Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

#ConexãoSundance 2020: Luxor

Andrea Riseborough and Karim Saleh appear Luxor by Zeina Durra, an official selection of the World Cinema Dramatic Competition at the 2020 Sundance Film Festival. Courtesy of Sundance Institute.All photos are copyrighted and may be used by press only for the purpose of news or editorial coverage of Sundance Institute programs. Photos must be accompanied by a credit to the photographer and/or 'Courtesy of Sundance Institute.' Unauthorized use, alteration, reproduction or sale of logos and/or photos is strictly prohibited.

#ConexãoSundance: Crítica e análise do filme Luxor.

A cobertura do Festival de Sundance 2020 será postada filme a filme, com resumos e críticas dos longas acompanhados pelo crítico Maurício Costa.

VEJA A COBERTURA COMPLETA DO FESTIVAL DE SUNDANCE AQUI!

Luxor

No quinto dia do festival, o primeiro filme assistido foi Luxor: produção britânica que se passa no Egito. É um filme contemplativo, o que não exatamente significa que ele tem problema de ritmo. Ele é feito para ser lento e contemplativo. A premissa do filme é a contemplação do presente, do passado e do futuro.

No filme, a protagonista muito bem interpretada por Andrea Riseborough trabalha como funcionária internacional na fronteira da Jordânia com a Síria, e na folga dela decide passar uma semana no Egito. Durante essa semana, ela reencontra um amor da juventude de quando trabalhou no país, e acaba pensando nas oportunidade que teve, nas coisas que deixou de fazer, onde sua vida está agora, e o que ela pretende fazer no futuro.

Luxor é um estudo de personagem e muito bem feito e comovente. Tem uma divisão de capítulos definidas tematicamente, com referências a músicas, questões literárias e seu passado, o que deixa o filme muito envolvente. Claro que não é um filme que todo mundo vai gostar, mas quem está repensando a vida, por exemplo, vai gostar de Luxor.

Nota: 4 / 5

Sinopse e Ficha Técnica:

Hana está buscando paz mental e descanso físico após um período estafante de trabalho em uma clínica em Ramtha, na fronteira entre a Jordânia e a Síria, onde se especializou no tratamento de vítimas feridas na guerra. Ela encontra consolo na majestosa Luxor, Egito, onde morou quando tinha seus 20 anos e namorou um belo arqueólogo, Sultan. Nesta viagem solo nostálgica, ela permanece nos saguões de hotéis cheios de memória e em locais antigos enquanto começa a lidar com sua dor e suas emoções da guerra – mas quando ela encontra Sultan em uma balsa que cruza inesperadamente, a química é inegável.

Competição: World Cinema Dramatic Competition
País: Egito / Reino Unido
Duração: 85 min
Idioma: Inglês e Árabe
Produção: Creative Artists Agency
Direção e roteiro: Zeina Durra

Participam da cobertura do Festival de Sundance 2020 os seguintes sites e canais: Razão:de:Aspecto, Cinem(ação), Getro.com.br e Wanna be Nerd.

Sair da versão mobile