Ícone do site Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

44ª Mostra de São Paulo chega com vantagens em meio a desvantagens

44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo - logo - recorte

A diretora da 44ª Mostra de São Paulo, Renata de Almeida, estava visivelmente incomodada com a anormalidade da coletiva de imprensa do evento de 2020. Em formato de live, tal qual se tornaram todos os eventos deste ano, a coletiva teve a presença dos representantes dos principais parceiros da Mostra: Sesc, CPFL, Itaú Cultural e Governo do Estado de São Paulo.

Símbolo de resistência e resiliência cultural desde os árduos tempos da ditadura, quando Leon Cakoff criou o evento, a Mostra de São Paulo foi obrigada a se adaptar à pandemia. Mesmo confessando ter sido resistente a fazer uma 44ª Mostra on-line, Renata explicou que a melhor opção foi exibir os filmes na plataforma própria desenvolvida pela Mostra, com mesma tecnologia utilizada pelos festivais mais importantes do mundo.

Renata de Almeida

Os filmes terão limite de 2 mil espectadores, o que significa que terão a possibilidade de atingir público máximo ao longo do festival, especialmente porque muitos deles nunca lotam as salas nos eventos presenciais, já que dependem também de presença física. Renata de Almeida também explicou que não cogitou a possibilidade de dividir o festival em dois “blocos”, e que portanto os filmes estarão todos disponíveis na plataforma MOSTRAPLAY desde o primeiro dia – com exceção de Nova Ordem, filme de abertura, que terá limite de mil espectadores e tempo limitado.

Serão 198 filmes de 71 países, incluindo o primeiro filme do Lesotho exibido no evento. Destes, 30 filmes terão exibições gratuitas.

Confira detalhes e filmes da Mostra de São Paulo.

Vantagens em meio a desvantagens

Os apaixonados pela Mostra certamente vão sentir falta de sair das salas de cinema do Shopping Frei Caneca ou da Rua Augusta e discutir os filmes com os amigos nos bares da região. Este que vos escreve certamente sentirá falta do café do Espaço Itaú de Cinema.

No entanto, as desvantagens abrem espaço para vantagens. Os debates do Fórum da Mostra, por serem em formato de live, contarão com presenças internacionais. Junto com isso, pessoas de outras regiões do Brasil poderão acessar os filmes e acompanhar longas-metragens que antes ficariam restritos à geografia paulistana. Pode-se até mesmo criar expectativas para que a 44ª Mostra de São Paulo consiga as maiores audiências médias de filmes.

Devemos procurar os pontos positivos no meio da bagunça. Nenhum desses pontos é maior do que a continuidade da valorização da arte e do cinema. Vistos em casa, os filmes podem diminuir de tela, mas podem aumentar o público, e certamente não reduzirão sua importância.

Sair da versão mobile