Site icon Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Crítica: Assunto de Família (Mostra de São Paulo)

Assunto de Família - Hirokazu Kore-eda

“Assunto de Família” venceu a Palma de Ouro no Festival de Cannes

 

Ficha técnica:

Direção: Hirokazu Kore-eda
Roteiro:  Hirokazu Kore-eda
Elenco: Kirin Kiki, Lily Franky, Sakura Andô, Yôko Moriguchi, Jyo Kairi, Miyu Sasaki.
Nacionalidade e lançamento: Japão, 8 de junho de 2018 (Exibido na Coletiva de Imprensa da 42ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo: 6 de outubro de 2018).

Sinopse: Um casal que vive de trabalho temporário e furtos para pagar as contas divide a casa com mais pessoas que agregam à “família”, entre elas uma senhora idosa e o menino Shota. Após encontrarem uma menina que sofria abuso dos pais, decidem ficar com ela.

 

Empatia. Não há nada mais importante que isso. É a capacidade de compreender o lugar do outro e se sensibilizar com sua situação que fazem de nós seres humanos bons. “Assunto de Família” é um filme que promove esse sentimento. Quem termina um filme desses sem sentir nada provavelmente morreu por dentro.

O cinema de Hirozaku Kore-eda segue características comuns do cinema japonês: câmera estática e um tempo quase contemplativo. Trilha sonora pontual, simples, sutil.

 

Logo no começo, já nos afeiçoamos à maneira quase charmosa com que os personagens furtam produtos de um supermercado. Compreendemos o quanto aproveitam o momento de saborear uma comida comprada na rua, e entendemos perfeitamente o que o move a se aproximar da menina que brinca em uma casa e tem pais violentos.

 

Algumas coincidências aparentemente absurdas na trama poderiam soar como exageradas, mas a questão se dissolve em meio a uma história tão humana e repleta de pequenos belos momentos, que isso se torna o mais importante.

Um abraço na criança, a descoberta de cicatrizes parecidas e os assuntos que discutem o quanto uma família precisa ser “de sangue” são apenas alguns dos momentos que encantam os olhos. Ainda assim, nada é mais bonito que a cena em que a família vai à praia – o que cria um paralelo curioso com o brasileiro “Benzinho“, de temáticas tão diferentes porém tão parecidas.

 

“Assunto de Família” se demora nas cenas do cotidiano de uma família pobre para nos tornar parte dela. Demonstra carinho ao nos permitir compreender o que move cada um dos personagens, para somente no final tornar a situação mais tensa. O que poderia parecer um final “corrido” é na verdade a tentativa de nos mostrar que as imperfeições das pessoas e da sociedade não são simplórias. A cena em que Nobuyo (Sakura Ando) chora diante da câmera (e há muitos momentos em que Kore-eda se demora em um personagem com a câmera estática) é igualmente triste e bela, e nos leva a pensar em tudo o que ela está pensando sem dizer uma palavra.

 

“Assunto de Família” discute temas humanos e preza pela empatia. É simples e profundo, acalentador e melancólico. Esperançoso e realista.

  • Nota
5

Summary

“Assunto de Família” se demora nas cenas do cotidiano de uma família pobre para nos tornar parte dela. Demonstra carinho ao nos permitir compreender o que move cada um dos personagens, para somente no final tornar a situação mais tensa.

Sair da versão mobile