Ícone do site Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

Pressão de evangélicos faz Renato Aragão desistir de filme

O próximo filme de Renato Aragão se chamaria “O Segundo Filho de Deus”. De acordo com as especulações de diversos portais evangélicos, a história do filme mostraria Didi como um enviado de Deus que veio ao mundo para continuar a missão de Jesus, embora a Focus Filmes negue que seja isso, de acordo com o colunista da Veja, Lauro Jardim.

De qualquer maneira, a pressão de grupos religiosos (evangélicos e católicos), aliada à falta de apoio da Sony Pictures, fez com que o ator e produtor desistisse do projeto, que já havia tido os R$ 8 milhões de orçamento aprovados pela Ancine para buscar verbas.

A sinopse do filme, no site da Ancine, dizia o seguinte:

“No retorno do personagem Didi ao cinema, após 5 anos, em seu 49º longa, as brincadeiras e trapalhadas de Didi dessa vez pontuam uma história dramática e de fundo espiritual, trazendo uma bela espontânea mensagem através da recriação da história de Jesus Cristo adaptada para o mundo de hoje.”

O filme seria, obviamente, uma comédia, mas o Brasil tornou-se um país sério demais que não sabe rir de si mesmo nem de nada. Enquanto que a população brasileira não se une em prol de melhorias na política, faz qualquer coisa para bloquear a criação artística “em nome de Jesus”, esquecendo-se que vivemos sob um Estado laico e livre.

Renato Aragão fez bem. Livrou-se de um filme que só lhe causaria problemas.

Sair da versão mobile