Site icon Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Stan Lee: o adeus a uma lenda

Se alguém pode ser chamado de lenda das HQS, este alguém é Stan Lee. Cocriador de alguns dos maiores super-heróis de todos os tempos, Lee nos deixou hoje aos 95 anos.

Stan Lee nasceu em Nova York, no dia 28 de novembro de 1922. Há várias histórias incríveis nas idas e vindas de Lee durante sua vida; onde ele viveu, por onde ele passou, o que ele fez, etc. Mas foi na Marvel Comics que ele fez história, e foi ali, ao lado do desenhista Jack Kirby, que Lee criou em 1961 o grupo Quarteto Fantástico, dando início a um dos mais memoráveis universos de personagens de todos os tempos.

Sempre muito talentoso, Lee foi dando continuidade ao universo Marvel, ajudando a criar personagens com falhas, “gente como a gente” com superpoderes, e o Homem-Aranha é o maior deles. O herói aracnídeo foi criado em 1962, em parceria com Steve Ditko (falecido em junho). Outros personagens que vieram depois foram: Thor (1962), Hulk (1962), Homem-Formiga (1962), Homem de Ferro (1963), Doutor Estranho (1963), X-Men (1963), Nick Fury (1963), Vingadores (1963), Demolidor (1964), Viúva Negra (1964), Surfista Prateado (1966), Pantera Negra (1966) e Mulher-Hulk (1980), entre vários outros.

Sempre muito alegre e descontraído, Lee conquistou a simpatia de todos por onde passou. Ele não era um mestre apenas da criação, mas também em promover seus trabalhos; e isto fica transparente em diversos artigos publicados décadas após décadas. A Marvel sempre ficou associada à sua imagem. A DC Comics, maior concorrente da Marvel, não tem um grande representante como a Marvel tem Stan Lee. E isto se deve muito ao fato de Lee ter se fundido a tudo que ele criou, tornando-se assim o representante máximo não apenas do que ele ajudou a criar, mas também do que a Marvel produz até hoje.

E se a Marvel fez e continua fazendo tanto sucesso, isto se deve ao fato de Lee ter criado personagens muito bem aceitos pelo grande público; personagens que, em sua grande parte, ajudaram a moldar a cultura pop, sendo objetos de admiração de leitores de várias gerações.

Quem cresceu lendo HQs nos anos 60, 70 e 80, sonhava em ver seus heróis sendo transportados de forma digna para as telas do cinema. E Stan Lee, como produtor executivo, tornou este sonho possível a partir do ano 2000, quando “X-Men: O Filme” fez sua estreia. E assim como o diretor Alfred Hitchcock fazia aparições em todos os filmes que dirigia, Lee fazia aparições em todos os filmes com o selo da Marvel. São participações divertidas, onde o público já fica na espera e se pergunta: “Onde e quando será”. Um divertido easter egg.

Em uma destas participações, Lee chegou a interpretar um personagem das HQs: o carteiro Willie Lumpkin, em “Quarteto Fantástico” (2005). No grande sucesso “Vingadores – Guerra Infinita” (2018), Lee está dirigindo um ônibus em excursão onde estão Peter Parker (Tom Holland) e seus amigos. No final da animação “Operação Big Hero” (2014), Lee dubla um personagem parecido com ele mesmo.

O mundo perde um grande artista, mas a lenda não morre. Lee ficará para sempre no imaginário do público através de belíssimos trabalhos nas HQs, como a inesquecível obra-prima “Surfista Prateado: Parábola” e a fase de ouro do Homem-Aranha, desenhada por John Romita; e também pelos filmes baseados em suas incríveis criações, que divertem e encantam multidões.

Lee, ao passar das décadas, foi se tornando alguém tão marcante quanto os personagens que ele criou. Ele se tornou uma lenda… e as lendas não morrem.

 

Sair da versão mobile