Cinem(ação): filmes, podcasts, críticas e tudo sobre cinema

50 Anos da Palma de Ouro de Anselmo Duarte

Exatos 50 anos atrás, o cineasta saltense Anselmo Duarte recebia o prêmio Palma de Ouro em Cannes na França, pelo filme O Pagador de Promessas.

O filme narra a saga de Zé do Burro um homem humilde que enfrenta a intransigência da Igreja ao tentar cumprir a promessa feita em um terreiro de candomblé de carregar uma pesada cruz por um longo percurso até o altar da igreja de Santa Bárbara em Salvador.

Contando com grandes nomes do teatro como Leonardo Villar, Glória Menezes, Norma Bengell, o filme também concorreu ao Oscar no ano seguinte em 1963.

Anselmo Duarte foi ator, roteirista e diretor, começou no cinema como figurante no inacabado filme de Orson Welles no Brasil, “It’s All True” (1942). Com “Carnaval no Fogo” (1949), produzido na Atlântida e dirigido por Watson Macedo, ele se torna um dos maiores galâs que o cinema brasileiro já teve.

Em 1951, Anselmo Duarte é contratado pela Vera Cruz, ganhando, então, o maior salário da empresa. Seu primeiro filme na companhia, como ator, foi “Tico-Tico no Fubá” (1952), sendo um grande sucesso. Estréia na direção com “Absolutamente Certo” (1957), mostrando-se ser, depois, um grande diretor de cinema.

Vejam o vídeo da notícia:

 

 

Sair da versão mobile