Site icon Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Jack Black completa 45 anos

por Rodrigo Stucchi

O ator, comediante e músico norte-americano Thomas Jacob “Jack” Black está apagando mais uma vez as velinhas hoje, dia 28 de agosto. Porém, quem comemora são os amantes do cinema e do rock n’ roll! Afinal, Jack Black não é apenas um ator muito famoso, mas um músico, digamos, não ortodoxo, ou com um estilo musical descrito como “descompromissado”.

Quem quiser uma palhinha de Black como músico tem que assistir três filmes que marcaram sua carreira. Primeiro, “Alta Fidelidade” (High Fidelity: 2000), onde era uma músico que atormentava seu patrão, interpretado por John Cusack. Segundo, o meu preferido dele, chamado “Escola de Rock” (School of Rock: 2003). Jack é Dewey Finn, um cantor de rock desempregado que finge ser um professor substituto, ensinando a uma turma a teoria e a história do rock n’ roll, além de formar uma banda com as crianças. Aliás, as crianças tocam muito bem e de verdade, ao contrário dele, que, sinceramente, não é lá essas coisas… Esse filme foi escrito especialmente para Jack, por seu vizinho, Mike White, que interpreta Ned Shneebly.

Terceiro, o filme sobre a história de sua banda, o Tenacious D, chamado “Tenacious D: Uma Dupla Infernal” (Tenacious D in: The Pick of Destiny: 2006). Neste, elementos reais da história da banda misturam-se com elementos fictícios, como a busca por uma palheta que dá sorte e sucesso aos que a usam. É dirigido por Liam Lynch e tem participações especiais de Ronnie James Dio, Ben Stiller, Meat Loaf, Tim Robbins, Amy Adams e Dave Grohl. Toda a trilha sonora e as canções do filme, um musical épico e comédia, foram escritas por ele e Kyle Gass. É nesta película que podemos conferir melhor o estilo musical descrito como “descompromissado” do Tenacious D. O versátil artista ainda participou dos clipes “Learn to Fly” e “Low” do Foo Fighters.

Rock a parte, falando em versatilidade, Jack Black ficou muito famoso com a comédia romântica engraçadíssima “O Amor é Cego” (Shallow Hal: 2001). Par romântico de Gwyneth Paltrow, ele interpreta Hal, um homem que segue à risca o conselho de seu falecido pai e apenas se interessa por mulheres que tenham um físico perfeito. Mas tudo muda quando ele é hipinotizado por um guru de auto-ajuda que tenta ajudá-lo a enxergar apenas a beleza interior das mulheres, em detrimento de seu físico. Quem não viu, não pode perder a chance de dar boas risadas com ele!

 

Outra comédia romântica muito legal com Jack Black é “O Amor não tira Férias” (The Holiday: 2006). Seu par romântico desta vez foi Kate Winslet. O filme ainda tem mais um casal protagonista, formado por Cameron Diaz e Jude Law. Nesta divertida comédia, Amanda Woods e Iris Simpkins são duas mulheres que vivem completamente distantes uma da outra. Na verdade, a primeira vive nos Estados Unidos e a outra na Inglaterra. Porém, as duas possuem algo em comum: estão cansadas da vida que levam e precisam desesperadamente mudar de ares para poder se renovarem. Elas se conhecem pela Internet e resolvem colocar em prática um plano maluco: trocar de casas justamente nas festas de Natal.

 

Mas os trabalhos do artista não param por aí! Jack Black também participou da adaptação de King Kong lançada em 2005. Trata-se de uma versão do premiado diretor Peter Jackson, famoso por trazer os livros “O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit” às telonas. Os atores principais foram Adrien Brody e Naomi Watts. O filme contou ainda com mais uma participação marcante do ator Andy Serkis nas obras de Peter Jackson. Depois de alcançar a fama atuando na captura de movimento do personagem feito por efeitos de computador em “O Senhor dos Anéis”, Smeagol (ou Gollum), Serkis interpretou o novo Kong de maneira igualmente brilhante. O ator ainda repetiu o papel em  e “O Hobbit”.

 

Jack Black possui uma filmografia extensa, um objeto de pesquisa. Como meu último destaque, não deixe de conferir sua voz nas animações “A Era do Gelo” (Ice Age: 2002 – Zeke), “O Espanta Tubarões” (Shark Tale: 2004 – Lenny) e nos dois “Kung Fu Panda” (2008 e 2011 – Po).

Sair da versão mobile