#01 de 1001: Viagem à Lua (1902)

#01 de 1001: Viagem à Lua (1902)

O céu é o limite! Ou será a lua?

Há 2 anos eu gravo o podcast Indic(ação) junto a mais dois colegas, o Alexandre e o Bruno, aqui do site do Cinem(ação). Nesse tempo, venho percebendo o quanto eu avancei em relação ao meu conhecimento sobre o cinema, a cada semana que passa ganho mais interesse na área e busco conhecer mais. Não me considero um cinéfilo, tampouco um crítico de cinema, prefiro me perceber como alguém que aprecia as artes e tem curiosidade por tudo que diz respeito ao humano.

Sendo assim, há alguns meses atrás, quando fui visitar o meu irmão, Rafael, em seu escritório, deparei-me com um livro que buscava já há algum tempo: “1001 filmes para ver antes de morrer“, de Steven Jay Shneider. Na iniciativa de me aperfeiçoar ainda mais na sétima arte e produzir mais conteúdo para o Cinem(ação), resolvi pegar o livro emprestado na promessa de devolvê-lo quando terminasse de assistir todos. Sim, eu sei, é um desejo ambicioso, mas o que passou na minha cabeça foi: por que não? Afinal, quantos filmes você acha que já assistiu na vida? Será que foi mais ou menos que 1000? Comente aqui em baixoDe qualquer modo, lancei-me ao desafio. Não tenho prazos, nem anseios, quero degustar cada uma das obras indicadas, quero mergulhar mais profundamente na análise de filmes e no mundo cinematográfico.

O #01 indicado foi “Viagem à lua” (“Le Voyage dans la lune”), de 1902, um filme francês que se assemelha bastante com um teatro filmado – vou deixar aqui um texto excelente da Patrícia Chaves sobre a Origem do Cinema -. A produção tem apenas 15 minutos de duração e encontra-se inteira no youtube, tanto na versão em preto e branco, como na colorida (recomendo fortemente a primeira), e é fantástica!

Antes de continuar a nossa conversa, eu apenas destaco: ASSISTA!

Devemos lembrar que um filme de 1902, assim como todos os outros, está datado. No início no século XX, ainda não havíamos tido as grandes guerras, Henry Ford tinha apenas 37 anos e o seu modelo de larga produção de automóveis começaria apenas em 1914, Freud desenvolvia suas pesquisas sobre o funcionamento do psiquismo e, apesar do otimismo do início do século, a maior parte da população mundial era rural e analfabeta.

“Viagem à Lua” custou, na época, 10.000 francos franceses, o que corresponderia atualmente a R$5.800,00. O filme apresenta cortes secos e a câmera é estática, como um espectador do teatro, os efeitos visuais também são todos práticos, como a fumaça, o cenário, etc. O roteiro é bastante simples: um grupo de estudiosos reunem-se e planejam a sua viagem à lua; preparam um canhão – sim, um canhão -, que os lançará até o destino e, chegando lá, deparam-se com essa terra estranha, habitada por seres animalescos que explodem em fumaça quando atingidos. Caminham pelo habitat, explorando-o, e ao verem-se em perigo, correm na tentativa de voltar para a terra! Bem, eu não vou te contar o final, você terá que assistir… mas eu garanto, vale à pena.

Resumindo, tenho investido nesse movimento de tentar me aproximar dos filmes mais clássicos, a fim de aprofundar o meu conhecimento sobre esta arte que eu tanto aprecio. Se você também está nesse “momento de vida”, eu te convido a caminharmos juntos. Agora que estou com o livro em mãos, espero poder concluí-lo e, sempre que conseguir, me comprometo a voltar aqui e te contar mais coisas, ok? Quero compartilhar as minhas impressões para podermos conquistar juntos esse desafio, combinado?

Vou deixar aqui em baixo o filme, assim você já pode apertar o play e assistir. Divirta-se!

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

  • Kley Coelho

    Sensacional. Vi uma boa parte dos 1001 filmes do livro citado. Minha edição é a que tem o Coringa de Heath Ledger na capa.

  • Ariadne Mendes

    Boa sorte na jornada! Eu tenho alguns dessa coleção 1001, e a de filmes é a que tem o Indiana Jones na capa. Dos filmes citados vi muito pouco, apenas 125 🙁 Mas no geral, na minha vida, já vi um pouco mais de 1001. Haja visto que sou jovem (25 anos), acredito que esteja bem na fita 😀