Ícone do site Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Parasite vence a Palma de Ouro – confira todos os vencedores do festival de Cannes

Mais uma edição do Festival de Cannes chega ao fim e na cerimônia de encerramento foram entregues os prêmios aos filmes participantes da Competição Oficial do festival. Nesta 72ª edição, o principal prêmio do festival, a Palma de Ouro, ficou com o sul-coreano Bong Joon-Ho, pelo drama “Parasite” (Gisaengchung, em coreano). Um total de 21 filmes concorriam pelo prêmio.

Na história do longa, toda a família de Ki-taek se encontra desempregada, vivendo em um porão sujo e apertado. Uma obra do acaso faz com que o filho adolescente da família comece a dar aulas de inglês à garota de uma família rica. Fascinados com a vida luxuosa destas pessoas, pai, mãe, filho e filha bolam um plano para se infiltrarem também na família burguesa, um a um. No entanto, os segredos e mentiras necessários à ascensão social custarão caro a todos.

Esta é a quinta vez em que o diretor sul-coreano marca presença no festival, aparecendo em anos anteriores com os filmes “O Hospedeiro” (2006) concorrendo ao prêmio C.I.C.A.E (com o intuito de expandir a distribuição de um primeiro filme), “Tokyo!” (2008) e “Mother – A Busca Pela Verdade” (2009) pela mostra Un Certain Regard (Um Certo Olhar), concorrendo ao principal prêmio do festival pela primeira vez apenas em 2017, com “Okja“.

O diretor sul-coreano Bong Joon-Ho recebendo a Palma de Ouro por “Parasite”

Os vencedores de cada categoria do festival foram escolhidos pelo júri, presidido pelo diretor mexicano Alejandro Gonzales Iñárritu e composto diversos nomes do cinema internacional como Enki Bilal, Robin Campillo, Maimouna N’Diaye, Elle Fanning, Yorgos Lanthimos, Pawel Pawlikowski, Kelly Reichardt e Alice Rohrwacher.

Os diretores brasileiros, Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, foram premiados pelo longa Bacurau na categoria Prêmio do Júri

Vencedores da 72ª edição do Festival de Cannes

Palma de Ouro: “Parasite” (Coréia do Sul), de Bong Joon-Ho
Prêmio Grand Prix: “Atlantique(França, Senegal, Béliga), de Mati Diop
Melhor Diretor
: Jean Pierre Dardenne e Luc Dardenne, por “Le Jeune Ahmed” (Bélgica, França)
Prêmio do Júri (“Ex aequo”, com igual mérito): “Les Misérables” (França), de Ladj Ly; “Bacurau” (Brasil, França), de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles
Melhor Ator: Antonio Banderas, em “Dolor y Gloria” (Espanha)
Melhor Atriz: Emily Beecham, em “Little Joe” (Áustria, Reino Unido, Alemanha)
Melhor Roteiro: “Portrait de la jeune fille en feu” (França), de Céline Sciamma
Menção Honrosa: Elia Suleiman, por “It Must be Heaven” (França)

Também foram anunciados na sexta-feira (24) os vencedores da mostra Un Certain Regard (Um Certo Olhar).

Sair da versão mobile