Ícone do site Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

10 filmes para assistir em dia de eleição

Hoje (05), o Brasil participa de mais uma eleição. O povo brasileiro deverá eleger, por meio do sufrágio universal (mais conhecido como “voto popular”), quem o representará nas esferas estadual e federal em cargos legislativos e executivos.

Independente das suas preferências políticas e partidárias, a discussão sobre questões referentes ao comportamento dos candidatos são sempre polêmicas. Pensando nisso, criamos uma lista de filmes que possuem relação com o processo eleitoral e a política. Confira:

 

A Mulher Faz o Homem: Grande filme do final da década de 1930, estrelado por James Stewart (que anos depois faria “Um Corpo que Cai”), ele conta a história de um homem simples do interior que é convidado a ser um Senador, e após chegar em Washington percebe toda a sujeira que ocorre nos meandros do poder.

Tudo pelo Poder: A história do idealista Stephen Myers, que trabalha na campanha de um candidato à presidência, mostra até que ponto as pessoas estão dispostas para conquistar o poder. O filme faz pensar e tem direção excelente de George Clooney.

Milk – A Voz da Igualdade: Dirigido por Gus van Sant e estrelado por Sean Penn, o filme conta a história verídica de Harvey Milk, que lutou pelos direitos igualitários em sua cidade e se tornou o primeiro homossexual assumido a ter um cargo público importante nos Estados Unidos. A parte política está muito mais vinculada ao debate de ideias.

O Candidato: Vencedor do Oscar de Melhor Roteiro no ano de 1972, o filme conta a história de Bill McKay (Robert Redford), candidato ao Senado dos Estados Unidos, que não se permite manipular pela máquina política americana. O longa mostra como publicitários, assessores e empresários se unem para uma campanha eleitoral.

Todos os Homens do Presidente: Pouco tempo depois de ser “O Candidato”, Robert Redford voltou às tramas políticas com este filme, ao lado de Dustin Hoffman. Aqui, ele vive a história real do repórter do Washington Post que iniciou uma investigação sobre a invasão à sede do Partido Democrata, e que deu origem ao escândalo Watergate.

Tropa de Elite 2: Após combater “maconheiros” no primeiro filme de José Padilha, neste longa o famoso Capitão Nascimento se tornou coronel e foi para a Secretaria de Segurança do Estado. Lá, ele encontra um vilão quase impossível de se derrotar: o Sistema!

Eleição: Aparentemente uma trama inocente, o filme estrelado por Matthew Broderick fala sobre o conselheiro estudantil de uma escola que incentiva uma eleição democrática para que os estudantes escolham o representante do Conselho Estudantil. O filme usa uma situação mais leve para criticar a eterna busca pelo poder.

Leões e Cordeiros: Dirigido por Robert Redford (sim, ele está aqui de novo!), o filme conta a história de um Senador que tenta convencer uma jornalista a apoiar sua campanha para a Guerra do Afeganistão. Ao mesmo tempo, um aluno idealista é incentivado a mudar de vida e soldados lutam no próprio Afeganistão. É o tipo de filme que une histórias para fazer pensar.

No: Não importa se as suas ideias são nobres, é preciso ter uma boa campanha publicitária! O filme conta a vida de René Saavedra (Gael García Bernal), um publicitário convidado a participar da campanha política pelo voto “Não” ao plebiscito para a continuidade do governo de Pinochet no Chile. Apesar de falar mais sobre ditadura, o longa traça um panorama de como funcionam as campanhas políticas para a TV.

Mauá – O Imperador e o Rei: O longa que Sergio Rezende lançou em 1999 mostra uma visão quase romantizada da história de Irineu Evangelista de Souza (Paulo Betti), o homem mais rico do Brasil ainda no período imperial, que fez de tudo para investir no país e fazê-lo progredir, construindo estradas de ferro e outras obras que iam contra as ideias da “nobreza”. Um bom filme para pensar em quem tem o real poder na política de um país.

Sair da versão mobile