Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

#ConexãoSundance 2020: Yalda, A Night For Forgiveness

#ConexãoSundance: Crítica e análise do filme iraniano Summer White (Blanco de Verano).

A cobertura do Festival de Sundance 2020 será postada filme a filme, com resumos e críticas dos longas acompanhados pelo crítico Maurício Costa.

VEJA A COBERTURA COMPLETA DO FESTIVAL DE SUNDANCE AQUI!

Yalda, A Night For Forgiveness

O filme Yalda, A Night For Forgiveness, cita o nome de um feriado iraniano chamado Yalda. O filme é baseado em uma situação real da cultura iraniana. Na história, Maryam é uma jovem iraniana que mata o marido acidentalmente e é condenada à morte.

Só que no Irã o parente do assassinado pode perdoar a pessoa da pena de morte, e lá há um show de TV que realmente existe, em que se leva a pessoa a ser perdoada e o parente que vai perdoar. Tem um pouco da característica de programas sensacionalistas, mas na verdade há uma complexidade da cultura iraniana e da cultura religiosa muçulmana. É um programa de TV sofisticado.

Mas “Yalda” fica todo em torno do programa de TV, com os bastidores e o programa, gerando a tensão até a decisão final. O filme é envolvente e tenso para nós, que não entendemos muito a cultura deles, mas para um iraniano pode ser mais envolvente ainda, mais complexo e tocante. Ele também cumpre uma função importante de mostrar um lado diferente do Irã, tratando da cultura do perdão e não da violência e violação de direitos, quebrando um estereótipo.

É um filme construído na tensão entre os personagens, no bate-boca. O diretor, que já teve um filme banido no Irã, tem a mesma “vibe” dos filmes do Asghar Farhadi, com a diferença de que em “Yalda” existe uma dinâmica visual forte, pois se passa quase totalmente dentro de um estúdio de TV. O filme tem umas viradas na trama interessantes e um elenco maravilhoso. Só não fica no mesmo nível de filmes como O Apartamento ou A Separação, por exemplo.

Nota: 4,5 / 5

Sinopse e Ficha Técnica:

Maryam é uma jovem que foi condenada à morte por assassinar seu marido, Nasser. A lei iraniana permite que a família da vítima a perdoe e poupe sua vida, para que o destino de Maryam seja decidido pela filha de Nasser, Mona, no reality show televisivo mais popular do país. Diante de milhões de espectadores durante a Yalda, celebração do solstício de inverno, Maryam e Mona descobrem que o perdão pode ser difícil, pois revivem o passado.

Competição: World Cinema Dramatic Competition
País: Irã/França/Alemanha/Suíça/Luxemburgo
Duração: 89 min
Idioma: Farsi
Produção: Pyramide International
Direção e roteiro: Massoud Bakhshi

Participam da cobertura do Festival de Sundance 2020 os seguintes sites e canais: Razão:de:Aspecto, Cinem(ação), Getro.com.br e Wanna be Nerd.

Sair da versão mobile