Ícone do site Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Nova geração de diretores: As 10 Maiores promessas

É muito importante olhar para trás na história, saber de cor grandes nomes do cinema, pessoas que ensinaram e continuam ensinando muito sobre a linguagem e técnicas cinematográficas, seja aos cinéfilos ou jovens diretores. Mas é muito importante olhar para o presente também, temos uma infinidade de diretores talentosos que estão se destacando e, consecutivamente, prometem bastante para os próximos anos.

Essa é uma lista de alguns nomes que eu me lembrei de imediato quando pensei no tema do artigo, basicamente estruturei a lista pela idade dos diretores – no máximo 45 anos – , os trabalhos que eles já fizeram e o que estão produzindo. Um exemplo, quando Paul Thomas Anderson fez o meu amado “Magnólia”, em 1999, ele tinha exatos 29 anos! Antes tinha realizado “Boogie Nights”  de 1997 e “Jogada de Risco” de 96. Até “Magnólia” ele era uma promessa, depois já havia se tornado realidade. Pode ter dividido os críticos e etc, mas ele se consagrou. Portanto, minha lista não vai conter nomes como Todd Solondz, Lukas Moodysson, Denis Villeneuve, Derek Cianfrance, Christopher Nolan… pois todos eles já contribuíram de alguma forma para o cinema, conquistaram um respeito muito grande por parte de todos.

Vou me dedicar a 10 nomes desconhecidos, outros mais conhecidos, do Estados Unidos ou do mundo,  que, por algum motivo, deposito minhas expectativa em seus respectivos trabalhos. Para essa postagem ficar mais rica, peço que você, caro leitor e amigo, coloque nos comentários os seus preferidos. Vamos lá:

10º lugar

Fernando Coimbra

38 anos. Tem alguns trabalhos interessantes, a maioria dele são curtas metragens. Mas foi com “O Lobo Atrás da Porta” que se consolidou como uma verdadeira promessa. Um suspense que leva o espectador a uma tensão inacreditável. Além de ter uma história muito boa, o filme é extremamente bem conduzido. O que parece é que o diretor voltará a trabalhar com o Thriller em seu próximo projeto, resta-nos esperar para ver se será tão bom quanto.

9° lugar

Alê Abreu

44 anos. Ele é simplesmente o artista por trás da belíssima animação “O Menino e o Mundo”. O Brasil carece de pessoas ousadas em trabalhar outros gêneros como o Alê fez. Ele resgatou um clima das animações Francesas e com uma pitada brasileira fez um filme excelente. Não tem nenhum projeto agendado, mas sem dúvida vale à pena ficar de olho!

8° lugar

Jason Reitman

37 anos. Esse não precisa escrever muito por que é muito conhecido. Fez “Juno”, “Obrigado por Fumar”, “Amor sem Escalas”, “Jovens Adultos”, sempre filmes cotados para as grandes premiações. Conseguiu ser respeitado de uma maneira muito natural e mesmo errando um pouco no seu mais recente trabalho “Homens, Mulheres e Filhos” ainda é um dos nomes mais promissores que temos hoje.

7° lugar

Marc Webb

40 anos. Depois do maravilhoso “500 Dias com Ela” deu pra fazer filmes de super heróis. Em 2015 vai aparecer novamente com “Limitless” uma ficção científica com uma historinha clichê. Pessoalmente não espero nada, mas ainda assim espero muito desse cara, principalmente se voltar a produzir filmes indies e comédias românticas, pois mostrou ter jeito para a coisa.

6° lugar

James Ponsoldt

37 anos. Fez o leve e gostoso “The Spectacular Now” que, inclusive, foi cotado para o Oscar se bem me lembro. É uma comédia romântica de adolescentes, curiosamente eu o comparei com “500 Dias com Ela”, porém está mais para o lado do drama. Antes o diretor fez “Smashed”, filme que tem no seu elenco o querido Aaron Paul. Para os próximos anos ele tem confirmado, dentre os mais interessantes, “The End of the Tour” e “The Circle” onde vai trabalhar com o Tom Hanks.

5° lugar

James Wan

38 anos. Nem preciso escrever muito também, ele ajudou a reformular o cinema de terror duas vezes “Jogos Mortais” e “Invocação do Mal” e, de quebra, assumiu o sétimo filme da franquia “Velozes e Furiosos” e mandou muito bem. Ele é o cara que faz dinheiro, todas as produtoras do universo querem dar um filme para esse cara fazer, nem é mais uma promessa, é uma feliz realidade. Porém, eu sou daqueles que acredita que ele tende a crescer ainda mais e, sem dúvida, atingir um patamar altíssimo em bilheterias. Honestamente, quero muito que ele continue fazendo filmes de terror – como um amante do gênero, é bom ver pessoas talentosas contribuindo para sairmos, finalmente, da terrível mesmice que o gênero está passando.

4° lugar

Mélanie Laurent

32 anos. Quem assistiu “Bastardos Inglórios” e não se lembra do icônico “Au Revoir Shoshanna!”?,  pois bem, quem interpreta a tal Shoshanna é a Mélanie Laurent que, por ventura, dirige filmes. Seu mais recente lançado, “Respire”, é um primor em direção, fotografia e roteiro, a menina é realmente um talento incrível e em 2015 ela volta com “Plonger” que vai ser uma adaptação do romance de Christophe Ono-dit-Biot. Apostem suas fichas nessa diretora/atriz.

3° lugar

Hiromasa Yonebayashi

41 anos. Por mim já podem dar o título de novo Hayao Miyazaki para esse moço. E olha que responsabilidade! Depois do adorável “Mundo dos Pequeninos” ele retornou ao cinema, justamente na ausência criativa do Hayao Miyazaki, com “When Marnie Was There” que é um dos melhores filmes do estúdio Ghibli e, certamente, uma das maiores animações que eu já assisti na minha vida. É esperar pelos seus próximos trabalhos que prometem bastante!

2° lugar

Jeff Nichols

36 anos. Depois do maravilhoso “O Abrigo” ele faz, para o meu Delírio, “Amor Bandido”. Esse último figurou nas listas de melhores filmes do ano de muitos críticos, inclusive do diretor Almodóvar. O cara literalmente sabe o que está fazendo e, como disse bem no início, ele já ultrapassou a barreira da promessa e se tornou uma realidade. Com temas pesados, como o amor e a loucura, ele mostrou extrema maturidade, então só nos resta aguardar pelo “Midnight Special” que será lançado lá fora em 2015, tem ficção científica, tem relação pai e filho, tem ele voltando a trabalhar com o Michael Shannon, enfim, vai ser louco.

1° lugar

Mike Cahill

35 anos. Diretor, roteirista, humano. Esse cara é o meu escolhido. Para mim acertou em vir para a terra. Aliás, essa palavra “terra” está ligada diretamente ao tema dos seus filmes. “A Outra Terra” e “O Universo no Olhar”, são categorizados, por mim, como filmes “milagres”. Eles sufocam pois resgatam aquela alegria sincera do apaixonado por cinema, em estar diante a algo poderoso. Mike Cahill encontrou com a nova musa do cinema alternativo Brit Marling ainda bem jovem, em um festival de cinema. Tiveram uma forte amizade e, desde então, os dois trabalham juntos. Brit participou dos seus dois filmes, bem como o ajudou com o seu primeiro, um documentário chamado “Boxers and Ballerinas”. Enfim, esse receberá o título de gênio em pouco tempo. Anotem!

Então é isso, agora é com vocês, criem suas listas, compartilhem e digam se concordam com a minha ou não.  Se por acaso você for um viajante do tempo, me diga quais desses 10 nomes realmente se tornaram grandes. Abraço e até a próxima!

Sair da versão mobile