Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

O segundo andar da CCXP deveria ser maior

Comic Con Experience 2017: O segundo andar deveria ser maior

Antes de chegar na Comic Con Experience 2017, eu já tinha ideia do que gostaria de ver. Os painéis dos auditórios Ultra e Prime. Sei que tem muitos lugares bacanas, lojas, itens bacanas à venda, uniformes expostos.

Mas eu gosto de debate, de apresentação interessante. Quero aprender, sair de um lugar melhor do que entrei. E eu tinha visto na programação da Comic Con Experience 2017:

 

– Representação e Diversidade nos Quadrinhos

– Me Poupe! Ganhando Dinheiro com a Internet

– Furiosas! Mulheres que Chutam Bundas

– Encontro Nacional de Podcasts 2017

 

Como não ir em tudo isso em um belo sábado?

 

 

Os auditórios eram no segundo andar. Tinha uma escada rolante no canto que levava até o espaço. Chegando lá, a surpresa: calmaria total. Corredores sem gritaria, pessoas tranquilas. Bebedouro livre e banheiros vazios.

Do alto, podia-se ver a multidão. Muita gente. Na sala da primeira apresentação, pouca gente. Achei uma pena. O debate sobre diversidade nos quadrinhos foi incrível. A maioria era formada por desenhistas americanos: Denys Cowan, Gail Simone, Amy Chu, Marc Andreyko e Germana Viana.

Mais tarde, a “especialista em finanças” Nathalia Arcuri falou sobre ganhar dinheiro na internet. Engraçada e divertida, ela ensinou vários detalhes importantes para quem quer “viver de conteúdo” e se alinhar a grandes marcas.

O painel “Mulheres que Chutam Bundas” reuniu uma mulherada esperta para comentar o atual momento de mulheres “bad ass” que estão enchendo as séries e os filmes. No Encontro de Podcasts, mais tarde, foi a vez de podcasters engraçados fazerem dois episódios de podcasts de 15 minutos sobre temas aleatórios. Altas risadas.

Enquanto o “mainstream” da CCXP 2017 corria lá em baixo, ótimas apresentações rolavam em cantos mais tranquilos. Por um lado, é natural que a maioria das pessoas não queira passar longos períodos vendo debates ou palestras mais “sérios”. Por outro lado, é uma pena que a CCXP não tenha mais apresentações e espaços menores para assuntos “de nicho” ou Masterclasses e verdadeiras aulas de especialistas. É isso que enriquece o evento.

Sair da versão mobile