Jack Nicholson: 80 anos

Jack Nicholson: 80 anos

Jack Nicholson, um dos maiores atores de todos os tempos, completa 80 anos. Nascido em Nova Iorque, e com um incomparável jeito irreverente, Nicholson tem uma brilhante carreira marcada por vários sucessos.
Ele começou nas telas em filmes baratos, em especial do diretor e produtor Roger Corman, em produções como “A Loja de Horrores” (1960) e “O Corvo” (1963). Atuou nos westerns “Disparo para Matar” e “A Vingança de um Pistoleiro”, ambos dirigidos por Monte Hellman em 1966. Seu reconhecimento veio em 1969, com o cult “Sem Destino”, trabalho que rendeu sua primeira indicação ao Oscar (aqui como ator coadjuvante).
Sua primeira indicação ao Oscar de ator principal veio com o drama “Cada Um Vive Como Quer” (1970). Protagonizou “Ânsia de Amar” (1971) e “A Última Missão” (1973). Em 1974, Nicholson brilhou ao lado de Faye Dunaway no excelente e intrincado policial “Chinatown”, obra-prima que tem um dos melhores roteiros de todos os tempos. Também em 1974, foi dirigido por Michelangelo Antonioni no clássico “Profissão: Repórter”.
Por “Um Estranho no Ninho” (1975), Nicholson ganhou seu primeiro Oscar de melhor ator, interpretando um presidiário que se finge de louco. No western “Duelo de Gigantes (1976), ele atuou ao lado do lendário Marlon Brando. Em 1980, brilhou no papel de Jack Torrance, um escritor transtornado, no ótimo “O Iluminado”, dirigido por Stanley Kubrick.

“O Iluminado” (1980). Nicholson em sua cena mais famosa.

Esteve na superprodução “Reds” (1981) e no suspense “O Destino Bate à Sua Porta” (1981). Pelo comovente “Laços de Ternura” (1983), ele conquistou o Oscar de ator coadjuvante. Atuou também nos marcantes “A Honra do Poderoso Prizzi” (1985), “A Difícil Arte de Amar” (1986), “As Bruxas de Eastwick” (1987) e Ironweed (1987), este último dirigido por Hector Babenco.
Como o vilão Coringa, roubou todas as cenas em “Batman (1989). Foi um coronel linha-dura em “Questão de Honra” (1992), um pai angustiado em “Acerto Final” (1995), e fez dois personagens na comédia “Marte Ataca!” (1996). Pela comédia dramática “Melhor é Impossível” (1997), Nicholson venceu seu terceiro Oscar, o segundo como ator principal.
Alguns de seus últimos trabalhos até o momento foram “As Confissões de Schmidt” (2002), “Tratamento de Choque” (2003), “Alguém Tem Que Ceder” (2003), “Os Infiltrados” (2006) e “Antes de Partir” (2007).
Ele será o protagonista do remake de “Toni Erdmann”, previsto para estrear em 2018.

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário: