendem que o filme de Sofia é um retrato do relacionamento do casal e a obra de Jonze é uma resposta como um pedido de desculpas à ex-mulher.

Paralelo entre os filmes de Jonze e Coppola

Claramente, nenhum dos envolvidos comentou sobre esse rumor que ronda o mundo dos cinéfilos, mas Her consegue referenciar cada pequeno detalhe de Lost In Translation. O enquadramento, a trilha sonora, os sentimentos dos protagonistas e até a presença de Scarlett Johansson pode ser entendida como uma alusão ao filme de 2003.

Caso queira saber mais sobre essa teoria, veja o vídeo do canal do Gustavo Cruz sobre essa conexão e todo o seu sentido filosófico.

É engraçado pensar que no ano de 2013 ferramentas como Siri, Ok Google e até a nova queridinha Alexa eram apenas ideias em fases de testes, aquela tecnologia estava começando a ser aprimorada e desenvolvida, mas com certeza sua popularidade foi maior do que o esperado.

Para quem gosta de filmes mais quietos e reflexivos, Ela é uma ótima escolha de entretenimento que te faz pensar. É o típico filme com uma história sem final feliz, mas com um final real.

Sair da versão mobile