Ícone do site Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

A Noiva do Mago Ancião (Mahoutsukai no Yome)

A Noiva do Mago Ancião (Mahoutsukai no Yome) é um dos mangás recentemente lançado (2014). Ele conquistou fãs e foi adaptado para anime em 2017.

A arte é sensacional, ao mesmo tempo delicada e medonha. Os detalhes pregam os olhos na tela, principalmente, com a composição junto aos movimentos. Além disso, a história é incrível, com várias referências ao problema de depressão e aceitação da sociedade.

Vamos à ela então… Uma jovem, Chise Hatori, enxerga coisas estranhas e não é aceita pela sociedade. Porque, claro, eles tem dificuldade em entender as diferenças. Ela sofre muito com isso, fica sem família e isolada de todos. Por isso, acaba desistindo da vida, como muitos já o fizeram e fazem todo dia.

Só que ao invés de encerrar tudo de uma vez, ela assina um contrato. Este que funciona como uma doação da vida. Ela aceita ser leiloada por seres estranhos para outros mais estranhos ainda. Até que um grande mago, Elias Ainsworth, compra a menina.

Ele a comprou pois decidiu treiná-la para ser sua sucessora e, também, sua noiva. Eles saem do Japão e vão morar na Inglaterra, onde existem fadas, dragões e outros seres míticos.

Com o passar dos dias, Chise aprende que é uma Sleigh Beggy, um ser mítico que consegue gerar e absorver uma magia absurda.

Ao analisar esse cenário todo, é importante entender que a questão da relação entre Chise e Elias não é de homem e mulher ou de dominância. Mas na questão da aprendizagem e na libertação em um mundo novo, para superar as amarras da sociedade.

Com o tempo, o mago passa tarefas para Chise começar seu treinamento e a menina cresce com cada lição aprendida. Ela entra em contato com diversas formas de vida e aprende como as pessoas podem se apossar de estar vivo de maneiras diferentes.

Com isso, começa a construir seu próprio conceito do que é a vida e do porque precisa se segurar à ela. Até porque Sleigh Beggys, segundo a história, não costumam viver muito.

Destaque para um dos primeiros episódios, sobre o reino dos gatos. Durante essa história, os dois vão visitar o rei gato (que é uma rainha – maravilhosa) e descobrimos uma forma de vida diferente. Os gatos tem 9 vidas, se comunicam e socializam, enquanto vivem ao lado de humanos que não entendem nada.

Pensando sobre isso, também abordam a questão de violência com os animais. O que é interessante, pois fica evidente o apreço pela vida, independente de qual espécie seja.

Agora, imagina alguém que começou a ver um anime sem ler a premissa e não entendeu nada nos dois primeiros episódios. Mesmo assim, continuou assistindo. Essa sou eu. Veja como a história cativa, mesmo sem saber direito o que acontece.

Também vale ressaltar que o anime segue uma história principal, mas os episódios vão se desenvolvendo em pequenos arcos. Ou seja, é ótimo para quem assiste séries durante uma viagem de ônibus. #FicaADica

🙂

Sair da versão mobile