Top 10 Melhores Filmes de 2016

Top 10 Melhores Filmes de 2016

Melhores do ano sempre geram polêmica, mas quem tem acompanhado o Cinem(ação) já pode ter uma ideia dos meus favoritos nas melhores animações, nacionais e filmes que você (provavelmente) não viu. Mas vale frisar que o Cinem(ação) tem muitos autores, esta lista representa apenas os meus Melhores. Vi quase 250 filmes no cinema este ano e considerei, dentre eles, todos que estrearam no Brasil entre janeiro e dezembro – mesmo que o filme tenha sido lançando antes no país de origem. Deixe aí nos comentários a tua lista para podermos debater depois.

10 – Campo Grande:

Ano que Aquarius e Pequeno Segredo monopolizaram a mídia por questões políticas. Ano que Os Dez Mandamentos encheram as salas de cadeiras vazias. Ano que o Que Horas Ela Volta? deveria ter ganho o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. O ano foi de Campo Grande. Único longa brasileiro que integrará o top 10 Melhores do ano, ganhando por pouco de Big Jato e Ponto Zero.

A infância de duas crianças posta em tela de um jeito cru e belo. A inocência infantil e a dureza da vida. Atuações seguras – até das crianças, fotografia impecável, trilha cheia de variações e uma direção precisa. Aliás, o filme todo é recheado de contrastes. Obra essencial.

Crítica completa de Campo Grande.

9- Creed – Nascido para lutar:

Eu confesso que estava com medo desse filme. A chance de não honrar a franquia Rocky era grande. Mas Creed praticamente empata com o primeiro Rocky como melhor filme da série. A síntese disso é Sylvester Stallone, em uma atuação brilhante que rendeu uma indicação ao Oscar. Lutas muito bem filmadas – que plano sequência foi aquele? A trilha bem pontuada e diversas referências aos demais filmes da saga.

Crítica completa de Creed – Nascido para lutar.

8- O Quarto de Jack:

4 indicações ao Oscar – filme, direção, roteiro adaptado e atriz. O Quarto de Jack traz uma situação dramática e tensa, coloca elementos poéticos de uma forma bem lúdica. Além disso, dois trabalhos de atuação que impressionam e sinceramente não sei definir qual o mais perfeito: Brie Larson e Jacob Tremblay. Ela vencedora do Oscar, ele – injustamente – ignorado na premiação (argumento da idade é fraco aqui…). O Diretor Lenny Abrahamson, com menos dinheiro que os concorrentes, foi indicado ao Oscar e faz um trabalho muito cuidadoso. O que aquele quarto representa reverbera para além daquelas duas horas…

Crítica completa de O Quarto de Jack

7- Chocolate:

Daqui pra frente todos da lista mereceram nota 10 e ainda tem gente que diz que o ano foi fraco… Em Chocolate temos o humor do circo e o drama do racismo juntos na dose precisa. As referências visuais sutis – às vezes nem tanto – dão uma segunda camada ao longa. Com uma fotografia das mais espetaculares do ano, um design de produção formidável e um roteiro avassalador constroem muito bem o cenário. Mas o quesito que mais impressiona são as atuações Omar Sy e  James Thierrée (neto do Chaplin) fazem a melhor dupla do ano e ambos mereceriam o Oscar, difícil saber que está melhor. Fisicalidade, dramas, humor… tudo em excelência.

Crítica completa de Chocolate

6- Anomalisa:

A melhor animação do ano não poderia ficar de fora. Perdeu o Oscar de Melhor Animação, injustamente, para o também ótimo Divertida Mente. Deveria, contudo, concorrer para Melhor Filme (ninguém me convence que Anomalisa é pior que Brooklin). Uma tese de doutorado sobre a mente humana. O uso da dublagem de um jeito único e com função narrativa. A melhor e mais completa cena de sexo que eu já vi no cinema. O longa não é fácil, mas recompensa quem topar o jogo.

Crítica completa de Anomalisa

5- Spotlight – Segredos revelados:

Vencedor do Oscar de Melhor Roteiro e Melhor Filme, além de indicado em outras 4 categorias, Spotlight venceu adversários de peso como Mad Max e O Regresso. O trato do tema da pedofilia praticada por padres sendo investigado pela tropa de elite do jornalismo resultou de fato em uma obra prima. A montagem desse filme é um primor, ajudando a narrativa a não pesar tanto. Cada ator tendo o tempo em tela para brilhar. Filme preciso e necessário.

Crítica completa de Spotlight – Segredos revelados

4- Truman:

O melhor filme que já vi sobre amizade. Exemplo mor de como pegar clichês temáticos, no caso cachorro e câncer, e trabalhar de forma plena. Os veteranos e brilhantes Javier Cámara e Ricardo Darín completamente entrosados. A amizade daqueles dois é um exercício de desapego, confiança e amor. Melhor roteiro que vi no ano e em muito tempo. Zero de melodrama e 10 em todo resto.

Crítica completa de Truman

3- Neruda:

Uma cinebiografia nada convencional do poeta Pablo Neruda. Dada as opiniões políticas e o contexto chileno da época, Neruda foi perseguido. E o filme retrata um jogo de gato e rato metalinguisticamente lúdico. Para alguns até metade a proposta pode não ficar clara, mas depois que o real sentido da obra é revelado nosso queixo cai e ressignifica todo o filme. O jeito como os dois lados políticos são tratados como idiota, a relação de escritor e obra e todo o realismo fantástico integram uma das preciosidades de 2016, mas que infelizmente pouca gente viu nos cinemas…

2 – A Juventude:

Indicado para o Oscar de Melhor Canção é outro que poderia estar entre os Melhores filmes do Oscar… arte em diversos aspectos (música, cinema, dança…) e dualidades várias (claro e escuro, som e silêncio, onírico e real, memória e esquecimento, além de juventude e velhice). Pegue o Maradona, o Hitler, a Rainha da Inglaterra, um monge budista e a miss universo e junte-os no mesmo ambiente. Todos eles se relacionando com a dupla de protagonistas (“só” Michael Caine e Harvey Keitel – e vale o destaque para o Paul Dano também). A Juventude é para ser apreciado em vários sentidos. O som é maravilho, o visual incrível e o roteiro brilhante. Busquem agora essa obra prima.

Crítica completa de A Juventude

1- A Chegada:

A Chegada é o melhor filme deste ano, do ano passado e do ano que vem. Denis Villeneuve se coloca como forte candidato para entrar no hall dos maiores diretores da história. Um cara que consegue na primeira cena colocar memória, tempo e história como três palavras que resumem um filme de invasão alienígena. As linguagens como centro norteador da vida. Aliás, A Chegada mudou como enxergo a vida, poucos filmes tem essa capacidade.  A Chegada vem como provável candidato a melhor filme, direção, design de produção, efeitos, roteiro e montagem. Não se deixe enganar pelo trailer e aprecie sem moderação.

Sem spoiler: Crítica completa de A Chegada
Com spoiler: Podcast Cinem(ação) #208



Filmes que quase estiveram na lista: Invasão Zumbi, Kóblic, Big Jato, Ponto Zero, A Incrível Jornada de Jacqueline.

Fale pra gente o que achou da lista e como ficou o teu top 10 de Melhores filmes do ano.

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário:

  • Maurício Costa

    Os filmes são todos excelentes, no mérito, concordaria com quase todos, não necessariamente na mesma ordem. O único problema é que, dos 10 filmes, 7 são, na verdade, de 2015. Claro, cada um com seu critério. 🙂

  • Lucas Albuquerque

    Sim, explicitei o critério antes do texto hehe. E nas menções honrosas só tem filmes de 2016. Se eu ignorasse os filmes de 2015, longas como Spotlight ficariam de fora de todas as listas.