Trash Freak #14: Machete, a saborosa vingança mexicana de Robert Rodriguez e Danny Trejo

Trash Freak #14: Machete, a saborosa vingança mexicana de Robert Rodriguez e Danny Trejo

Ficha Técnica

Título:

Machete (Original)

Ano produção:

2010

Dirigido por:

Robert Rodriguez

Estreia:

10 de Dezembro de 2010 (Brasil)

Duração:

104 minutos

Elenco:

Danny, Trejo, Michelle Rodriguez, Jessica Alba, Robert De Niro, Steven Seagal e Lindsay Lohan

Gênero:

Ação, Comédia, Policial, Trash

País de Origem:

Estados Unidos

Lindasay Lohan Machete.jpg poster

“O gostoso da vida é o imprevisível.”, afirma a sabedoria popular. Certamente, a pessoa que pela primeira vez declarou a frase pensava em coisas como os filmes do diretor Robert Rodriguez. Brincando de fazer cinema, e tendo o México em boa parte de suas produções como plano de fundo, Rodriguez caminha entre o genial e o bestial de uma maneira totalmente frenética, numa fórmula que mistura Quentin Tarantino, Sergio Leone e Roger Corman.

O resultado são produções únicas como Machete, um filme simplesmente inclassificável. Muito ácido pra ser trash. Muito inteligente para ser uma comédia da família Wayans. Muito divertido pra ser cult. Muito tosco para ser levado totalmente a sério. Muito violento para exibição na ‘‘Tela Quente’’… e principalmente: muito atual para ser ignorado.

Machete/Danny

Rodriguez lança todo o repertório de ironia, sarcasmo, balas, facadas e explosões para uma discussão muito em voga. Algum espertinho poderia muito bem enganar um desavisado com a produção e exibi-la no cinema como se fosse um filme recém-lançado. O diretor “amerixicano” mirou em parte da direita xenófoba americana em 2010 (quando eles ainda eram uma espécie de aloprados… que ninguém levava a sério), e acabou acertando em Trump e seus blue caps seis anos após.

Com essa conversa toda… trata-se de um Trash ou um doc do Michael Moore? Robert responde a indagação com seu cinema autoral e a elaboração de um protagonista surreal: Machete, um ex-agente da CIA interpretado pelo veterano Danny Trejo. Uma deliciosa mistura clicherista de James Braddock, MacGyver, John Rambo e Speedy González (o ratinho Ligeirinho). Robert De Niro, Steven Seagal Michele Rodriguez, Jessica Alba completam o “eclético” elenco que tem até a participação da Lindsay Lohan dando uma fugidinha da Rehab para as gravações.

"Não seja pego do lado errado da cerca." Sugestivo slogan de campanha do senador interpretado por De Niro

“Não seja pego do lado errado da cerca.” Sugestivo slogan de campanha do senador interpretado por De Niro

De Niro interpreta John McLaughlin, um senador extremista texano em campanha para reeleição que promete fazer um muro gigante entre a fronteira dos Estados Unidos com o México e caçar todos os imigrantes ilegais. Para garantir a reeleição, um assessor do Trump do senador McLaughlin contrata Machete para simular um atentando contra o político. Acontecem alguns eventos e a história de Machete se cruza a de Luz (Michelle Rodriguez), uma vendedora de tacos, líder de uma organização paramilitar secreta e a de Santana (Jessica Alba), uma policial do departamento de migração.

A partir daí, se desenrola uma história muy loka, de um roteiro totalmente imprevisível com cenas inesquecíveis, várias construções criativas de coadjuvantes, ultraviolência e frases de efeito de dar inveja a filmes do José Padilha. Tiroteios,  muita zoeira e alguma *polêmica também compõem a paisagem cinematográfica nada usual de Machete, que brinca  brilhantemente com os estereótipos mexicanos e os empodera num final zoado, mas com uma alta dose de justiça poética.

Michelle Rodriguez caracterizada como a revolucionária "Shé". Sacou as referências, né?

Michelle Rodriguez caracterizada como a revolucionária “Shé”. Sacou as referências, né?

Sim, se você for daqueles bem rigorosos… vai encontrar alguns defeitos bem perceptíveis. Alguns personagens mereciam ser bem mais trabalhados: o Padre, ex-traficante de armas, irmão do Machete é um exemplo. A trilha sonora também merecia um capricho especial, como faz o tio Tarantino. Mas nada tão grave que tire os méritos da produção. No final de contas, Machete é daquelas obras que parecem ser um grande estrume. Ainda bem que esterco é adubo para coisas legais como o cinema de Rodriguez!

…Y Viva México, Cabrones!

Machete Nurses

* Algumas organizações religiosas americanas não curtiram algumas representações, mas sinceramente? Nada… nada mesmo muito forte. Por via das dúvidas, fica registrado o aviso de que Classificação Indicativa no Brasil é  (+18).

Trailer


Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário: