Ícone do site Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

#ConexãoSundance 2020: Minari

Minari - filme exibido no Festival de Sundance 2020

Steven Yeun appears in Minari by Lee Isaac Chung, an official selection of the U.S. Dramatic Competition at the 2020 Sundance Film Festival. Courtesy of Sundance Institute.rrAll photos are copyrighted and may be used by press only for the purpose of news or editorial coverage of Sundance Institute programs. Photos must be accompanied by a credit to the photographer and/or 'Courtesy of Sundance Institute.' Unauthorized use, alteration, reproduction or sale of logos and/or photos is strictly prohibited.

#ConexãoSundance: Crítica e análise do filme Minari, de Lee Isaac Chung.

A cobertura do Festival de Sundance 2020 será postada filme a filme, com resumos e críticas dos longas acompanhados pelo crítico Maurício Costa.

VEJA A COBERTURA COMPLETA DO FESTIVAL DE SUNDANCE AQUI!

Minari

A produção da A24 e da PlanB já dão indício do nível de qualidade do filme. Minari conta a história de uma família coreana nos anos 1980 que se muda para o Arkansas após comprar uma fazenda. No entanto, ela não tem muitos recursos, e isso causa problemas com a esposa, que traz a mãe dela da Coreia do Sul. O personagem principal do filme é David, o filho mais novo, de 5 ou 6 anos, que tem um problema de saúde.

É um drama familiar universal, independentemente das especificidades culturais. O conflito dentro do casamento, o amor pelo filho, a vontade de realizar um sonho e as relações geram conexão. O grande poder do filme está no roteiro, que montou uma narrativa muito sensível na maneira como ele dedica espaço para desenvolver cada um dos personagens, talvez com menor tempo a filha adolescente. Mas o pai, a mãe, David e a avó têm o espaço para entendermos suas dores, contradições e desejos. O garotinho é a grande estrela do filme.

Uma das grandes coisas do filme é o conflito entre David e a avó, pois ele não gosta dela, mas a relação vai se construindo. Não é preciso contar muito da trama, mas é um filme com um tom idílico e nostálgico, ainda que não seja todo do ponto de vista do menino. É um tom da percepção das coisas quando se é pequeno demais e tudo parece ser maior do que é. Uma das coisas mais bonitas do filme é a trilha sonora, que tem um toque onírico, melancólico, infantil, e que já no primeiro acorde já tem impacto. Steven Yeun está excelente.

Nota: 5 / 5

Sinopse e Ficha Técnica:

Nos anos 1980, o menino coreano-americano de sete anos de idade David se depara com um novo ambiente e um modo de vida diferente quando seu pai, Jacob, muda sua família da costa oeste para a zona rural do Arkansas. Sua mãe, Monica, fica horrorizada por morarem em uma casa móvel no meio do nada. Quando a avó chega da Coreia para morar com eles, seus modos desconhecidos despertam a curiosidade de David.

Competição: U.S. Dramatic Competition
País: EUA
Duração: 115 min
Idioma: Inglês e Coreano
Produção: A24
Direção e roteiro: Lee Isaac Chung

Participam da cobertura do Festival de Sundance 2020 os seguintes sites e canais: Razão:de:Aspecto, Cinem(ação), Getro.com.br e Wanna be Nerd.

Sair da versão mobile