Sense8 e o posicionamento de uma marca
Sense8 - Especial de Natal

Sense8 e o posicionamento de uma marca

No dia 29 de junho de 2017, a Netflix anunciou que Sense8 vai ter um episódio final de duas horas para finalizar a série. A notícia foi comemorada pelos fãs e pela criadora da série Lana Wachowski, que publicou uma carta aos fãs, agradecendo pelos protestos contrários ao fim abrupto da histórias.

O anúncio do fim da série resultou até mesmo em um podcast aqui no Cinem(ação) – que vale a pena ser ouvido e não perde qualidade mesmo com essa novidade, já que o clima do filme era de que a série tinha acabado.

Mas o que significa a decisão de terminar a história com um “Season Finale” em 2018?

 

Significa algumas coisas:

1- Significa que a Netflix optou por um posicionamento diferente da maioria das emissoras/produtoras/distribuidoras. O dinheiro nem sempre fala mais alto que a escolha por agradar a audiência. Mas calma aí: não estou querendo dizer que a Netflix é uma ONG disposta a bancar o nosso bel-prazer de ver o que queremos. Só estou dizendo que, ao fazer isso, a empresa está definindo um olhar diferente da maioria das corporações em relação ao cliente. A ideia de servir o cliente se sobressai à de lucrar unicamente.

2- Significa que os fãs têm poder. E que dá resultado se manifestar ou deixar claro a inquietação de ver uma série tão importante (devido à sua temática voltada para a empatia e o respeito às diferenças) acabar de repente.

3- Significa que a série vai ter uma importância ainda maior – e com potencial de “cult” ao longo dos anos. Afinal, além de tudo o que a série traz, ela vai ter um “marco” para o seu fim. E, por mais que Sense8 não tenha tanta audiência global, podemos esperar por muita emoção e lágrimas dos fãs, o que fará do episódio final um verdadeiro evento.

The Netflix Inc. website and logo are displayed on laptop computers arranged for a photograph in Washington, D.C., U.S., on Tuesday, Jan. 21, 2014. Netflix Inc., the largest subscription streaming service, is expected to release earnings data on Jan. 22. Photographer: Andrew Harrer/Bloomberg via Getty Images

 

Que marca você quer ser?

Não é preciso pesquisar muito para entender a forma como a Netflix se posiciona no mercado. É claro que a empresa está focada em atingir vários públicos, de todos os gostos. Mas a forma como a Netflix se aventura em produções menos conservadoras e mais “mente aberta”, bem como sua forma de se portar nas redes sociais, faz com que ela crie uma imagem de moderna: uma marca pronta para os desafios do século 21 (que está só começando).
Com uma atitude como esta, sabemos que a Netflix não está preocupada com as vendas de curto prazo, mas aquilo que uma marca possui de mais valioso: sua imagem.

Mais do que nunca, cabe a cada empresa do nosso tempo – e a cada um de nós – definir a resposta para uma simples pergunta: “quem você quer ser no mundo em que vivemos?”

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário: