Ícone do site Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Diretor alemão controverso ganha exibição em São Paulo

Polêmico, controverso e observador do submundo: assim era o diretor alemão Rainer Werner Fassbinder (1945-1982), que agora é destaque do projeto Tela Clássica, no Sesc Pinheiros, em São Paulo. Nos meses de janeiro, fevereiro e março, o ciclo de sessões gratuitas acontece quartas-feiras, às 20h, no Auditório.

A obra fílmica de Rainer Fassbinder nos oferece uma visão particular do mundo, onde a homossexualidade, a guerra, as relações inter-raciais, a migração e as drogas são um campo fértil para a recriação de histórias de amor dramáticas. O cineasta ainda abrange em suas obras temas recorrentes como a solidão, o medo, o desespero, a angústia e a busca pela própria identidade.

Nos anos setenta, em uma Alemanha ainda traumatizada pelos horrores praticados pelo nazismo, Fassbinder desenvolveu um conjunto de obras onde a figura da mulher alemã desempenha o papel da nação, como testemunho vivo da derrocada dos valores morais, econômicos, sociais e sexuais. O ciclo Fassbinder inicia sua programação em janeiro exibindo as histórias de três heroínas que protagonizam sua trilogia da Alemanha Ocidental: “O Casamento de Maria Braun” (1979), com Hanna Schygulla, “Lola” (1981), vivida por Barbara Sukowa e “O Desespero de Veronika Voss” (1982), interpretado por Rosel Zech. Em fevereiro, serão exibidos: “Pioneiros de Ingolstadt” (1971), “Querelle” (1982) e “Katzelmacher” (1969).

O projeto finaliza sua homenagem a Fassbinder em março, com os filmes: “Despair” (1978), “A Mulher do Chefe da Estação” (1977), “Os Deuses da Peste” (1970), “O Direito do mais Forte” (1975) e “Lili Marlene” (1981), em datas a confirmar.

Mais informações: www.sescsp.org.br

Sair da versão mobile