Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Arena Cos Music – O Lado Alternativo da CCXP 2017

09/12/2017 - São Paulo, São Paulo - Cobertura fotográfica do evento CCXP 2017 no São Paulo Expo. Fotos: Gustavo Scatena/Galpão de Imagens

Comic Con Experience surgiu, lá em 2014, como a reunião de estilos alterativos, com a promessa de um evento que podia sim, trazer o mundo nerdgeek para o mainstream. Três anos depois, já com essa promessa cumprida e se consolidando como a maior do mundo (foram 227 mil pessoas presentes nos 4 dias, superando a capacidade máxima de 130 mil pessoas da SDCC, a San Diego Comic Con), é interessante constatar o surgimento de um local alternativo mesmo dentro da Comic Con – que já é por si só uma das reuniões máximas de tribos: a Arena Cos Music.

07/12/2017 – São Paulo, São Paulo – Cobertura fotográfica do evento CCXP 2017 no São Paulo Expo. Fotos: Flávio Battaiola/Galpão de Imagens

Localizada na ponta oposta do grande e disputado palco Cinemark no pavilhão, e ao lado da Loja de Harry Potter, a Arena Cos Music era a área dedicada à música e ao cosplay na CCXP 2017, e contou com nomes do rock como Supla, Massacration, Bruno Sutter, Kiss Cover Brazil, Rockin Stones, Senpai Old School. Lá, as bandas covers ganhavam um novo significado e se transformavam a sua própria maneira em cosplays. O alternativo vinha quase que naturalmente, já que o lugar passava despercebido de início – mesmo que os ônibus translados em direção a estação Jabaquara ficassem ao final da Arena (e o posicionamento dos mesmos lá deve ter sido intencional, para dar visibilidade a área). Um amigo só visitou o local pois soube através de mim que lá haviam food trucks, e se surpreendeu ao conhecer o espaço.

Nele, o tal do roots, do tom underground que vinha com as luzes neon roxas. De um lado do palco, uma van com discos de vinil em frente, com o fã garimpando à procura de uma raridade. Do outro, peças de roupa customizadas, rasgadas, enfim, punk (o que era anulado pelo valor alto das roupas que se espera de uma comic con… não se pode ganhar todas).  Ao redor, food trucks e balcões vendendo figuras colecionáveis raras, aneis satânicos, colares do metal…excentricidades.

07/12/2017 – São Paulo, São Paulo – Cobertura fotográfica do evento CCXP 2017 no São Paulo Expo. Fotos: Flávio Battaiola/Galpão de Imagens

07/12/2017 – São Paulo, São Paulo – Cobertura fotográfica do evento CCXP 2017 no São Paulo Expo. Fotos: Flávio Battaiola/Galpão de Imagens

O público era composto pelo fã da música, que passava maior parte do tempo na área… e por aqueles que paravam por lá para comer e acabavam ficando, seja pra observar com curiosidade as bandas cover (rolou até  mesmo uma de Tears for Fears) ou os concursos de cosplay que rolavam nos intervalos durante o rolê.

O ápice veio no domigo, no momento em que Supla cantou Heroes, da lenda David Bowie. Entre todos os momentos de brasileiro dessa CCXP, poucas representam tão bem essa ideia do que a imagem do Supla cantando Heroes para fãs e cosplayers. Como no resto do pavilhão, haviam fãs apaixonados – de personagens, bandas, jogos, filmes e cultura pop. Certamente ninguém se importava com o brega ou com o ridículo.

Lá, todos podiam ser heróis por um dia.

10/12/2017 – São Paulo, São Paulo – Cobertura fotográfica do evento CCXP 2017 no São Paulo Expo. Fotos: Gustavo Scatena/Galpão de Imagens


A curadoria de música ficou por conta de Marcelo Rossi, fotógrafo especializado em rock que já fotografou mais de 700 apresentações do gênero no Brasil e no mundo, trabalhando com as maiores bandas do planeta, como Kiss, Ramones, Iron Maiden, Rush, Ozzy e Aerosmith, desde os primeiros festivais no fim dos anos 1980, até os grandes shows em estádio e as produções atuais, como Lollapalooza, Monsters Of Rock, Rock in Rio e Maximus Music Festival. Rossi também produz eventos apoiando novos talentos e bandas independentes.

Sair da versão mobile