Ícone do site Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Três Anúncios Para um Crime (2018)

Ficha Técnica de Três Anúncios para um Crime:

Direção: Martin McDonagh
Roteirização: Martin McDonagh
Elenco: Frances McDormand, Woody Harrelson, Sam Rockwell
Sinopse:
Inconformada com a ineficácia da polícia em encontrar o culpado pelo brutal assassinato de sua filha, Mildred Hayes (Frances McDormand) decide chamar atenção para o caso não solucionado alugando três outdoors em uma estrada raramente usada. A inesperada atitude repercute em toda a cidade e suas consequências afetam várias pessoas, especialmente a própria Mildred e o Delegado Willoughby (Woody Harrelson), responsável pela investigação.

Vingança sempre foi um tema bastante trabalhado em Hollywood como mote principal de uma jornada, mas mesmo que esse assunto seja sempre revisitado é gratificante saber que ele ainda pode ser explorado com criatividade e ousadia em mãos competentes. Martin McDonagh faz a seu próprio modo um longa que transmite ao espectador sentimentos conflitantes entre torcer ou não para a protagonista conseguir seu objetivo de vingar-se do estuprador e assassino de sua filha. Para isso ela incomoda a polícia local colocando outdoors pela avenida com dizeres pouco amistosos para com os homens da lei que ainda não conseguiram achar quem foi o culpado.

Os Outdoors em um vermelho vivo contrasta com o tom mais acinzentado da paisagem ao redor demonstrando uma falta de vida da personagem principal (Mildred) após a morte de sua filha, além de estarem em uma avenida pouco movimentada rimando com esse caso brutal que foi simplesmente esquecido pela cidade após algum tempo assim como esse local. E é aqui que a questão da moralidade é inserida no roteiro de Martin: Já que a polícia não resolve o caso devemos resolver com nossas próprias mãos?

É difícil não nos colocarmos no papel daquela mãe já que no primeiro momento percebemos o quanto os policiais, que em teoria deveriam nos proteger, ocupam-se com coisas fúteis e na maioria do tempo são racistas, xenófobos e homofóbicos, porém Martin aos poucos vai inserindo no roteiro elementos de humanidade nessas caricaturas preconceituosas fazendo até mesmo uma redenção para um deles. Esses pequenos elementos criam no espectador uma chave que gira nossa percepção e dá “tela azul” em algumas pessoas: Como pode um racista ajudar outrem?

Todas essas perguntas morais não são respondidas em Três Anúncios para um Crime e nem deveriam, afinal o longa está aqui apenas para causar uma reflexão no espectador e nos mostrar que nem tudo é preto ou branco. A polaridade apenas irá servir em uma narrativa enviesada, mas Martin nos mostra vários pontos e nos diz precisamente que nem mesmo nossa “heroína” vingativa é tão boa assim ao rejeitar um jantar apenas pelo seu par ser um anão.

Além dessas questões pertinentes Três Anúncios para um Crime provoca o espectador ao no terceiro ato abandonar uma das principais tramas do filme deixando-a aberta ao público. Vai ser frustrante para boa parte do público e aparentemente um erro grave se tratando de narrativa, porém o final inacabado dá ao filme um ar muito pesado ao colocar dois personagens distintos lado a lado para cometerem um crime juntos.

Por fim, Três Anúncios para um Crime é um daqueles filmes que caminham em uma linha bem tênue entre o representar e o ser. É um longa recheado de personagens preconceituosos, babacas e que vez ou outra fazem algo de bom e isso pode ser muito ofensivo para algumas pessoas, mas para mim só demonstra nossa infeliz realidade.

 

  • Nota Geral
4

Resumo

Três Anúncios para um Crime fala sobre a jornada de uma mulher em busca de justiça mesmo que essa tenha que vir por uma fria vingança. “A Pessoa que fica pensando em sua vingança só torna piores suas feridas. Toda injúria será curada, se a vingança for refreada”.

Sair da versão mobile